Há 75 anos, Paris foi libertada da ocupação nazista - Internacional - Estadão

@EstadaoInter Há 75 anos, Paris foi libertada da ocupação nazista

25.8.2019

EstadaoInter Há 75 anos, Paris foi libertada da ocupação nazista

Em agosto de 1944, sem esperar pela chegada dos aliados, Paris se rebela após quatro anos de ocupação alemã

Em 17 de agosto, os aliados liberam Chartres e Orléans. Cada vez mais parecia evidente que o americano

Entre as duas tendências - comunistas e gaullistas - que dividem as

Os representantes do general de Gaulle - Jacques Chaban-Delbas e Alexandre Parodi - tentaram, em um primeiro momento, sufocar a impaciência dos parisienses. Mas em 18 de agosto, o coronel comunista Henri Rol-Tanguy, líder das FFI de Île-de-France, região parisiense, proclamava a mobilização geral.

É o início de uma semana enlouquecida. No lado alemão, 16 mil homens, 80 tanques e cerca de 60 canhões estão desde 7 de agosto sob o comando do general Dietrich von Choltitz, instalado no Hôtel Meurice, a Rue de Rivoli.

, que implantou ali seu escritório central,"queima rapidamente seus arquivos, que viram pequenas pilhas fumegantes na calçada", escreveu o correspondente da

Incansável, o cônsul-geral da Suécia, Raoul Nordling, convence o general Von Choltitz de aceitar um cessar-fogo de 45 minutos na noite de 19 de agosto, reinstaurado um dia depois. Essa trégua permitirá que a resistência se organize e tome a prefeitura da capital.

Na noite do dia seguinte, uma multidão exultante recebe na prefeitura de Paris um destacamento blindado comandado pelo capitão Raymond Dronne. Os tanques têm nomes de cidades espanholas e são pilotados por republicanos antifranquistas da 9ª Companhia, a Nove, que chegou para participar da liberação da França com muitos anarquistas. Eram 146 quando desembarcaram na Normandia, mas menos de 20 no fim da guerra.

"Paris ultrajada! Paris destroçada! Paris martirizada! Mas Paris liberada!" diz ele antes de saudar a multidão que se aglomera na praça.

Consulte Mais informação: Estadão

Sequestro na ponte Rio-Niterói tem final distinto de tragédia do ônibus 174 há 19 anosPoliciais matam sequestrador a tiros. Motorista do ônibus foi obrigado a parar na travessia da ponte Rio-Niterói por homem armado; o sequestrador manteve passageiros reféns por mais de 3 horas. Apesar da diferença nas táticas usadas pelos policiais, episódio traz à memória o sequestro do ônibus 174, que terminou com a morte de uma passageira.

Escrever Comentário

Thank you for your comment.
Please try again later.

Últimas Notícias

Notícia

25 agosto 2019, domingo Notícia

Notícias anteriores

Pogba faz forte desabafo contra racismo: 'Meus ancestrais e pais sofreram para minha geração ser livre'

Próxima notícia

São Paulo superou Vasco com gols de Sandro Hiroshi e França há 20 anos; reveja - ESPN Video
Notícias anteriores Próxima notícia