Utao, Prr, Unidade Técnica De Apoio Orçamental, Governo, Governo, Oe, União Europeia

Utao, Prr

UTAO diz que sem PRR, reforço do investimento baixa em 2022

Os peritos em contas públicas, que dão apoio ao Parlamento, assinalam que a proposta de OE 2022 prevê um reforço de 2.178 milhões de euros no investimento público

21/10/2021 14:03:00

Os peritos em contas públicas, que dão apoio ao Parlamento, assinalam que a proposta de OE 2022 prevê um reforço de 2.178 milhões de euros no investimento público

Os peritos em contas públicas, que dão apoio ao Parlamento, assinalam que a proposta de OE 2022 prevê um reforço de 2.178 milhões de euros no investimento público. Mas grande parte são fundos comunitários.

E usufrua de todas as vantagens de ser assinanteSem contar com as verbas que hão-de chegar da União Europeia para financiar o investimento no próximo ano, o Orçamento do Estado para 2022 prevê um reforço do investimento mais pequeno do que o previsto para este ano. A conclusão é da Unidade Técnica de Apoio Orçamental (UTAO) e consta da análise preliminar ao OE 2022, enviada esta quinta-feira aos deputados, e a que o Negócios teve acesso.

Covid-19: Portugal quer doar seis milhões de vacinas aos países lusófonos Vacinas são eficazes contra a variante ómicron, garante OMS Bola de fogo observada no céu no sul de Portugal a 100 mil km/h

Os peritos em contas públicas, que dão apoio ao Parlamento, explicam que a proposta de OE 2022 prevê um reforço de 2.178 milhões de euros no investimento público, o equivalente a um aumento de 31,5%, que tem sido destacado pelo Governo. Porém, acrescentam que deste montante, 1.194 milhões de euros correspondem a gastos do Programa de Recuperação e Resiliência (PRR), ou seja, são fundos europeus.

"Descontando a despesa prevista com a implementação do PRR, o crescimento do investimento público previsto para 2022 reduz-se para 1.325 milhões de euros, ficando 59 milhões de euros abaixo do acréscimo estimado para 2021", lê-se no documento. headtopics.com

A UTAO explica que a evolução esperada no OE 2022 para a despesa (uma subida de 5,8%) está muito influenciada pela redução dos gastos com medidas relacionadas com a Covid-19, que é quase compensada pela implementação do PRR.

Os três principais riscos para o OE 2022No documento, a UTAO sublinha três riscos para o próximo ano. Primeiro, assinala que o crescimento económico pode ficar aquém do projetado pelo Governo. O controlo da pandemia pode não ser eficaz, as matérias-primas poderão continuar a faltar nos mercados internacionais, e os custos dos transportes e da transição energética poderão revelar-se mais penalizadores."Menor PIB nominal trará menos receita e maior despesa por ação dos estabilizadores automáticos", frisa o documento.

O segundo risco tem que ver com a possibilidade de haver uma"inversão na orientação da política monetária da Área do Euro", uma hipótese que se coloca caso a alta da inflação se revele mais duradoura e as expectativas de inflação subam também. Nesse caso, com uma política menos acomodatícia do BCE, será de esperar um impacto negativo nos juros a pagar pelas administrações públicas e, por consequência, no saldo orçamental.

Por fim, a UTAO lembra que as regras orçamentais deverão regressar em 2023, criando um enquadramento pior para os países mais endividados."Mesmo que as regras orçamentais numéricas regressem numa versão mitigada, a partir de 2023 os Estados-membros mais endividados ou com défices observados mais elevados ou estruturais mais distantes do objetivo de médio prazo enfrentarão condições mais difíceis de consolidação do que no contexto atual sem regras de cumprimento obrigatório", argumentam os peritos."Logo", continuam,"consolidação que não se faça nas condições menos exigentes de 2022 (tanto por causa da derrogação geral das regras como por causa da presente postura expansionista da política monetária) terá que ser feita com menos graus de liberdade em 2023 e anos seguintes", avisam. headtopics.com

Covid-19: OMS considera que vacinas são eficazes contra a variante Ómicron Rio afasta das listas de deputados todos os apoiantes de Rangel. Veja os candidatos Conselho da Europa pede esclarecimentos à Polónia após decisão do Tribunal Constitucional Consulte Mais informação: Jornal de Negócios »

O Futuro do PSD

Escolhemos seis questões que determinam o futuro do PSD e sobre elas questionámos os dois candidatos a presidente do partido, que será eleito a 27 de Novembro

OE 2022: primeiro-ministro reúne-se hoje com PCP e Bloco de EsquerdaBloco de Esquerda enviou ontem as nove propostas que quer ver incluídas no orçamento. Bom proveito...

OE 2022: Presidente da República volta a insistir que é preciso prevenir uma crise política'Desejável é não haver crise', diz Marcelo.

OE 2022: ainda não há acordo entre Bloco de Esquerda e GovernoOE 2022: Ainda não há acordo entre Bloco de Esquerda e Governo

OE 2022: PAN reúne-se com primeiro-ministro na quarta-feiraDecisão do fim de semana será tida em sede de reunião da Comissão Política Nacional.

OE 2022: alterações à lei laboral aquém das exigências do Bloco de EsquerdaTema esteve em discussão na concertação social.

PAN exige acordo escrito do Governo para viabilizar OE 2022O partido esteve reunido com o primeiro-ministro ao início da tarde desta quarta-feira. Sem um memorando de entendimento com compromissos para a especialidade, não há entendimento, indica Inês de Sousa Real.