Novo Banco: PS acusa PSD de querer ganhar na secretaria o que não ganhou com inquérito

Novo Banco: PS acusa PSD de querer ganhar na secretaria o que não ganhou com inquérito

23/07/2021 23:53:00

Novo Banco: PS acusa PSD de querer ganhar na secretaria o que não ganhou com inquérito

“O Partido Socialista esperava da parte do PSD uma posição mais responsável e mais construtiva nesta fase do inquérito. O PSD sente-se tentado a ganhar na secretaria aquilo que não foram os ganhos que espera ter durante os trabalhos do inquérito”, afirmou o deputado socialista João Paulo Correia.

João Paulo Correia falava numa conferência de imprensa convocada para o final da tarde, em Vila Nova de Gaia, onde apresentou 12 propostas entre recomendações e conclusões do Partido Socialista à versão preliminar do relatório de inquérito ao Novo Banco, apresentado na terça-feira.

Ministro do Ambiente diz que aumento do petróleo dita aumento do preço dos combustíveis Rafael Leão antecipa jogo com o FC Porto: «Vai ser difícil, mas é uma final para nós» Greve da Função Pública a 12 de novembro

Salientando que, no entender do PS, o inquérito não provou a narrativa social-democrata, João Paulo Correia apelou ao sentido de responsabilidade do PSD que anunciou hoje, 23 de julho, que vai votar contra a versão preliminar do relatório final por considerar que a parte sobre o apuramento dos factos “não tem emenda”.

“O PSD ainda vai a tempo de não cair na tentação do combate partidário nos trabalhos da Comissão de Inquérito. É muito importante para o país e para o interesse público que todos os partidos, sem exceção, se posicionem na discussão e na votação destas conclusões com elevado sentido de responsabilidade, procurando de forma parcial e isenta assumir as suas posições e as suas votações”, disse. headtopics.com

O deputado sublinhou que o trabalho do relator, o deputado socialista Fernando Anastácio, foi “tremendamente exaustivo”, num esforço “enorme” para apurar a verdade dos factos onde o contributo dos partidos é necessário.“O PSD deve-se colocar nessa posição de maior flexibilidade, sem intransigências, sem linhas vermelhas porque os portugueses merecem isso e a defesa do interesse público também. É muito importante que a Comissão de Inquérito aprove um relatório que traduza com rigor e de forma factual aquilo que foram os trabalhos do inquérito”, disse.

O deputado considera que a informação recolhida ao longo do inquérito não serve de base à narrativa do PSD ou do CDS-PP que considerara que o relatório da comissão de inquérito ao Novo Banco está “enviesado”.

“O PS podia estar aqui a fazer acusações muito acusatórias ao Governo PSD/CDS pelo aquilo que foram os últimos meses de gestão do BES, por aquilo que foi a resolução do BES e também pela negociação com Bruxelas para a constituição de Novo Banco. Mas aquilo que o trabalho do inquérito tornou evidente é que a maior responsabilidade recai sobre o Banco de Portugal e recai também nas imposições de Bruxelas e o mesmo aconteceu também com a venda em 2017”, afirmou, quando questionado sobre a posição dos partidos.

“E acrescentou: a vontade de fazer combate partidário nos inquéritos parlamentares é uma tentação que devia ser rejeitada pelo PSD e pelo CDS, não está a ser, mas como a discussão e votação das conclusões inicia-se nas próximas semanas, espero que os próximos dias sejam bons conselheiros para o PSD e para o CDS e não levarem o combate para os trabalhos da Comissão”. headtopics.com

Dan Barden e o diagnóstico de cancro nos testículos aos 20 anos: «Tudo mudou a uma velocidade louca» Defesa de Ricardo Salgado pede suspensão do processo devido a Alzheimer Ex-secretário de estado dos Estados Unidos Colin Powell morre com Covid-19

Questionado sobre a posição do Bloco de Esquerda (BE) que considerou hoje que o relatório tem falhas “por erro ou por omissão” e é “parcial” sobre a ação do Governo socialista, o deputado disse aguardar pelas propostas de conclusão – 60 – que o BE apresentará, sublinhando que estas têm, contudo, de ser baseadas na informação recolhida.

Para João Paulo Correia, BE e PCP tem uma posição diferente de PSD e CDS.Quanto às principais conclusões do inquérito, o socialista apontou o dedo à supervisão, que considera ser o responsável maior pelo colapso do BES.

Consulte Mais informação: Jornal Económico »

PSD e PCP vão votar contra relatório do inquérito sobre o Novo BancoO PSD e o PCP vão votar contra o relatório final da comissão de inquérito ao Novo Banco. Entendem que o documento elaborado pelo socialista Fernando Anastácio não espelha os factos que ocorreram.

PSD quer várias dezenas de alterações às conclusões do relatório do Novo BancoO PSD vai apresentar várias propostas de alteração às conclusões do relatório da comissão de inquérito ao Novo Banco. Já sobre o apuramento de factos, o partido vai votar contra porque 'não tem emenda'. 🤮🤮🤮🤮🤮🤮🤮🤮O ZÉ POVINHO !!!!! É MUITO PALERMA! 😂🤮🤮🤮🤮🤮🤮🤮🤮🤮🤮🤮 😂😂😂😂😂😂😂😂😂😂😂😂😂

Sucursal espanhola que Novo Banco vendeu supera expectativas nas mãos do banco que a comprouEspanhol Abanca quer comprar bancos em Portugal, mas por agora nada tem em vista. Sobre a OPA à dona da TVI, ainda não decidiu se vende e se encaixa cerca de €3 milhões

Fernando Anastácio: Fatura do NB mal explicada por governos do PS e do PSDO relatório do inquérito ao NB não aponta responsabilidades políticas. Mas deixa críticas aos governos, nomeadamente por não terem deixado explícito qual seria o impacto da resolução e venda nas contas públicas. Mas qualquer pessoa de bem, sabe que o único responsável politico de todo o mal que aconteceu em 47 anos de democracia em Portugal é o ex-primeiro ministro José Sousa, os restantes políticos, autarcas, gestores, assessores, e lamb cus, são inocentes mártires.

NB: PCP votará contra relatório que isente governos do PSD/CDS e PS'Consideramos que a maior falha está na ausência de uma responsabilização política dos governos do PSD/CDS e do PS nas decisões que foram tomadas relativamente ao Novo Banco', criticou.

Novo Banco. PCP vai votar contra relatório que isente Governos do PSD/CDS e do PS'Consideramos que a maior falha está na ausência de uma responsabilização política'.