Bolsa de Lisboa fecha em queda em linha com Europa. EDP Renováveis cai mais de 2%

Bolsa de Lisboa fecha em queda em linha com Europa. EDP Renováveis cai mais de 2%

29/01/2022 05:12:00

Bolsa de Lisboa fecha em queda em linha com Europa. EDP Renováveis cai mais de 2%

O PSI-20 caiu 0,72% para 5.521,86 pontos. A EDP Renováveis liderou as quedas, ao perder -2,20% para 18,22 euros. Isto no dia em que a EDP Renováveis concluiu a operação de venda de uma carteira de ativos em Portugal, com 221 megawatts (MW) de capacidade eólica, por 534 milhões de euros.

Isto no dia em que a EDP Renováveis concluiu a operação de venda de uma carteira de ativos em Portugal, com 221 megawatts (MW) de capacidade eólica, por 534 milhões de euros, informou a empresa em comunicado à Comissão do Mercado de Valores Mobiliários (CMVM). O comprador foi a Onex Renewables.

A Sonae recuou -2,14% para 1,0070 euros, a Pharol caiu -2,01% para 0,0879 euros e o BCP também está na lista das quedas da sessão (-1,90% para 0,1500 euros).A Galp caiu -1,23% para 9,97 euros; a GreenVolt fechou a cair -1,36% para 5,82 euros. A NOS perdeu -1,07% para 3,53 euros e a Novabase perdeu -1,01% para 4,890 euros.

Consulte Mais informação: Jornal Económico »

Bolsa de Lisboa em baixa, com EDP Renováveis a cair 1,13%Ações da Galp e da Greenvolt entre os que mais desvalorizavam; Alti, CTT e Corticeira Amorim eram as que mais subiam

EDP Renováveis concluiu venda de parques eólicos em Portugal por 534 milhõesEm causa estão cinco parques com uma capacidade total de 221 megawatts, vendidos à Onex Renewables

Bolsa de Lisboa em baixa, com EDP Renováveis a cair 1,13%Ações da Galp e da Greenvolt entre os que mais desvalorizavam; Alti, CTT e Corticeira Amorim eram as que mais subiam

Bolsa de recua recua em linha com praças europeiasLisboa recua em linha com as demais praças do Velho Continente. EDP Renováveis está a protagonizar as maiores perdas da sessão.

EDP Renováveis concluiu venda de parques eólicos em Portugal por 534 milhõesEm causa estão cinco parques com uma capacidade total de 221 megawatts, vendidos à Onex Renewables

Porto de Lisboa recebeu 115.984 passageiros de cruzeiro em 2021Em comunicado, o Porto de Lisboa congratula-se com os resultados alcançados em 2021 'num contexto de pandemia e de grandes incertezas e adversidades'. Recebeu navios com essa capacidade de passageiros!haja coerência!

O PSI-20 caiu 0,72% para 5.Comentar A bolsa de Lisboa estava em baixa, a inverter a tendência da abertura, com as ações da EDP Renováveis a liderarem as perdas, já que desciam 1,13% para 18,42 euros.Comentar A EDP Renováveis informou o mercado da conclusão da operação de venda de cinco parques eólicos em Portugal à Onex Renewables por 534 milhões de euros.Comentar A bolsa de Lisboa estava em baixa, a inverter a tendência da abertura, com as ações da EDP Renováveis a liderarem as perdas, já que desciam 1,13% para 18,42 euros.

521,86 pontos. A EDP Renováveis liderou as quedas, ao perder -2,20% para 18,22 euros.553,39 pontos, com 10 'papéis' a descer, sete a subir e dois a manter a cotação (Ramada Investimentos em 7,16 euros e Semapa em 11,64 euros). Isto no dia em que a EDP Renováveis concluiu a operação de venda de uma carteira de ativos em Portugal, com 221 megawatts (MW) de capacidade eólica, por 534 milhões de euros, informou a empresa em comunicado à Comissão do Mercado de Valores Mobiliários (CMVM). O programa de rotação de ativos visa"acelerar a criação de valor e reciclar capital para reinvestir em crescimento rentável". O comprador foi a Onex Renewables. As ações do BCP eram outras das que mais caíam, designadamente 0,65% para 0,15 euros. A Sonae recuou -2,14% para 1,0070 euros, a Pharol caiu -2,01% para 0,0879 euros e o BCP também está na lista das quedas da sessão (-1,90% para 0,1500 euros). Fechar Subscreva a nossa newsletter e tenha as notícias no seu e-mail todos os dias Subscrever Muito obrigado pelo seu registo.

A Galp caiu -1,23% para 9,97 euros; a GreenVolt fechou a cair -1,36% para 5,82 euros. No outro extremo, as ações da Altri, CTT e Corticeira Amorim eram as que mais subiam, estando a valorizarem-se 1,63% para 5,61 euros, 1,57% para 4,20 euros e 1,18% para 10,26 euros. A NOS perdeu -1,07% para 3,53 euros e a Novabase perdeu -1,01% para 4,890 euros. Nas subidas destacou-se a Semapa (+2,06% para 11,88 euros); a Jerónimo Martins avançou +0,66% para 21,38 euros; e a Ramada valorizou +0,56% para 7,20 euros. Na Europa, as principais bolsas negociavam hoje em baixa, pendentes da situação na Ucrânia, de resultados empresariais e do preço de petróleo, de novo em máximos desde 2014. O mercado europeu encerrou em baixa, apesar de alguma recuperação vespertina, “com o maior otimismo das bolsas em Wall Street a aliviar parcialmente a pressão deste lado do Atlântico”, refere o analista da Mtrader. “A castigar o sentimento esteve a revelação de que a economia alemã registou uma contração de 0,7% no 4. As bolsas europeias estavam cautelosas, depois de Wall Street ter terminado em baixa, apesar dos bons resultados da Economia norte-americana, cujo Produto Interno Bruto (PIB) cresceu 5,7% em 2021, a maior taxa em 37 anos. As bolsas europeias estavam cautelosas, depois de Wall Street ter terminado em baixa, apesar dos bons resultados da Economia norte-americana, cujo Produto Interno Bruto (PIB) cresceu 5,7% em 2021, a maior taxa em 37 anos.

º trimestre de 2021”, defende Ramiro Loureiro, analista de mercados do Millennium investment banking. “O setor de retalho foi destaque pela positiva, impulsionado pela valorização da H&M , após boas contas e perspetivas”, diz o analista do BCP que lembra que à hora do fecho europeu, Wall Street negociava em alta, com o Nasdaq 100 a demonstrar valorizações de 1,6%, animado pelas boas contas da Apple. A nível cambial, o euro abriu em baixa no mercado de câmbios de Frankfurt, a cotar-se a 1,1129 dólares, um mínimo desde junho de 2020, contra 1,1139 dólares na quinta-feira e o atual máximo desde maio de 2018, de 1,2300 dólares, em 05 de janeiro de 2021. O FTSE 100 tombou -1,17% para 7.466 pontos; o CAC 40 perdeu -0,82% para 6. Partilhar.965,9 pontos; o DAX fechou a cair -1,32% para 15.

318,9 pontos; o FTSE MIB fechou a cair -1,18% para 26.565,4 pontos; e o IBEX recuou -1,11% para 8.609,8 pontos. Os globais EuroStoxx 50 e Stoxx também fecharam em terreno negativo. O EuroStoxx 50 caiu 1,15% para 4.

136,91 pontos e o Stoxx 600 desceu 0,99%. Hoje o CaixaBank apresentou resultados e as ações fecharam moderadamente em alta (+0,38%). O banco que é dono do BPI teve um lucro de 5,23 mil milhões de euros no ano e a margem financeira atingiu os 5,98 mil milhões. Aqui ficou acima da estimativa dos analistas. Mas no trimestre os lucros recuaram e desiludiram o mercado.

No quarto trimestre o CaixaBank teve um lucro de 425 milhões abaixo do esperado pelos analistas e a margem financeira no 4º trimestre atingiu os 1,56 mil milhões, abaixo do esperado. O banco propõe-se a implementar um programa de recompra de ações em 2022 e irá pagar um dividendo de 0,1463 euros por ação. Em termos macroeconómicos, soube-se que a economia alemã cresceu 2,8% em 2021, mais uma décima do que estimado e apesar de uma queda de 0,7% no quarto trimestre, de acordo com os números divulgados hoje pela agência federal de estatística alemã. Já França cresce 7% em 2021, e regista o maior aumento do PIB em 52 anos. A economia francesa registou o crescimento anual mais forte em 52 anos em 2021, com um aumento de 7% do PIB, após uma queda de 8% no ano anterior devido à pandemia.

O euro sobe 0,12% para 1,1158 dólares. O mercado de dívida pública está novamente em alta. A dívida alemã a 10 anos sobe 1,39 pontos base para -0,05%. Portugal tem os juros em alta de 2,73 pontos base para 0,62% e Espanha também com os juros soberanos em alta (+3,03 pontos base para 0,70%). Itália, ao contrário, vê os juros caírem 0,34 pontos base para 1,28%.

O petróleo Brent avança 1,28% passado os 90 dólares o barril (90,48 dólares). O crude West Texas sobe 0,77% para 87,28 dólares. .