O BE está pronto para votar contra o OE, Ana Catarina Mendes reage: não é momento para 'chantagens', isto é pôr o país nas 'mãos da direita'

'É estarmos a deitar por terra o reforço do Estado Social', diz ainda a presidente do grupo parlamentar do PS

24/10/2021 21:15:00

O BE está pronto para votar contra o OE, Ana Catarina Mendes reage: não é momento para “chantagens“, isto é pôr o país nas “mãos da direita“

'É estarmos a deitar por terra o reforço do Estado Social', diz ainda a presidente do grupo parlamentar do PS

A presidente do grupo parlamentar do PS, Ana Catarina Mendes, considerou hoje que quem votar contra o Orçamento do Estado quer empurrar o país para"as mãos da direita" e"deitar por terra o reforço do Estado Social".

Ferro Rodrigues despede-se da AR: 'Maior honra da minha vida' foi ser presidente do Parlamento Francisco Louçã: ''Rangel é mau em campanhas eleitorais'' «Nós somos o Bayern, tu não»: Assembleia Geral do clube alemão a 'ferro e fogo'

"Quando estamos a falar neste momento da possibilidade de votos contra um Orçamento do Estado como este, que mais uma vez volta a ser um Orçamento do Estado à esquerda, é estarmos a deitar por terra o reforço do Estado Social, é estarmos a dizer aos trabalhadores (...) que deixam de ser valorizados nos seus salários, que deixa de haver um aumento do Salário Mínimo Nacional ou que deixa de ser possível (...), por exemplo, a indemnização compensatória por despedimento, sobretudo no combate à precariedade e nos contratos de trabalho a termo", afirmou.

Ana Catarina Mendes, que falava no encerramento do congresso da Corrente Sindical Socialista da CGTP-IN, em Lisboa, considerou que o país está a sair"do momento mais crítico da crise sanitária, que provocou uma crise social que não teve os efeitos trágicos da crise anterior" devido sobretudo à"resposta de um Governo de esquerda liderado pelo Partido Socialista". headtopics.com

"Este é um momento que não é compatível com chantagens", disse, considerando também que é um"momento particularmente difícil e um momento particularmente exigente para Portugal e sobretudo, sobretudo, muito exigente para os socialistas".

Falando para uma plateia de dirigentes de sindicatos, Ana Catarina Mendes considerou que a"luta sindicalista é cada vez mais necessária" numa altura"em que outros acham que podem empurrar o país para as mãos da direita outra vez".

"Nós sabemos bem quais são as receitas que a direita tem", acrescentou, referindo a política de"desvalorizar" os trabalhadores, os sindicatos e a negociação coletiva. Consulte Mais informação: Expresso »

O Futuro do PSD

Escolhemos seis questões que determinam o futuro do PSD e sobre elas questionámos os dois candidatos a presidente do partido, que será eleito a 27 de Novembro

Se estivesse outro partido a governar, a opinião da senhora seria outra. Fala como se o PS fosse esquerda e quem não é PS não é recomendável. Que democrata é está sr.... Bela merda q a esquerda da Ana Catarina Mendes é. 20 anos de estagnação, de miséria! Quase a borrar a cueca q ela está. Está com medo de eleições e que haja quem vote na direita? Entendi bem? Que bela democrata!

O PS não é de esquerda. E o que a Catarina Mendes diz não é chantagem?Porventura os portugueses que não votam no PS, PCP e BE são menos que os outros?

OE 2022: Costa recebe PCP e Bloco de EsquerdaPrimeiro-ministro recebe PCP e BE para tentar chegar a acordo sobre Orçamento do Estado para 2022 Acabem lá com o teatro e vamos empobrecer mais um pouco este Portugal marxista 🙁🙁 Os horários dos vossos programas estão todos errados na agenda que enviam à Vodafone !! É irritante pois nunca vemos os programas do início senão em directo !! E nem todos podem ver em directo !! E ponham um meio de comunicar falhas no site!!

OE 2022: Governo em conferência de imprensaOE 2022: Governo convoca conferência de imprensa Já está? Só acredito no momento em que o disserem claramente. Estou em suspense.

Webinar OE 2022: O impacto nas empresas | Jornal Económico & EYConheça o que o Orçamento do Estado para 2022 propõe em termos de apoio e medidas dirigidas às empresas, neste webinar.

Sem resposta aos problemas do país não haverá OE, diz PCP | Jornal EconómicoOs comunistas referem que a posição “de resistência e recusa” do Governo contrasta com anos anteriores e impede “aproximações” reais.

OE 2022: BE diz que respostas do Governo às propostas são inexistentes ou insuficientesCatarina Martins critica falta de empenho e vontade do Executivo, cujo otimismo sobre as negociações não partilha.

OE 2022: Costa admite continuar a governar em caso de chumboCosta salienta 'avanços' e espera 'espírito construtivo' dos parceiros negociais. Obviamente que Costa admite continuar a governar mesmo que o orçamento não seja aprovado, aliás, o mais provavelmente vai ser ter de se chamar a polícia para sair de São Bento para correr com ele Mas é claro até novas eleições, onde está a notícia? Ele tem é q perguntar como a outra querem isto tudo e vão buscar o dinheiro onde?