Covid-19: OMS diz que interpretação de dados sobre nova variante demorará até três semanas

Covid-19: OMS diz que interpretação de dados sobre nova variante demorará até três semanas

03/12/2021 23:15:00

Covid-19: OMS diz que interpretação de dados sobre nova variante demorará até três semanas

A Organização Mundial da Saúde (OMS) indicou esta sexta-feira que demorará uma a três semanas para interpretar os dados científicos que estão a ser recolhidos em torno da variante Ómicron do SARS-CoV-2, nomeadamente sobre a eficácia de vacinas.

Há uma semana, a OMS classificou a nova variante do coronavírus que causa a doença respiratória Covid-19 como variante de preocupação, realçando, com base em dados preliminares, o risco acrescido de reinfeção com a Ómicron por comparação com outras variantes de preocupação, incluindo a Delta, dominante do mundo e até à data a mais contagiosa.

Comunicada à OMS uns dias antes pela África do Sul, onde foi detetada inicialmente, a estirpe Ómicron já chegou a 38 países de cinco continentes, incluindo Portugal, onde foram confirmados esta semana 19 casos.Apesar de esta semana a agência da ONU ter considerado que a nova variante representa um risco global muito alto, ainda subsistem incertezas quanto aos seus efeitos na transmissibilidade da infeção, na severidade da doença, na imunidade, nos tratamentos e nas vacinas contra a Covid-19.

A epidemiologista Maria Van Kherkove esclareceu esta sexta-feira que o retrocesso que houve na luta contra a pandemia da Covid-19, em particular na Europa, onde houve um aumento significativo de infeções e hospitalizações, é fruto da circulação da variante Delta. headtopics.com

Matança de 540 animais na Torre Bela sem arguidos um ano depois

“Se adicionarmos outra variante, as coisas ficam mais complicadas”, admitiu, pedindo aos governos para que reforcem as medidas preventivas, como a vacinação, o uso de máscaras, o distanciamento físico, a higienização das mãos e a ventilação de espaços fechados.

A pandemia da Covid-19 provocou pelo menos 5.233.111 mortes em todo o mundo, entre mais de 263,61 milhões infeções, segundo o mais recente balanço da agência noticiosa AFP.Em Portugal, desde março de 2020, morreram 18.492 pessoas e foram contabilizados 1.157.352 casos de infeção, de acordo com dados atualizados da Direção-Geral da Saúde.

O coronavírus SARS-CoV-2 foi detetado no final de 2019 em Wuhan, cidade do centro da China, e disseminou-se rapidamente pelo mundo.

Consulte Mais informação: Jornal Económico »

Covid-19: Portugal com 19 infeções da variante ÓmicronOs novos casos detetados também fazem parte do surto no Belenenses SAD, adiantou a diretora-geral da Saúde, que avisou ainda que os casos diários ser o dobro dos atuais por altura do Natal

Covid-19: resposta imunitária a doses de reforço varia conforme a vacinaEstudo envolveu quase três mil pessoas que tinham recebido as vacinas da AstraZeneca ou da Pfizer

Covid-19: 70% dos internados nos cuidados intensivos em Lisboa não estão vacinadosEsta quarta-feira foi registado o número mais alto de novos casos desde fevereiro. Que paguem o hospital agora! Deviam ir para o privado e pagar o internamento a ver se a teimosia compensa Vaccinated people are spreading the virus. Because the unvaccinated are unable to travel, so we have to isolate the vaccinated to stop the advance of the virus.

Covid-19: Discotecas vendem testes rápidos por 10 eurosAlém do certificado digital, é necessário apresentar teste negativo para entrar em bares e discotecas. Por um lado acho bem mas por outro se te quiseres divertir diverte sozinho em casa pensa na tua saúde e na dos outros Muito bem

Covid-19: GNR faz controlo aleatório nas fronteiras terrestresMedidas de combate à pandemia apertam a partir desta quarta-feira. Vaccinated people are spreading the virus. Because the unvaccinated are unable to travel, so we have to isolate the vaccinated to stop the advance of the virus.

Portugal deverá receber primeiras doses de vacinas da Covid-19 para crianças a 13 de dezembroGrupo da faixa etária entre os 0 e os 9 anos continua a ser o grupo com maior número de infeções ao dia de hoje, revelou Graça Freitas.