Saúde ampliou condições especiais em contrato de entrega de vacinas infantis - ISTOÉ Independente

27/01/2022 12:01:00

A IBL não tinha experiência com transporte de vacinas no SUS e as primeiras entregas das vacinas infantis passaram por problemas como atraso de voos, falta de equipes em aeroportos e condições impróprias de armazenamento e supercongelamento de doses.

A IBL não tinha experiência com transporte de vacinas no SUS e as primeiras entregas das vacinas infantis passaram por problemas como atraso de voos, falta de equipes em aeroportos e condições impróprias de armazenamento e supercongelamento de doses.

O Ministério da Saúde estabeleceu condições especiais para a contratação sem licitação de empresa para o transporte de vacinas pediátricas contra a Covid-19. As informações são da Folha. Documentos internos do órgão mostram que a primeira versão do contrato com a IBL (Intermodal Brasil Logística), de 7 de dezembro, previa a vigência de 12 meses, […]

Saúde ampliou condições especiais em contrato de entrega de vacinas infantisO ministro da Saúde, Marcelo Queiroga durante visita ao centro de distribuição do Ministério da Saúde, em São Paulo (Crédito: Walterson Rosa/MS)Da Redação

27/01/22 - 05h59 - Atualizado em 27/01/22 - 06h00O Ministério da Saúde estabeleceu condições especiais para a contratação sem licitação de empresa para o transporte de vacinas pediátricas contra a Covid-19. As informações são da Folha.

Consulte Mais informação: Revista ISTOÉ »

CBN Em Foco - 17/08/2022

No CBN Em Foco, você acompanha uma análise aprofundada dos temas que dominam o noticiário. Um programa que tem a proposta de separar os fatos da espuma. Com ... Consulte Mais informação >>

Ministério da Saúde decide alterar nota com informações falsas sobre tratamento da Covid-19A pasta deve publicar uma nova versão da nota técnica que defendia o uso do 'kit Covid'. Após muitas críticas, será excluída a tabela que, de forma equivocada, mostra que a hidroxicloroquina teria demonstrações de segurança e efetividade, e a vacina, não.

Saúde recua e vai retirar tabela que dizia que hidroxicloroquina era segura, mas vacinas nãoA nota técnica publicada na sexta (21) contraria a OMS e a comunidade científica. Todas as vacinas em aplicação no Brasil obtiveram resultados em pesquisas científicas que comprovaram a segurança e eficácia contra a Covid-19. Meus amigos. Eu preciso da ajuda de vocês, preciso recolher o MÁXIMO de avaliações que conseguir até 23:59h. Se puderem me dar essa força Mãos dadas Apertar em 5 estrelinhas e 'postar' Comenta pra eu seguir vcs O autor da 'nota técnica' é olavista Método de sempre. Lança mentira, acena para a base rígida, depois desmente e finge que não falou. Já encheu o saco

Ministério da Saúde edita nota técnica e retira tabela antivacinaNova versão foi assinada por secretário na noite de segunda-feira

SP: Kobra doa murais a marcos da Saúde após superação na pandemiaSP: Kobra doa murais a marcos da Saúde após superação na pandemia. Além de homenagear profissionais da saúde, artista quer incentivar doação de sangue e humanizar espaço do Hospital das Clínicas 📲 PortalR7 R7 Jr24H JornaldaRecord

Pfizer inicia estudos clínicos de vacina baseada na Ômicron - Saúde - EstadãoTestes avaliam segurança do imunizante adaptado tanto como série primária quanto como dose adicional

Venda e consumo de cocaína viram problema de saúde pública na InglaterraA droga é a segunda mais apreendida no país, atrás apenas da maconha...

Geral Saúde ampliou condições especiais em contrato de entrega de vacinas infantis O ministro da Saúde, Marcelo Queiroga durante visita ao centro de distribuição do Ministério da Saúde, em São Paulo (Crédito: Walterson Rosa/MS) Da Redação 27/01/22 - 05h59 - Atualizado em 27/01/22 - 06h00 O Ministério da Saúde estabeleceu condições especiais para a contratação sem licitação de empresa para o transporte de vacinas pediátricas contra a Covid-19.DURAÇÃO: 00:02:17 Copie o código abaixo para usar no seu site: Código copiado! Ministério da Saúde.Ministério da Saúde vai retirar tabela da cloroquina de nota técnica O Ministério da Saúde informou nesta terça-feira (25) que vai alterar a nota técnica publicada na sexta-feira (21) que afirmava que as vacinas não têm demonstração de segurança (veja mais abaixo o comunicado do ministério).25.

As informações são da Folha. Documentos internos do órgão mostram que a primeira versão do contrato com a IBL (Intermodal Brasil Logística), de 7 de dezembro, previa a vigência de 12 meses, prorrogáveis por períodos sucessivos enquanto durar a declaração de emergência de saúde pública por conta da pandemia. Já a segunda minuta, que entrou no sistema da pasta em 21 de dezembro, mostra a possibilidade de um prazo prorrogável para até 5 anos, mesmo em caso de contratação emergencial, sem licitação. Tabela diz que hidroxicloroquina é segura Ministério da Saúde contraria cientistas e a OMS e diz que medicamentos sem eficácia comprovada contra a Covid funcionam, mas vacinas não A nota técnica publicada na sexta pelo Ministério da Saúde contraria a Organização Mundial da Saúde (OMS) e a comunidade científica e afirma que vacinas não têm demonstração de segurança. Segundo a Saúde, em nota, não houve mudança de entendimento e que parecer jurídico usado na análise da contratação foi “enfático” ao afirmar a viabilidade do prazo por até 5 anos. A IBL não tinha experiência com transporte de vacinas no SUS e as primeiras entregas das vacinas infantis passaram por problemas como atraso de voos, falta de equipes em aeroportos e condições impróprias de armazenamento e supercongelamento de doses. Uma nova versão da nota, assinada pelo secretário olavista Hélio Angotti Neto na noite de segunda-feira, à qual o GLOBO teve acesso, retirou a tabela que trazia a comparação entre as tecnologias.

+ O economista Paulo Gala revela os caminhos para investir bem em 2022 Anteriormente, o serviço de armazenagem e transporte de imunizantes era feito pela empresa VTCLog. Após publicação da reportagem, o Ministério da Saúde disse em nota que "em nenhum momento afirmou que o referido fármaco é seguro para tratamento da Covid-19, nem questionou a segurança das vacinas, que é atestada pela agência reguladora". Segundo a Folha, no último dia 7, a empresa foi comunicada pelo fiscal do contrato sobre a aplicação de uma multa de R$ 1,47 milhão em razão do descumprimento de indicadores de desempenho. A AGU (Advocacia-Geral da União) sobre a dispensa na licitação da contratação da empresa responsável por transportar as doses pediátricas, IBL. Saiba mais . A interpretação de que ela afirma existência de evidências para o medicamento cloroquina e não existência de evidências para vacinas é errada e descontextualizada".