Sector tecnológico castiga Wall Street numa semana vermelha

Sector tecnológico castiga Wall Street numa semana vermelha

04/12/2021 02:08:00

Sector tecnológico castiga Wall Street numa semana vermelha

A semana terminou com perdas, depois da descoberta da variante Ómicron ter causado preocupações nos investidores. Sectores como o tecnológico e o das viagens foram os mais castigados num dia em que títulos pró-cíclicos, como a banca, também não escaparam às perdas.

O Dow Jones fechou a cair 0,17%, recuando até aos 34.580,08 pontos e o S&P 500 perdeu 0,85%, caindo para os 4,538.42. O Nasdaq foi o índice mais castigado perdendo 1,92%, quase 300 pontos, caindo para os 15.085,50.As três principais praças norte-americanas fecharam assim uma semana de perdas, caindo no acumulado dos últimos cinco dias, com a variante Ómicron a perturbar os mercados.

Dez animais de circo entregues voluntariamente transportados para santuários

O dia começou com um relatório do emprego em outubro que ficou muito aquém das expectativas, com a economia norte-americana a criar apenas 210 mil postos de trabalho, significativamente abaixo dos 550 mil esperados pelos analistas. De seguida, James Bullard, o presidente da Reserva Federal de St. Louis, pediu à autoridade monetária norte-americana que mantenha sob controlo o programa de ativos do país, sugerindo uma postura mais

hawkishda Fed num futuro próximo.Estes comentários castigaram particularmente o sector tecnológico e o Nasdaq, com as principais cotadas da área a caírem na sessão. As FAANG (Facebook, Apple, Amazon, Netflix e Google) recuaram entre 0,45% e 2,29%, com a Tesla a juntar-se ao perder 6,40%. headtopics.com

Por outro lado, as cotadas da banca também sofreram, dada a perspetiva de subidas de taxas de juro, o que aperta os lucros dos bancos. Bank of America, Morgan Stanley, JPMorgan Chase e Goldman Sachs desvalorizaram entre 0,73% e 1,78%.

Consulte Mais informação: Jornal Económico »

Decisão 22: o confronto entre António Costa e André Ventura na íntegra - CNN Portugal

CNN Portugal. O novo canal de informação, com uma cultura multiplataforma, propõe-se a acompanhar, em tempo real e em diversos meios, os acontecimentos que marcam o país e o mundo.

Wall Street com forte recuperação depois de vencer o medo da OmicronOs sinais, ainda muito longe de estarem consolidados, de que a nova variante da Covid-19 oriunda de África do Sul não será tão grave como o esperado, foi suficiente para libertar os investidores. Um grande dia para os mercados.

EUA estão na reta final para expulsar empresas chinesas de Wall StreetEstá a chegar ao fim a regulamentação de um diploma que obriga as empresas estrangeiras que rejeitam o escrutínio do regulador norte-americano a sairem de Wall Street.

Wall Street arranca no verde mas rapidamente inverte ganhos depois de fraco relatório do empregoA sessão até arrancou com ganhos nos três principais índices norte-americanos, mas a tendência rapidamente se inverteu. O sector do turismo e viagens continua a ser dos mais afetados pelas notícias relativas à nova estirpe da Covid-19 e pelas restrições reimpostas em vários países.

Cerveja. Há novas regras para o sector e tudo promete ser consensualO sector cervejeiro pediu há quatro anos a alteração das 'regras obsoletas' que regulamentam a produção, comercialização e rotulagem de cerveja. O primeiro passo 'para adequar o quadro legal à realidade foi dado agora', comenta Francisco Gírio, da associação Cervejeiros de Portugal

Futuros da Europa apontam para ligeira recuperaçãomercados, bolsa, PSI-20, Wall Street, ouro, euro, juros, câmbio

Wall Street arranca no verde mas rapidamente inverte ganhos depois de fraco relatório do empregoA sessão até arrancou com ganhos nos três principais índices norte-americanos, mas a tendência rapidamente se inverteu. O sector do turismo e viagens continua a ser dos mais afetados pelas notícias relativas à nova estirpe da Covid-19 e pelas restrições reimpostas em vários países.