WhatsApp quer bancarizar as pessoas, mas sistema não fura bolha - Link - Estadão

WhatsApp quer bancarizar as pessoas, mas sistema não fura bolha (via @EstadaoLink)

10/05/2021 04:00:00

WhatsApp quer bancarizar as pessoas, mas sistema não fura bolha (via EstadaoLink)

Alcance do aplicativo de mensagens no País é forte ponto de partida para o sucesso da solução de pagamentos do serviço

tem no Brasil é invejado por muitos serviços: o aplicativo de mensagens é utilizado por 120 milhões de brasileiros, o que faz do País o segundo maior mercado da rede social, atrás somente da Índia, com 400 milhões. Assim como acontece no gigante asiático desde 2020,

'Está enraizado na nossa sociedade', diz professor de surfe que registrou ter sofrido falsa acusação de furto PT nega discussão com o PSOL sobre eleição em SP: 'Boulos tem toda a legitimidade para se candidatar' Coronavírus: sintomas neurológicos e psiquiátricos da covid-19 são 'regra e não exceção' - BBC News Brasil

agora o mensageiro recebe a opção de realizar pagamentos instantâneos entre usuários, com alcance enorme entre todas as faixas de rendas do Brasil. É uma capilaridade que quase nenhum banco ou fintech tem hoje. “O WhatsApp tem esse papel de colocar as pessoas no ambiente digital. E, mais do que qualquer outra ferramenta tecnológica, somos nós quem podemos bancarizar as pessoas”, diz o chefe de políticas públicas do WhatsApp no Brasil, Dario Durigan. Apesar desse poder todo, o executivo ressalta que o aplicativo não é um rival dos players do sistema financeiro e que a plataforma, lançada em parceria com nove instituições financeiras do País, continua aberta para atrair mais bancos ou fintechs interessados em participar do ecossistema.

Esse caminho da desbancarização ainda está para ser desenhado, na visão de especialistas. Até o momento,para usar os pagamentos no WhatsApp, é preciso já ser cliente de uma instituição financeira e possuir cartão de débito headtopics.com

, algo que, para muitos milhões de brasileiros, é uma realidade distante. “Por enquanto, não há impacto imediato no tema da inclusão financeira, já que somente clientes desses bancos poderão fazer os pagamentos”, aponta Guilherme Horn, conselheiro da Associação Brasileira de Fintechs (Abfintechs).

Para Adrian Cernev, professor do Centro de Estudos de Microfinanças e Inclusão Financeira, da Fundação Getulio Vargas (FGV), a escolha desses parceiros reforça o nicho de clientes bancarizados.  “Essas empresas têm capacidade operacional gigantesca, mas não criam vantagens para a população de baixa renda que é desincluída financeiramente e tem um receio grande do que é tecnologia e o que é serviço financeiro”, afirma Cernev. “Por isso, eu ainda não vejo avanço na inclusão financeira com os pagamentos no WhatsApp.”

Zap para PJsFuturamente, o aplicativo de mensagens pretende lançar no Brasil uma nova etapa dos pagamentos: transferências entre pessoas físicas e jurídicas (P2M, na sigla em inglês), possibilitando que os clientes possam pagar lojistas, por exemplo, no ato da compra. Por enquanto, a ferramenta está em análise pelo Banco Central, a autoridade nacional na regulamentação do sistema financeiro do País.

“Quando essa modalidade de pessoas com negócios ficar disponível, me parece que o ganho de contribuição para o País aumenta”, diz Durigan. Ele explica que, por conta da pandemia, empreendedores atuam com portas fechadas ou em restrição de horário, dependendo do e-commerce para fazer as vendas — e é aí que o WhatsApp entra, tanto como plataforma conversacional como financeira. “É interessante porque as pessoas podem usar o aplicativo para fazer o pré-venda, tirando dúvidas, e o pós-venda, com assistência técnica. Com o modelo P2M entrando, o ganho econômico fica muito maior”, explica o executivo, que diz esperar a implementação do serviço “nos próximos meses”. headtopics.com

Cristiano Ronaldo gera 'perda' de R$ 20 bilhões à Coca-Cola ao trocar refrigerante por água em coletiva PF quer retirar da Justiça Federal e concentrar no STF investigações sobre madeira ilegal na Amazônia Porco resgatado após cair de caminhão na BR-101 em SC será levado para santuário de animais Consulte Mais informação: Estadão »

Em avião, Bolsonaro diz que opositores deviam viajar 'de jegue' e ouve gritos de 'genocida' - Política - Estadão

Bolsonaristas divulgam vídeo em que presidente é abraçado por funcionários da Azul e passageiros, enquanto outro vídeo mostra pessoas protestando no fundo da aeronave

Link Nem eu Link se tarifar o pessoal aqui no Brasil, então 'FALIU' WhatsApp.

Clubhouse cria espaço para conversas abertas no Oriente Médio - Link - EstadãoEm países com limitações de redes sociais, Clubhouse tem sido escape para conversas sobre assuntos censurados Link Boa ferramenta para combinar atentado terrorista

Após megavazamento, crescem as tentativas de fraude com documentos de pessoas mortas - Link - EstadãoEmpresa de identificação virtual Idwall fez um levantamento que mostrou o aumento de investidas depois do vazamento de dados, no início do ano

Jack Ma faz rara visita à sede do Alibaba em Hangzhou - Link - EstadãoEmpresário chinês não tem aparecido com frequência na mídia e faz visita discreta na sua empresa nesta segunda-feira Link Virou professor de escola infantil depois que o regime COMUNISTA puniu, né?

Como o Google quer lidar com a fadiga de videochamada - Link - EstadãoCom alta da importância e da competição, Google Meet tenta se adaptar aos problemas das chamadas por vídeo

Mandic foi um empreendedor com visão de futuro - Link - EstadãoDemi Getschko: Um dos pais da internet brasileira, Mandic foi um empreendedor com visão de futuro -via EstadaoLink