PSI-20 abre com energia na véspera do fim-de-semana

03/12/2021 11:40:00

PSI-20 abre com energia na véspera do fim-de-semana

PSI-20 abre com energia na véspera do fim-de-semana

As praças do Velho Continente abriram com valorizações a sessão desta sexta-feira. Por cá, a energia, que fez as ações afundarem na sessão anterior, é quem mais impulsiona

JornalistaA última sessão da semana arrancou em alta no PSI-20. Esta sexta-feira, o índice de referência português abriu a subir 0,64% para os 5458,58 pontos, seguindo a mesma tendência das suas congéneres europeias.

A Semapa estava à cabeça das valorizações, crescendo 1,72% para os 11,86 euros, porém com apenas uma ação negociada.A energia,depois de ter pressionado o índice na sessão de quinta-feira, cotava em alta. A Galp Energia crescia 1,21% para os 8,56 euros. A EDP Renováveis 0,74% para os 21,86 euros. A empresa-mãe EDP apreciava 0,29% para os 4,76 euros. E a Greenvolt avançava 0,5%% para os 6,07 euros.

Consulte Mais informação: Expresso »

Sol da Caparica na RTP | Extra | RTP

Os artigos da TV e da Rádio no entretenimento, música, comédia, ficção, artes e espetáculo no universo RTP Consulte Mais informação >>

PSI-20 fecha no vermelho com EDP Renováveis a cair mais de 3,7%A bolsa de Lisboa fecha a sessão desta quinta-feira em terreno negativo, num dia em que a EDP Renováveis liderou as quedas, ao ceder 3,73%.

Elétricas mantém PSI-20 no 'vermelho' a meio da sessãoPraça lisboeta está agora a cair 1,51%, para 5.409,80 pontos nesta quinta-feira, seguindo a tendência das suas congéneres europeias.

PSI-20 abre no vermelho com BCP e EDP Renováveis a tombarem mais de 1%Das 19 cotadas da bolsa nacional, 13 estão a cair e apenas três estão a registar ganhos. O BCP é a cotada que mais perde, com uma desvalorização de 1,31%. Na Europa, a abertura foi também em baixa, numa altura de grande volatilidade nas negociações.

Covid-19: 20 pessoas multadas no Aeroporto de Lisboa e três em Faro por falta de teste negativoA maior parte dos passageiros diz que o controlo está a ser rápido e eficaz.

PSI-20 abre no vermelho com BCP e EDP Renováveis a tombarem mais de 1%Das 19 cotadas da bolsa nacional, 13 estão a cair e apenas três estão a registar ganhos. O BCP é a cotada que mais perde, com uma desvalorização de 1,31%. Na Europa, a abertura foi também em baixa, numa altura de grande volatilidade nas negociações.

PSI-20 fecha no vermelho com EDP Renováveis a cair mais de 3,7%A bolsa de Lisboa fecha a sessão desta quinta-feira em terreno negativo, num dia em que a EDP Renováveis liderou as quedas, ao ceder 3,73%.

Pedro Carreira Garcia Jornalista A última sessão da semana arrancou em alta no PSI-20.Assine para partilhar E usufrua de todas as vantagens de ser assinante A bolsa de Lisboa fechou a sessão desta quinta-feira em terreno negativo, a acompanhar as quedas que também pautaram o dia na Europa.O principal índice bolsista português, PSI 20, encontra-se a meio da sessão desta quinta-feira a desvalorizar 1,17%, para 5.Assine para partilhar E usufrua de todas as vantagens de ser assinante A bolsa portuguesa abriu esta quinta-feira no"vermelho", em linha com as principais praças europeias que estão ainda a ser penalizadas pela nova variante da covid-19.

Esta sexta-feira, o índice de referência português abriu a subir 0,64% para os 5458,58 pontos, seguindo a mesma tendência das suas congéneres europeias. A Semapa estava à cabeça das valorizações, crescendo 1,72% para os 11,86 euros, porém com apenas uma ação negociada. O PSI-20 caiu 0,92% para 5. A energia, depois de ter pressionado o índice na sessão de quinta-feira , cotava em alta. Com sinal ‘vermelho’ estão também a Greenvolt que desce 1,30%, para 6,09 euros, a petrolífera Galp que desvaloriza 1,06%, para 8,39 euros, a Jerónimo Martins que cai 1,16%, para 19,18 euros e a Navigator que desce 0,76%, para 3,12 euros. A Galp Energia crescia 1,21% para os 8,56 euros. A EDP Renováveis liderou as quedas em Lisboa, ao depreciar 3,73% para 21,70 euros, num dia em que o setor das"utilities" caiu mais de 2% na Europa. A EDP Renováveis 0,74% para os 21,86 euros. Por ser um ativo mais sensível ao risco, o setor da banca tem sido um dos mais penalizados pela incerteza provocada pela ómicron, a nova variante da covid-19.

A empresa-mãe EDP apreciava 0,29% para os 4,76 euros. No caso da EDPR, o Deutsche Bank elevou o preço-alvo para 24 euros por ação , o que reflete um potencial de 10,5% face ao preço de fecho desta quinta-feira. O selloff é generalizado, com o sector tecnológico (tomba mais de 3%) a sentir muita pressão depois de ontem em Wall Street o Nasdaq 100 ter invertido os ganhos, encerrando a perder mais de 1,5%, perante o endurecimento do discurso da Fed”, refere o analista de mercados do Millenium investment banking, Ramiro Loureiro. E a Greenvolt avançava 0,5%% para os 6,07 euros. A Jerónimo Martins subia 0,93% para os 19,52 euros, ao passo que a sua congénere no retalho, a Sonae, apreciava 0,42% para os 0,95 euros. A nota de research do Deutsche Bank, assinada pelo analista Olly Jeffery, mantinha a recomendação de"buy" para a EDP, mas elevou o preço-alvo das ações da companhia para 5,6 euros, um potencial de 17,99% face ao preço de fecho desta sessão. O BCP, por sua vez, subia 0,14% para os 0,15 euros. A cotação do barril de Brent valoriza 1,22%, com valor de 69,72 dólares, enquanto a cotação do crude WTI cresce 1,24%, para 66,41 dólares por barril. A Ibersol e a Nos eram as únicas cotadas a apresentar perdas na manhã desta sexta-feira, recuando 0,74% e 0,36%, respetivamente, para os 5,36 euros e 3,33 euros. Ainda no setor da energia, a REN valorizou 0,4% para 2,49 euros. Os investidores estão a digerir também as declarações do presidente da Fed, Jerome Powell, que veio alertar que a inflação não deverá ser apenas"temporária", como têm defendido os bancos centrais, e que deve ser ponderada uma retirada mais rápida de estímulos à economia.

Na Europa, o índice Stoxx 600 apreciava 0,61% momentos após início de negociação, recuperando parcialmente face às perdas do dia anterior. . Já entre as papeleiras, a Navigator fechou também no"vermelho", a cair 0,57% para 3,12 euros, enquanto a Ramada cedeu 0,31% para 6,48 euros e a Altri esteve em terreno positivo, a valorizar 0,69% para 5,12 euros.