Homem ferido em despiste de carro em Ponte da Barca

Portugal - Homem ferido em despiste de carro em Ponte da Barca

Reanimação, Ponte Da Barca

28/11/2021 17:38:00

Portugal - Homem ferido em despiste de carro em Ponte da Barca

Vítima saiu do carro pelo próprio pé. Alerta foi dado às 11h53.

14:36BombeirosUm despiste de um carro na Figueirinha, em Ponte da Barca, deixou o condutor, de 82 anos, com ferimentos ligeiros. O alerta foi dado às 11h53 e os Bombeiros de Ponte da Barca, com o apoio da Viatura Médica de Emergência e Reanimação de Viana do Castelo e a SIV de Arcos de Valdevez, foram encaminhados para o local.

Ao que oCMconseguiu apurar junto do Comando Distrital de Operações de Socorro de Viana do Castelo, a vítima ter-se-á despistado e o carro terá caído para uma ribanceira. Inicialmente, foi dado o alerta para uma pessoa encarcerada, mas, à chegada ao local dos meios de socorro, a vítima já estava fora da viatura.

O idoso foi transportado para o hospital de Viana do Castelo.A GNR esteve no local e tomou conta da ocorrência.

Consulte Mais informação: Correio da Manhã »

Uma pessoa morreu num acidente na Ponte 25 de Abril esta madrugadaPortugal - Uma pessoa morreu num acidente na Ponte 25 de Abril esta madrugada

O Super-Homem e o Pai Natal num comboio ao circoCrumbs (2015) é o primeiro filme de ficção científica pós-apocalíptico da Etiópia. É essa a frase mais vezes usada para o descrever ou, pelo menos, a que mais vezes se encontra na (relativamente escassa) informação disponível online - resquícios da sua meteórica passagem pelo circuito dos festivais. O apelo da etiqueta talvez obedeça mais a um impulso promocional do que a uma intenção descritiva; há algo de agradável, de uma perspectiva 'ocidental', em repetir aquele arrastão de exotismo classificativo. Na verdade, o filme resultou de uma salada genética ainda mais variada: filmado na Etiópia, com diálogos em amárico, um título em inglês, um realizador espanhol, e uma misteriosa co-produção finlandesa. Mesmo a designação 'pós-apocalíptico' esconde mais do que revela, e não ajuda propriamente a calibrar expectativas. Desde as suas origens, e passando por todos os seus documentos centrais (de O Último Homem de Mary Shelley ao Deus das Moscas de Golding, aos vários cataclismos zombies), o género sempre foi uma espécie de reserva estratégica de pessimismo antropológico, especializado em pressupor uma inevitável regressão social generalizada como consequência inevitável do colapso das actuais estruturas de organização social. A ideia básica é que 15 minutos depois de o multibanco deixar de funcionar, toda a gente vai andar de tronco nu, cara pintada e lanças em punho.

19 anos de prisão para homem que matou ex-namorada à facada na Maia

Cuidados de um homem só!Chico insiste em comer sozinho, ao ar livre, faça chuva ou faça sol…

Como apanhar um assassino. Este homem sabeRichard Taylor conta a Audrey Ward como foi trabalhar com alguns dos mais célebres criminosos do Reino Unido, desde o “Estripador de Camden”, Anthony Hardy, até ao imã radical Abu Hamza. Por Audrey Ward

Capitão da Seleção Nacional de hóquei em campo morre em acidente na Ponte 25 de Abril em LisboaPortugal - Capitão da Seleção Nacional de hóquei em campo morre em acidente na Ponte 25 de Abril em Lisboa