Carlos Pontes, um fotógrafo que vive para salvar os lobos

Carlos Pontes, um fotógrafo que vive para salvar os lobos

Fotografia, Lobos

22/01/2022 18:10:00

Carlos Pontes, um fotógrafo que vive para salvar os lobos

Carlos Pontes trabalha para mostrar a beleza dos animais. Passa dias debaixo de sol e neve no Gerês para conseguir imagens que alertem para o risco de extinção.

Num passeio de jipe pela área onde trabalha, não lhe faltam histórias para contar de encontros felizes com"os bichos". Como a do ano passado, quando um animal surgiu a três metros de distância. Tão perto, que perdeu o foco, mas sem nunca sentir medo."Nunca vi os dentes ao lobo, só fui ameaçado por uma lontra", recorda.

Consulte Mais informação: Jornal de Notícias »

O medo das sondagens, o remédio contra a austeridade e as pontes queimadasDe regresso ao Alentejo, António Costa alertou contra um efeito de desmobilização pelas sondagens favoráveis ao PS.

PJ vai investigar a morte de Danijoy Pontes na cadeia de LisboaJovem de 23 anos foi encontrado morto dentro da cela em setembro de 2021. EPL não chamou PJ por não existirem indícios de crime, mas família não concordou. Coisa estranha.

Foi adiada a votação do primeiro orçamento municipal de Carlos MoedasFoi adiada a votação do primeiro orçamento municipal de Carlo Moedas. Em causa estão erros técnicos para os quais alertou o PS, mas o presidente da Câmara de Lisboa fala num bloqueio do PS

Carlos Moedas acusa PS de 'irresponsabilidade' por ter adiado votação do Orçamento Municipal - RenascençaCarlos Moedas acusa PS de “irresponsabilidade“ por ter adiado votação do Orçamento Municipal

Operação Marquês: Participação de Sócrates contra Carlos Alexandre distribuída segunda-feira na RelaçãoEm causa está a alegada distribuição manual do inquérito 'Operação Marquês' ao juiz Carlos Alexandre pela escrivã que já tinha trabalhado com o magistrado judicial em outros tribunais.

Processo EDP volta para as mãos de Carlos AlexandreEste foi o último processo a ser sorteado no total dos processos do novo Ticão. Suspeitas que recaem sobre Mexia, Manso Neto e Pinho voltam para as mãos de Carlos Alexandre.

Desde os oito anos que Carlos Pontes vê lobos, mas há cerca de 14 que passou a dedicar-lhes a maior parte da vida como fotógrafo profissional. Passa"95% do tempo sozinho", pelas montanhas do Gerês, de binóculos em riste, atento a cada detalhe, a cada pegada, no rasto dos lobos. Aos 36 anos, conhece como poucos o percurso das alcateias e estuda os comportamentos de crias e de adultos, que distingue até pelos uivos. Num passeio de jipe pela área onde trabalha, não lhe faltam histórias para contar de encontros felizes com"os bichos". Como a do ano passado, quando um animal surgiu a três metros de distância. Tão perto, que perdeu o foco, mas sem nunca sentir medo."Nunca vi os dentes ao lobo, só fui ameaçado por uma lontra", recorda. Joana Almeida Silva