Pan, Assembleia Da República, Bloco De Esquerda Maria Manuel Rola, Parlamento

Pan, Assembleia Da República

Proibição das corridas de cães galgos será debatida em especialidade no parlamento

Política - Proibição das corridas de cães galgos será debatida em especialidade no parlamento

22/10/2021 18:08:00

Política - Proibição das corridas de cães galgos será debatida em especialidade no parlamento

Tema chegou ao parlamento depois de uma iniciativa de cidadãos a pedir a proibição das corridas de cães em Portugal e que conseguiu mais de 21 mil assinaturas.

GalgosFOTO: Getty ImagesA proibição das corridas de cães galgos será discutida em sede de comissão parlamentar depois de o assunto ter sido esta sexta-feira debatido em plenário na Assembleia da República.O tema chegou ao parlamento depois de uma iniciativa de cidadãos a pedir a proibição das corridas de cães em Portugal e que conseguiu mais de 21 mil assinaturas.

Alemanha. Estudo apura que maioria dos contágios vem de pessoas não-vacinadas Namorado de Sara Carreira conduzia a 128 quilómetros por hora Pelo menos 274 milhões de pessoas vão precisar de ajuda humanitária em 2022

Segundo a iniciativa de cidadãos, em Portugal estão identificadas seis pistas amadoras, onde são promovidas corridas de cães num campeonato nacional, existindo registo destas corridas, ao longo do ano, em Vila Nova de Famalicão, Póvoa de Varzim, Vila do Conde, Bombarral, Alenquer e Cuba do Alentejo.

Hoje os deputados debateram em plenário o projeto de lei da iniciativa legislativa de cidadãos assim como outros três projetos relativos à mesma matéria do Partido das Pessoas, dos Animais e da Natureza (PAN), do Bloco de Esquerda (BE) e da deputada não inscrita Cristina Rodrigues. headtopics.com

Apenas o projeto do PAN baixou à 7ª comissão parlamentar (Agricultura e Mar) para debate na especialidade com a aprovação de um requerimento que o permitia fazer sem votação.Os restantes projetos, incluindo o da iniciativa de cidadãos, foram rejeitados.

Na sua proposta que segue agora para a comissão parlamentar por 60 dias, o PAN defende que quem promover, por qualquer forma, as corridas de cães, nomeadamente através da organização de evento, divulgação, venda de ingressos, fornecimento de instalações, prestação de auxílio material ou qualquer outra atividade dirigida à sua realização, é punido com pena de prisão até 2 anos ou com pena de multa.

Já quem participar, por qualquer forma, com animais em corridas é punido com pena de prisão até 1 ano ou com pena de multa.No debate das propostas a deputada do PAN Inês Sousa Real defendeu que"os projetos hoje apresentados e a mobilização cívica em volta deste assunto demonstram bem a extrema crueldade das corridas de cães e a vontade que existe na sociedade portuguesa em travar estes negócios e esta atividade cruel".

Já para a deputada do Bloco de Esquerda Maria Manuel Rola as corridas de cães contrariam a legislação e as políticas de proteção de maus-tratos a animais defendendo que o projeto que o seu partido apresentou, e que foi rejeitado,"pretende a mitigação destes maus tratos e contribuir para a redução do numero de apostas ilegais uma pratica comum nas corridas de cães em Portugal". headtopics.com

Covid-19. Bruxelas espera que Portugal reavalie exigência de teste aos passageiros na UE Preço dos combustíveis: “Andam a ganhar dinheiro connosco de uma forma absolutamente vergonhosa” Marcelo rejeita novo estado de emergência argumentando que situação hoje 'é diferente' de há um ano (com áudio)

As propostas receberam duras críticas por parte do deputado social-democrata João Marques que considera ter estado em debate"o desconhecimento e deturpação de factos" considerando que a legislação proposta"é incoerente, desnecessária e um atentado à natureza animal".

João Dias deputado do PCP disse, por seu turno, que as propostas deram a conhecer a realidade de muitos países para justificar uma realidade que não é de Portugal, alertando que já existe uma lei de prevenção dos maus-tratos (artigo 387 do Código Penal) e que define os comportamentos a serem punidos.

"Proibir duas vezes não proíbe mais. Temos é de responder as necessidades de regulação. Cumpra-se a lei e crie-se condições para cumprir a lei", defendeu o deputado comunista.Mariana Silva, do Partido Ecologista Os Verdes, defendeu que as propostas em debate pretendiam, por caminhos diversos, acabar com o sofrimento ilegal e as práticas consideradas ilegais e desrespeitadores dos direitos dos animais.

Consulte Mais informação: Correio da Manhã »

Novo estudo sobre a origem da Covid-19 aponta para mercado de Wuhan

As alucinadas do bloco canhoto e a bruxa do pan a manipularem o monhé no momento certo.. O resto dos problemas q dizem respeito a sobrevivência das pessoas logo se vê.. Grandes anormais 😵😵😵 Pin pan pum! Otários!! Este governo tem de cair Ainda bem que não temos nenhum problema grave para resolver e nos sobra tempo para debater estas questões mais lúdicas.

Líderes voltarão ao tema da energia, mas “só se for necessário”Cinco horas de discussão no Conselho Europeu não foram suficientes para produzir um consenso sobre as medidas para conter a subida dos preços da electricidade.

Guitarrista Bruno Chaveiro estreia-se como cantor com o tema “Incerteza”

Parlamento volta a discutir fim das corridas de cãesMais de 20 mil cidadãos apresentaram projeto para proibir. PAN , BE e Cristina Rodrigues juntaram-se.

A minha experiência na Maratona de Berlim: Be a Berlin LegendHistórias de superação - A minha experiência na Maratona de Berlim: Be a Berlin Legend

Parlamento Europeu fixa Orçamento da UE para 2022 em 171,8 mil milhões de eurosOs eurodeputados inverteram assim a maioria dos cortes feitos pelo Conselho (1,43 mil milhões de euros), restaurando o financiamento proposto pela Comissão Europeia para programas considerados chave.

Extinção do SEF votada hoje na Assembleia da RepúblicaVotação final acontece depois de a proposta do PS e do BE ter sido votada na quarta-feira em sede de especialidade com os votos a favor destes dois partidos.