BlackRock lucra 6,049 mil milhões de dólares em 2021, mais 16% que em 2020

BlackRock lucra 6,049 mil milhões de dólares em 2021, mais 16% que em 2020

15/01/2022 11:43:00

BlackRock lucra 6,049 mil milhões de dólares em 2021, mais 16% que em 2020

Laurence D. Fink, Presidente e CEO da BlackRock diz, em comunicado, que a empresa 'apresentou o crescimento orgânico mais forte de nossa história, mesmo quando os nossos ativos sob gestão atingiram novos recordes. Geramos 540 mil milhões de dólares em entradas líquidas em 2021'.

14 Janeiro 2022, 16:19Laurence D. Fink, Presidente e CEO da BlackRock diz, em comunicado, que a empresa “apresentou o crescimento orgânico mais forte de nossa história, mesmo quando os nossos ativos sob gestão atingiram novos recordes. Geramos 540 mil milhões de dólares em entradas líquidas em 2021”.

Uma das maiores gestoras de ativos do mundo, a BlackRock, divulgou os seus resultados anuais e trimestrais.A BlackRock registou lucros de 6,049 mil milhões de dólares (cerca de 5,27 mil milhões de euros) em 2021, o que traduz um crescimento de 16% face ao ano anterior, altura em que os resultados foram de 5,237 mil milhões de dólares. Os resultados por ação (diluídos) fixaram-se em 2021 nos 39,18 dólares.

Consulte Mais informação: Jornal Económico »

As crianças podem brincar com armas de plástico? E encenar conflitos? Psicóloga responde a estas e outras questões neste Dia Internacional do Brincar - CNN Portugal

CNN Portugal. O canal de informação, com uma cultura multiplataforma, que acompanha, em tempo real e em diversos meios, os acontecimentos que marcam o país e o mundo. Consulte Mais informação >>

BlackRock fecha 2021 com um crescimento de 16% nos lucrosEm 2021, a empresa registou um total de 8,7 biliões de euros em ativos sob gestão, um valor impulsionado pelo negócio em ETF , segundo o grupo, citado pela Bloomberg. Se fosse em Portugal ainda pedia um subsídio pelas perdas geradas pelo covid 🤡

Quase 10% das mortes em Portugal em 2021 atribuídas à covid-19 - SIC NotíciasEm 2021 houve mais 1,1% de mortes do que em 2020 e mais 11,3% do que em 2019. COM covid ≠ DE covid

Mortes atribuídas à covid-19 em 2021 corresponderam a 9,6% do total de óbitosEm 2021 houve mais 1.353 mortes do que em 2020, um aumento de 1,1% e mais 12.741 do que em 2019, ano anterior à pandemia da covid-19, representando um aumento de 11,3%.

Mortes por Covid-19 aumentaram 72% entre 2020 e 2021O ano de 2021 ficou marcado por uma subida expressivo do número de óbitos por Covid-19 face ao ano anterior, revelam os dados do INE.

Visão | Aumento de preço nas casas em 2021 'foi um dos mais robustos desde 2007'O valor das casas disparou nos últimos oito meses do ano passado, pouco depois de ter terminado o confinamento

“Prevemos crescer em 2021 acima dos 15% e em 2022 a expectativa é fazer melhor”O managing partner da PRA - Raposo, Sá Miranda & Associados prevê que em 2022 possam vir a existir operações interessantes nas áreas das energias renováveis, tecnologia e comunicações.

Maria Teixeira Alves 14 Janeiro 2022, 16:19 Laurence D. Fink, Presidente e CEO da BlackRock diz, em comunicado, que a empresa “apresentou o crescimento orgânico mais forte de nossa história, mesmo quando os nossos ativos sob gestão atingiram novos recordes. Geramos 540 mil milhões de dólares em entradas líquidas em 2021”. Uma das maiores gestoras de ativos do mundo, a BlackRock, divulgou os seus resultados anuais e trimestrais. A BlackRock registou lucros de 6,049 mil milhões de dólares (cerca de 5,27 mil milhões de euros) em 2021, o que traduz um crescimento de 16% face ao ano anterior, altura em que os resultados foram de 5,237 mil milhões de dólares. Os resultados por ação (diluídos) fixaram-se em 2021 nos 39,18 dólares. Só no quarto trimestre a BlackRock registou lucros de 1,611 mil milhões de dólares (cerca de 1,4 mil milhões de euros), 2% do trimestre homólogo de 2020. A gestora de ativos diz que se registaram 540 mil milhões de dólares de entradas líquidas totais no ano inteiro, refletindo um crescimento orgânico de ativos de 6% e um crescimento orgânico de 11% nas comissões, liderado por fluxos recordes em ETFs (Exchange Traded Fund) e estratégias ativas. Destes 540 mil milhões, 212 mil milhões entraram no quarto trimestre. A BlackRock reportou um aumento de 20% na receita anual, o que inclui o crescimento orgânico e aumento de comissões recorde, bem como o crescimento contínuo na receita de serviços de tecnologia. A gestora revela ainda que foram devolvidos aos acionistas no ano passado 3,7 mil milhões de dólares incluindo 1,2 mil milhões em recompras de ações. A BlackRock destaca o aumento de 18% no dividendo trimestral em dinheiro para 4,88 dólares por ação aprovado pelo Conselho de Administração. Laurence D. Fink, Presidente e CEO da BlackRock diz, em comunicado, que a empresa “apresentou o crescimento orgânico mais forte de nossa história, mesmo quando os nossos ativos sob gestão atingiram novos recordes. Geramos 540 mil milhões de dólares em entradas líquidas em 2021, incluindo uma indústria que lidera 267 mil milhões de dólares em entradas líquidas de ativos”. O “nosso negócio está mais diversificado do que nunca – estratégias ativas, incluindo alternativas, contribuíram com mais de 60% do crescimento orgânico das comissões de base em 2021. A nossa plataforma de ETF iShares®, líder do setor, continuou a ser um fator de crescimento significativo, com fluxos recordes de 306 mil milhões de dólares. E os nossos negócios de serviços de tecnologia, impulsionados pelo Aladdin®, geraram 1,3 mil milhões de dólares em receitas com um aumento de 13% num ano. “À medida que o mundo continua a navegar pela incerteza e mudanças profundas nas economias e sociedades em geral, a BlackRock continua focada em ajudar os clientes a atingir as suas metas de investimento. Cada dólar que nos é confiado, por cada cliente, é tratado com o mesmo cuidado e responsabilidade”, diz ainda o gestor. “A BlackRock entra em 2022 melhor posicionada do que nunca – continuamos confiantes na nossa capacidade de continuar a gerar crescimento orgânico e diferenciado a longo prazo e a ajudar cada vez mais pessoas a experimentar o bem-estar financeiro”, conclui.