EDP, Greenvolt, Bondalti e antigas acionistas apresentaram propostas para converter central do Pego

19/01/2022 01:26:00

A Endesa e a Tejo Energia, antigas donas da central a carvão, também apresentaram propostas.

EDP, Greenvolt, Bondalti e antigas acionistas apresentaram propostas para converter central do Pego

A Endesa e a Tejo Energia, antigas donas da central a carvão, também apresentaram propostas.

Seis empresas apresentaram proposta para a conversão da antiga central a carvão do Pego, no distrito de Santarém, incluindo as duas antigas acionistas: a Endesa e a Tejo Energia.“O concurso público para a atribuição do ponto de injeção na Rede Elétrica de Serviço Público (RESP) da Central Termoelétrica do Pego, em Abrantes, recebeu seis propostas: Tejo Energia SA, EDPR SGPS, GreenVolt, Endesa SA, Brookfield Ltd & Bondalti SA e Voltalia SA”, disse hoje o ministério do Ambiente em comunicado.

Consulte Mais informação:
Jornal Económico »

PSI-20 segue no 'vermelho' com quebras da EDP Renováveis e GreenvoltPraça lisboeta está agora a cair 0,08%, para 5.630,49 pontos nesta terça-feira, seguindo a tendência das suas congéneres europeias.

EDP e Endesa na corrida à Central do Pego - RenascençaA Central fechou portas no dia 30 de novembro. Governo falava 'duplo bom negócio' e em colocação dos trabalhadores em novos postos no prazo de um ano.

EDP e Endesa apresentam propostas à reconversão da Central do PegoO prazo do concurso público promovido pelo Governo para a atribuição do ponto de ligação à rede elétrica da Central Termoelétrica do Pego, em Abrantes, terminou na segunda-feira às 23:59, após quase quatro meses aberto para receção de candidaturas.

EDP e Endesa na corrida à reconversão da Central do PegoA EDP e a Endesa confirmaram que estão na corrida à reconversão da central do Pego, Abrantes, cuja produção termoelétrica a carvão encerrou oficialmente em 30 de novembro.

BCP e grupo EDP fazem bolsa portuguesa perder terrenoNuma Europa maioritariamente negativa, o PSI20 iniciou a sessão a desvalorizar 0,20%, pressionado pelo grupo EDP e pelo BCP.

Bolsa cai pela 3.ª sessão com EDP Renováveis e BCP a pesaremPraça de Lisboa não foi a única praça a fechar a sessão no vermelho na Europa, com o Stoxx 600 a cair cerca de 0,8%.

Paulo Cunha/Lusa Seis empresas apresentaram proposta para a conversão da antiga central a carvão do Pego, no distrito de Santarém, incluindo as duas antigas acionistas: a Endesa e a Tejo Energia.O principal índice bolsista português, PSI 20, encontra-se a meio da sessão desta terça-feira a desvalorizar 0,08%, para 5.Ver mais O Governo iniciou um processo de concurso público para a atribuição do ponto de ligação à rede elétrica, que abriu o prazo para receção de candidaturas em 20 de setembro.Fechar Subscreva a nossa newsletter e tenha as notícias no seu e-mail todos os dias Subscrever Muito obrigado pelo seu registo.

“O concurso público para a atribuição do ponto de injeção na Rede Elétrica de Serviço Público (RESP) da Central Termoelétrica do Pego, em Abrantes, recebeu seis propostas: Tejo Energia SA, EDPR SGPS, GreenVolt, Endesa SA, Brookfield Ltd & Bondalti SA e Voltalia SA”, disse hoje o ministério do Ambiente em comunicado. Quem ganhar este concurso vai ter a possibilidade de ligar à rede projetos de energia com uma capacidade de até 628 megawatts (MW), a potência da antiga central a carvão. A fazer descer o PSI 20 estão entre as principais cotadas portuguesas a EDP Renováveis que tomba 3,37%, para 18,63 euros, a Greenvolt que deprecia 0,98%, para 6,04 euros e a Navigator que desvaloriza 1,03%, para 3,28 euros. A central localizada a 150 quilómetros de Lisboa tem uma potência instalada de cerca de 630 megawatts (MW). O adjudicatário do direito de reserva de capacidade de injeção na Rede Elétrica de Serviço Público (RESP) deverá ser notificado pela DGEG em 23 de fevereiro, dois dias úteis após o encerramento da fase de avaliação. O terreno onde se encontra a central a carvão é detido pela Tejo Energia e tem um total de 300 hectares, com 20/30 hectares a serem ocupados pela central de ciclo combinado de gás natural (ElecGás, detida em partes iguais pela Endesa e pela TrustEnergy). A negociar com sinal ‘verde’ estão a meio da sessão ao BCP que cresce 0,78%, para 0,16 euros, a EDP que sobe 0,31%, para 4,50 euros, a petrolífera Galp que valoriza 1,49%, para 9,97 euros e a Jerónimo Martins que impulsiona 1,08%, para 21,43 euros. O restante terreno é ocupado pela central a carvão, o parque de carvão e o de cinzas. O adjudicatário do direito de reserva de capacidade de injeção na Rede Elétrica de Serviço Público (RESP) deverá ser notificado pela DGEG em 23 de fevereiro, dois dias úteis após o encerramento da fase de avaliação.

O desmantelamento da central tem a duração de três a quatro anos, sendo necessário um investimento de 40 milhões de euros pelo consórcio para desmantelar a infraestrutura e descontaminar solos, segundo explicou anteriormente ao JE o líder da Endesa Portugal, Nuno Ribeiro da Silva. O sector energético é umas das exceções, ainda que valorize somente 0,2%, impulsionado pelas subidas dos preços do petróleo, após notas de que a Rússia poderá conseguir entregar apenas metade dos aumentos programados nos próximos seis meses, bem como os ataques de rebeldes do Yemen nos Emirados Árabes Unidos, que é o terceiro maior produtor membro da OPEP”, refere o analista de mercados do Millenium investment banking, Ramiro Loureiro. Tópicos. Já a central a carvão a gás natural (detida também pela Tejo Energia e Endesa) com 800 megawatts de potência vai continuar em atividade até 2035. O ministério do Ambiente explica que “no calendário do processo incluem-se a análise e avaliação, que culmina com relatório preliminar do júri a publicar no sítio da Internet da Direção Geral de Energia e Geologia a 7 de fevereiro, ou seja, 15 dias úteis após prazo de apresentação das candidaturas; ponderação, pelo júri, das observações formuladas pelos concorrentes e elaboração de relatório final de análise das propostas até 21 de fevereiro e notificação, a realizar pela DGEG ao adjudicatário, do direito de reserva de capacidade de injeção na RESP até 25 de fevereiro”. Em Espanha, o IBEX35 desvaloriza 0,51% e o italiano FTSE MIB diminui 0,82%. O Município de Abrantes, a Comunidade Intermunicipal do Médio Tejo e a Comissão de Coordenação e Desenvolvimento Regional de Lisboa e Vale do Tejo fizeram parte da Comissão de Avaliação que apreciou os projetos submetidos a concurso, cujo prazo terminou na segunda-feira. “O procedimento concorrencial tem como objeto a adjudicação de um projeto exclusivamente focado na produção de energia de fontes renováveis e na redução de emissões de gases com efeito de estufa. No mercado cambial o euro desvaloriza 0,18%, para 1,13 dólares.

O projeto pode assumir várias formas: produção de eletricidade renovável, produção de gases renováveis, produção de combustíveis avançados e/ou sintéticos (ou um mix destes), sendo ainda valorizada a inclusão de soluções de armazenamento de energia”, explica a tutela. “De acordo com o programa de concurso serão privilegiadas propostas que se distingam ao nível da criação de valor económico para a região, partilhem eletricidade renovável produzida com o Município de Abrantes, financiem programas de formação e reconversão profissional, a manutenção dos postos de trabalho existentes e que impliquem um menor hiato temporal entre o término da atividade da Central a carvão e o novo projeto. O adjudicatário terá ainda de fixar a sua sede social no concelho de Abrantes e operacionalizar uma zona piloto destinada às novas tecnologias de Investigação e Desenvolvimento (I&D) de energias renováveis”, segundo o comunicado. .