Cabo Delgado, Moçambique

Moçambique: dezenas de civis “indefesos” foram mortos nos ataques em Palma

Cabo Delgado: Moçambique: dezenas de civis “indefesos” foram mortos nos ataques em Palma

28/03/2021 23:20:00
Cabo Delgado, Moçambique, Terrorismo, Daesh, Gás

Cabo Delgado : Moçambique : dezenas de civis “indefesos” foram mortos nos ataques em Palma

Governo moçambicano confirma as sete mortes de civis durante uma operação de resgate, mas o balanço das vítimas dos últimos ataques jihadistas em Cabo Delgado continua por fazer.

FotoA maioria das quase 700 mil pessoas deslocadas pela violência em Cabo Delgado vivem em campos improvisadosRICARDO FRANCO/EPADezenas de civis moçambicanos, incluindo sete pessoas que tentavam fugir do principal hotel de Palma, no norte da província moçambicana de Cabo Delgado, foram mortos pelos combatentes que

Noah esteve em perigo entre veados e javalis Covid-19. Maiores de 35 podem agendar vacinação a partir de segunda-feira Que Alemanha sirva para afinar o motor

começaram a atacar a vila na quarta-feira, afirmou este domingo o Governo de Maputo.“Um grupo de terroristas penetrou, dissimuladamente, na vila sede do distrito de Palma e desencadeou acções que culminaram com o assassinato cobarde de dezenas de pessoas indefesas e danos materiais em infra-estruturas do Governo”, disse Omar Saranga, porta-voz do Ministério da Defesa, que leu um comunicado aos jornalistas na capital, sem responder a perguntas.

“As FDS [Forças de Defesa e Segurança] registaram com pesara perda de sete vidas de um grupo de cidadãosque se precipitou numa coluna de viaturas saída do hotel Amarula, que foi emboscada pelos terroristas”, acrescentou o porta-voz, confirmando assim a notícia de pelo menos sete mortos num ataque às operações de resgate dos que se tinham abrigado no Amarula. Entre estes contavam-se cerca de 200 estrangeiros que trabalham nos projectos de gás natural, incluindo um sul-africano que morreu e o headtopics.com

português que ficou feridoe já está na África do Sul.O número exacto de vítimas ou desaparecidos permanece por esclarecer, quando a maioria das comunicações com Palma está por restabelecer e as forças governamentais “continuam a clarificar as zonas de Palma por forma a garantir um regresso seguro das populações”.

Sabe-se que milhares de habitantes fugiram para a floresta e daí tentaram chegar a Afungi, onde a petrolífera Total tem as suas instalações, a seis quilómetros de Palma. Alguns tiveram a sorte de conseguir lugar nobarco que chegou a para Pemba, capital de Cabo Delgado, com 1800 pessoas

em fuga, incluindo os trabalhadores estrangeiros entretanto resgatados do Amarula.Várias testemunhas ouvidas pela organização não-governamental Human Rights Watch dizem ter visto corpos no chão e descrevem como os insurrectos “dispararam indiscriminadamente contra pessoas e edifícios

”. “As autoridades moçambicanas devem apressar-se a proteger os civis”, apelou o director da ONG na África do Sul, Dewa Mayhinga.“O objectivo claro desta incursão por parte dos terroristas era o de aterrorizar as populações e ameaçar o desenvolvimento de infra-estruturas que vão propiciar uma melhoria das condições de vida no país e das populações locais, em particular”, afirmou ainda Omar Saranga, em Maputo. headtopics.com

EUA. Condutor de carrinha atropela participantes em desfile LGBT e faz um morto Marcelo & Costa por uma UE “mais rápida e eficaz” Banca com nova vaga de saída de trabalhadores e admite despedimentos

Palma tem sido poupada à violência que assola Cabo Delgado desde 2017, e milhares de pessoas em fuga de outras zonas chegaram a procurar ali refúgio. Estes ataques foram lançados logo depois de a Total anunciar o regresso gradual aos trabalhos de construção da sua fábrica de gás natural liquefeito (GNL), interrompidos por causa de um ataque de menores dimensões, em Dezembro.

A petrolífera francesa é a principal investidora de um projecto local, estimado em 20 mil milhões de euros, que representa mesmo o maior investimento privado actual no continente africano. Consulte Mais informação: Público »

Governo de Moçambique confirma: dezenas de civis mortos em PalmaDezenas de civis, incluindo sete pessoas que tentavam fugir do principal hotel de Palma, norte de Moçambique, foram mortos pelo grupo armado que atacou a vila na quarta-feira, disse este domingo o Ministério da Defesa moçambicano.

Daesh reivindica controlo de Palma após ataque armado violentoDezenas de civis, incluindo sete pessoas que tentavam fugir do principal hotel de Palma, no norte de Moçambique, foram mortos pelo grupo radical.

Violência em Moçambique. Suíça disponibiliza 850 mil euros para assistência a deslocadosOs ataques provocaram dezenas de mortos e obrigaram à fuga de milhares de residentes de Palma.

Governo de Moçambique confirma a morte de dezenas de pessoas após ataques em Palma

Dezenas de civis mortos em Palma, anuncia governo moçambicano'Grupo de terroristas penetrou na vila sede do distrito de Palma e desencadeou ações que culminaram com o assassinato cobarde de dezenas de pessoas', referiu o ministério da Defesa. E o governo anuncia medidas? Andam a fazer o quê desde a independência? Mas não estão melhor? Estão a colher o que semearam! Não evoluiram? So ganância nas elites e o povo que se foda que continue a comer pirão que estão melhor! Agora aguentem-se! E os outros países o mesmo!