Biden diz que a NATO está a fortalecer-se em 'terra, mar e ar' - Renascença

28/06/2022 21:31:00

Biden diz que a NATO está a fortalecer-se em “terra, mar e ar“

Biden diz que a NATO está a fortalecer-se em “terra, mar e ar“

Esta será uma "cimeira verdadeiramente histórica", que ocorre num "momento chave" para a NATO, depois da invasão russa da Ucrânia, em fevereiro passado, afirma o Presidente dos Estados Unidos.

O Presidente dos Estados Unidos, Joe Biden, disse hoje que a"unidade transatlântica" é"a maior força" contra a Rússia e que a NATO está a fortalecer-se em"terra, mar e ar" para responder a ameaças.

Biden falava ao lado do primeiro-ministro espanhol, Pedro Sánchez, no final de um encontro entre os dois à chegada do Presidente norte-americano a Madrid para participar na cimeira da Organização do Tratado do Atlântico Norte (NATO, na sigla em inglês), que decorre na quarta e na quinta-feira na capital espanhola.

Consulte Mais informação:
Renascença »

Novo conceito estratégico da NATO: Rússia passa de cooperante a hostil - RenascençaOs 30 Estados-membros da NATO re&250;nem-se durante tr&234;s dias em Madrid numa cimeira onde se repensa o papel da Organiza&231;&227;o Tratado do Atl&226;ntico Norte e as suas estrat&233;gias de defesa. Mais contributos financeiros e mais investimento na defesa; a ind&250;stria norte-americana como solu&231;&227;o; mais for&231;as junto a fronteiras hostis e a ades&227;o da Finl&226;ndia e Su&233;cia dever&225; ficar ainda por decidir.

Acordo para adesão da Suécia e Finlândia à NATO - RenascençaA Turquia alterou a sua posi&231;&227;o e aceitou a entrada dos dois pa&237;ses escandinavos na Alian&231;a Atl&226;ntica.

Biden acusa traficantes de 'horrível' morte de 50 imigrantes no Texas - Renascença"A explora&231;&227;o de indiv&237;duos vulner&225;veis para obten&231;&227;o de lucro &233; vergonhosa", afirma o Presidente dos Estados Unidos.

Biden refere que a NATO está a fortalecer-se em 'terra, mar e ar'Política - Biden refere que a NATO está a fortalecer-se em 'terra, mar e ar' FdP do soneca fala à vontade porque está longe da guerra e a indústria de armamento americana vai enchendo a carteira . Podes meter a nato na peida boneco senil

Cimeira da NATO. EUA vão anunciar reforço 'a longo prazo' do envolvimento na Europa - RenascençaPrincipal conselheiro diplom&225;tico e militar de Joe Biden afirma que um "certo n&250;mero de pa&237;ses" da Alian&231;a Atl&226;ntica tamb&233;m "prometeram aumentar as suas contribui&231;&245;es em mat&233;ria de defesa no flanco oriental".

NATO: Presidente turco vai reunir-se em Madrid com líderes da Finlândia e SuéciaA Turquia anunciou um bloqueio das candidaturas sueca e finlandesa em meados de maio, e espera-se que a questão seja um dos destaques da cimeira de Madrid

Foto: J.Foto: Reuters De que forma a invasão Russa da Ucrânia abalou a segurança europeia e a estratégia da Nato? Qual deverá ser o novo conceito estratégico e de financiamento? Como deve a Aliança enfrentar a crescente influência da China? Estas são algumas das questões que vão estar em discussão durante os próximos três dias na capital espanhola na Cimeira da NATO.Foi alcançado esta terça-feira, na cimeira de Madrid, um acordo histórico para a adesão da Suécia e Finlândia à NATO.Foto.

Guillen/EPA O Presidente dos Estados Unidos, Joe Biden, disse hoje que a"unidade transatlântica" é"a maior força" contra a Rússia e que a NATO está a fortalecer-se em"terra, mar e ar" para responder a ameaças. Biden falava ao lado do primeiro-ministro espanhol, Pedro Sánchez, no final de um encontro entre os dois à chegada do Presidente norte-americano a Madrid para participar na cimeira da Organização do Tratado do Atlântico Norte (NATO, na sigla em inglês), que decorre na quarta e na quinta-feira na capital espanhola. “Em 2010, a NATO procurava estabelecer uma relação com a Rússia de cooperação e parceira no rescaldo do que tinha acontecido em 2008 na Geórgia, nessa altura procurou-se fazer um ‘reboot’. Esta será uma"cimeira verdadeiramente histórica", que ocorre num"momento chave" para a NATO, depois da invasão russa da Ucrânia, em fevereiro passado, afirmou Biden. O convite para a adesão dos dois países vai ser formalizado na quarta-feira. "A unidade transatlântica continuará a ser a nossa maior força na resposta à Rússia", acrescentou, antes de defender que os países membros da aliança militar entre a Europa e a América do Norte devem manter-se unidos nas sanções a Moscovo e no apoio à Ucrânia, nomeadamente no aumento das capacidades de defesa de Kiev e das de dissuasão e defesa da própria NATO. Ora nada disso acontece agora e a Rússia passou a ser uma ameaça e nesta altura não se prevê qualquer relação de parceira”, explica à Renascença o Major General Carlos Branco. O Presidente norte-americano destacou que os Estados Unidos têm aumentado as suas forças militares na Europa este ano e, em concreto, na Europa do leste, tal como outro aliados. De acordo com o presidente da câmara de San Antonio, Ron Nirenberg, as vítimas mortais eram imigrantes que"estavam provavelmente a tentar encontrar uma vida melhor".

O reforço dessa presença de tropas e equipamentos vai ser debatido durante a cimeira, segundo Biden, que afirmou que os estados-membros da Aliança Atlântica estão a fortalecer a NATO"contra as ameaças do leste e os desafios do sul", numa abordagem de"360 graus", olhando para todas as regiões vizinhas. Também o Major General Raul Cunha vê como facto de maior importância neste encontro a atualização do Conceito Estratégico e não tem dúvidas que do encontro sairá “um aumento da postura militar, com a Aliança a dar a imagem de que está pronta e enfrenta qualquer ameaça . "Sempre tive a noção que na hora da verdade seria possível chegar a uma conclusão positiva. "A NATO está focada em todos os domínios e em todas as direções, terra, mar e ar", acrescentou. Em concreto com Pedro Sánchez, o Presidente dos Estados Unidos acordou aumentar o número de barcos de guerra e militares norte-americanos na base de Rota, no sul de Espanha. Contributo financeiro dos membros Um dos documentos que se espera que seja também aprovado neste encontro é o da sustentabilidade financeira da NATO e da partilha de custos entre os membros. Espanha e os Estados Unidos assinaram hoje uma nova declaração conjunta que prevê também cooperação na América latina, para"impulsionar uma agenda positiva", nas palavras de Sánchez. O primeiro-ministro espanhol congratulou-se por os EUA e a NATO estarem a"reforçar o flanco leste", na resposta à ameaça russa, mas também"a reconhecerem as ameaças do flanco sul", com a tal"estratégia de 360 graus", referindo, em concreto, a região africana do Sahel. “ Continuará a pressão sobre os países da NATO para aumentarem despesas em matéria de segurança ”, afirma o Major General Carlos Branco que acredita que o documento que será aprovado deverá seguir esta orientação de aumento da contribuição de todos os Estados Membros da Aliança, arriscando mesmo dizer que o contributo deverá passar de 2% para 2,5% do PIB. Segundo o chefe dos Bombeiros, Charles Hood, dentro do camião não havia água ou ar condicionado.

Espanha, como outros países do sul da Europa, têm chamado a atenção para estes desafios e ameaças do sul (Médio Oriente e Norte de África), relacionadas como fluxos de imigração ilegal e movimentos terroristas, reclamando que a NATO não os ignore apesar do protagonismo assumido pelo leste europeu, com a guerra na Ucrânia. Tópicos . Estados em incumprimento Em 2019 não chegavam a uma dezena os Estados-membros da NATO que contribuíam com 2% do PIB para despesa militar e de segurança.