Crise no Brasil. Bolsonaro convoca manifestação a favor dele próprio e contra o Congresso

Jair Bolsonaro, Manifestação, Lula Da Silva, Fernando Henrique Cardoso

Crise no Brasil. Bolsonaro convoca manifestação a favor dele próprio e contra o Congresso

Jair Bolsonaro, Manifestação

2/26/2020

Crise no Brasil. Bolsonaro convoca manifestação a favor dele próprio e contra o Congresso

Presidente da república partilha em grupo de WhatsApp convocatória para um ato a favor dele próprio e contra os demais poderes institucionais. Subscritor do impeachment de Dilma diz ao DN que o caso tem matéria para destituição. Fernando Henrique Cardoso , Lula da Silva, Ciro Gomes, juízes do Supremo e deputados reagem alarmados.

e receba as informações em primeira mão. Subscrever Assinam a convocatória, além de Bolsonaro, o ministro do gabinete de segurança institucional Augusto Heleno, com referência às patentes militares de ambos -"Gen Heleno" e"Cap Bolsonaro". Bolsonaro não nega ter feito a partilha mas considera-a de"cunho pessoal"."Tenho 35 milhões de seguidores nas minhas mídias sociais, com notícias não divulgadas por parte da imprensa tradicional. No WhatsApp, algumas dezenas de amigos onde trocamos mensagens de cunho pessoal. Qualquer ilação fora desse contexto são tentativas rasteiras de tumultuar a República" , escreveu. Como mote para a manifestação estão conflitos entre o governo e o Congresso Nacional do Brasil, país que viveu sob ditadura militar de 1964 a 1985, a propósito de questões orçamentárias - os congressistas insistem em gerir 30 mil milhões de reais dos 80 mil milhões disponíveis para investimento em 2020. Na semana passada, o General Heleno fora gravado pelo próprio sistema de áudio do Palácio do Planalto numa cerimónia pública a dizer que não aceitava"chantagens do Congresso", terminado com a interjeição"foda-se!" que deu que falar nos dias seguintes. Afronta ao exercício dos poderes da república Ouvido pelo DN, o jurista Miguel Reale Junior, um dos três proponentes do impeachment de Dilma Rousseff diz que há motivo para pedir a destituição de Bolsonaro com base neste episódio."Esse vídeo que o presidente partilhou pelo WhatsApp é altamente preocupante porque há um endeusamento da sua figura, colocando-o como o grande salvador do Brasil, colocando os demais políticos como inimigos do país aos quais deve ser proibido o exercício da política porque Bolsonaro é o único que poderá defender os interesses da população". "Ele confronta-se a si mesmo com os demais poderes constituídos nesse vídeo, nomeadamente o legislativo, ora isto, sem dúvida nenhuma, é contrário ao que está estabelecido no artigo 85 da constituição, no qual se diz que constitui hipótese de impeachment a afronta ao exercício dos poderes da república", sublinha. Os antigos presidentes Lula da Silva e Fernando Henrique Cardoso (FHC) foram dos primeiros a reagir à convocação da manifestação." É uma crise institucional de consequências gravíssimas (...) calar seria concordar. Melhor gritar enquanto se tem voz", escreveu FHC. Para Lula,"é urgente que o Congresso Nacional, as instituições e a sociedade se posicionem diante de mais esse ataque para defender a democracia"."Bolsonaro e o general Heleno estão provocando manifestações contra a democracia, a constituição e as instituições, em mais um gesto autoritário de quem agride a liberdade e os direitos todos os dias. É urgente que o Congresso Nacional, as instituições e a sociedade se posicionem diante de mais esse ataque para defender a democracia. O que o Brasil precisa é de gerar empregos, tirar o povo da pobreza. Bolsonaro nunca combinou com democracia. É um falso patriota que entrega a nossa soberania aos Estados Unidos e condena o povo à pobreza. Um falso moralista que acoberta o [assessor do filho Flávio, suspeito de corrupção] Fabrício Queiroz e outros corruptos e criminosos". "Bolsonaro e o general Heleno estão provocando manifestações contra a democracia, a constituição e as instituições, em mais um gesto autoritário de quem agride a liberdade e os direitos todos os dias" O próprio general Santos Cruz, ministro demitido do atual governo em junho por conflito com um dos filhos do presidente, o vereador do Rio de Janeiro Carlos Bolsonaro, protestou contra o uso de imagens das forças armadas na convocatória." É uma irresponsabilidade. O exército brasileiro é uma instituição de Estado, de defesa da pátria e de garantia dos poderes constitucionais, da lei e da ordem. Confundir o exército com alguns assuntos temporários de governo, partidos políticos e pessoas é usar de má-fé, mentir, enganar a população". O ex-candidato três vezes à presidência e ex-ministro Ciro Gomes considerou"criminoso" incitar a população com"mentiras contra as instituições democráticas" e pediu reação do Congresso. O governador do Maranhão, Flávio Dino, considerado presidenciável no campo da esquerda em 2022, disse que é"extremamente grave que altas autoridades civis e militares estejam apoiando atos políticos contra os Poderes Legislativo e Judiciário". "Devemos repudiar com veemência qualquer ato que desrespeite as instituições e os pilares democráticos do país. Lamentável o apoio do presidente Jair Bolsonaro a uma manifestação contra o Congresso Nacional", escreveu o governador João Doria na reede social Twitter. O ex-aliado do presidente, com quem rompeu no ano passado, lembrou que"o Brasil lutou muito para resgatar a sua democracia". Juiz do Supremo: Bolsonaro"não está à altura do cargo" Para Celso de Mello, o mais antigo dos juízes do Supremo, esta é a prova de que Bolsonaro"não está à altura do altíssimo cargo que exerce". "A face sombria de um presidente da República que desconhece o valor da ordem constitucional, que ignora o sentido fundamental da separação de poderes, que demonstra uma visão indigna de quem não está à altura do altíssimo cargo que exerce e cujo ato de inequívoca hostilidade aos demais poderes da república traduz gesto de ominoso desapreço e de inaceitável degradação do princípio democrático". O deputado de oposição Alessandro Molon propôs reunião de emergência entre os presidentes da Câmara, Rodrigo Maia, do Senado, Davi Alcolumbre (DEM-AP), e líderes parlamentares dos partidos para decidir o que fazer diante das manifestações do presidente Jair Bolsonaro contra o Congresso."Temos que parar Bolsonaro! Basta! As forças democráticas deste país têm que se unir agora. Já! É inadiável uma reunião de forças contra esse poder autoritário. Ou defendemos a democracia agora ou não teremos mais nada para defender em breve", disse Molon. Para o deputado,"ao não encontrar soluções para o país, ao se sentir sozinho, isolado e frágil, Bolsonaro apela ao que todos temíamos: a um ato autoritário contra a própria democracia. Não dá mais. Esses absurdos, exageros e atropelos têm que parar agora." Parlamentares aliados do governo, entretanto, partilharam as convocatórias e anunciaram a sua presença nos atos de 15 de março. "O Congresso ficará contra o povo?", questionou a deputada Carla Zambelli, indefetível apoiante do presidente. O pastor Marco Feliciano, outro deputado próximo de Bolsonaro, considerou"normal" convocações de manifestações. Regina Duarte, recém nomeada secretária da cultura, partilhou a chamada do presidente. Partilhar Consulte Mais informação: Diário de Notícias

Completamente louco!!! Bots e disparos de whatsapp não falham ao descontruir qualquer coerência. Somos governados por uma falsa representatividade nas redes. Precisamos urgente da nossa Geringonça, o Brasil está por um fio. Lá no Br não se fala do presidente português como vocês falam do brasileiro. Que chatice

Democracia e assim. Portugal esquerdalhas e são sempre os mesmos . Dependentes alienados da UE. Sempre com o penico na mão junti a UE. Portugal Corrupto

Arturo Vidal deixa mensagem após agravar 'crise' no BarcelonaInternacional chileno foi expulso frente ao Nápoles e falhará a 2.ª mão dos 'oitavos' da Liga dos Campeões

Tapa-mamilos são febre entre anónimas nas ruas do BrasilUso do adereço representa um grito do empoderamento feminino e de protesto das mulheres contra o conservadorismo radical.

Carnaval de protestos no BrasilBom humor nos protestos contra as políticas do governo Bolsonaro.

Homem de 61 anos é a primeira vítima do novo coronavírus no Brasil

Brasil tem 20 novos casos suspeitos de coronavírusPaís tem um caso confirmado. Trata-se de um homem de 61 anos.

“Bomba”. Júlia Palha partilha fotografia de biquíni no Brasil e soma elogiosObrigado por nos dar a informação que todos precisamos. 👏👏👏👏



PSP controla todas as viaturas que atravessam Ponte 25 de Abril para Sul

Covid-19. A situação ao minuto do novo coronavírus no país e no mundo

Coronavírus já matou 25 mil pessoas e contagiou mais de 600 mil em todo o mundo

Criança de 14 anos morreu com Covid-19 no Hospital da Feira

Espanhóis querem uma praça em cada povoação com o nome de António Costa

Coronavírus: Justiça federal brasileira proíbe Bolsonaro de decretar medidas contra isolamento social

Há 100 mortes por Covid-19 em Portugal e 5170 infetados. Letalidade é de 1,9%

Escrever Comentário

Thank you for your comment.
Please try again later.

Últimas Notícias

Notícia

26 fevereiro 2020, quarta-feira Notícia

Notícias anteriores

Marca portuguesa fabrica roupa a partir de materiais reciclados e biodegradáveis

Próxima notícia

Governo garante que Portugal está preparado caso se confirmem casos no país
Inspetores do SEF matam ucraniano à pancada no aeroporto de Lisboa ''Estado de emergência vai ser renovado pelo menos até maio'' Brasil pode vir a ser o próximo foco de pandemia Governo da Madeira proíbe ″comércio de jornais e revistas″. Associações de imprensa em ″estado de choque″ Bolsonaro desafia o seu próprio governo para mandar brasileiros ir trabalhar ''O FC Porto não vai morrer'' Covid-19: Donald Trump prolonga isolamento social até 30 de abril Rui Rio: “É o próprio país que cairá em cima do Governo pelas falhas que o Governo tiver” Portugal em silêncio Avião carregado de material médico a caminho de Lisboa Capacidade dos cuidados intensivos em Espanha está no limite Nova Iorque recebe máscaras e luvas chinesas para ajudar na falta de equipamento
PSP controla todas as viaturas que atravessam Ponte 25 de Abril para Sul Covid-19. A situação ao minuto do novo coronavírus no país e no mundo Coronavírus já matou 25 mil pessoas e contagiou mais de 600 mil em todo o mundo Criança de 14 anos morreu com Covid-19 no Hospital da Feira Espanhóis querem uma praça em cada povoação com o nome de António Costa Coronavírus: Justiça federal brasileira proíbe Bolsonaro de decretar medidas contra isolamento social Há 100 mortes por Covid-19 em Portugal e 5170 infetados. Letalidade é de 1,9% Bolsonaro passeia em Brasília contra instruções de quarentena 'Vamos causar a revolução na cadeia': presos de Custóias no Porto exigem libertação Ministro da Saúde desafia e pergunta a Bolsonaro se está preparado para ver camiões a carregar mortos por coronavírus Coronavírus: Número de mortes em Portugal sobe para 119 A história do Senhor P., o italiano com 101 anos que sobreviveu ao novo coronavírus (e à gripe espanhola)