Comboios, Transportes

CP demora quase três anos a encomendar novos comboios

CP demora quase três anos a encomendar novos comboios

10/05/2021 02:49:00
Comboios, Transportes, Dinheiro

CP demora quase três anos a encomendar novos comboios

O governo autorizou a compra de 22 novos comboios em setembro de 2018. O processo está parado no Tribunal de Contas, à espera de esclarecimentos da empresa.

. O documento chegou pela primeira vez ao TdC em 11 de novembro, para receber o obrigatório visto para os contratos acima dos 750 mil euros.O processo foi devolvido pela primeira vez em 4 de dezembro, pedindo novos elementos à CP. A análise foi reaberta em 8 de fevereiro mas suspensa por dez dias, para novos esclarecimentos. Desde 18 de fevereiro que o TdC está à espera da transportadora.

Bolsonaro está cada vez mais solitário no mundo Sondagem legislativas. PS na frente mas com pior resultado desde março de 2020, Chega está no 3.º lugar, com 10% “Vale a pena reformar as polícias quando somos o quarto país mais seguro do mundo?”

De acordo com a legislação em vigor, o TdC dispõe de 30 dias úteis para se pronunciar sobre um processo de visto. Se este tribunal devolver o processo para pedir mais elementos, a contagem do prazo é interrompida e é retomada quando chega a resposta da empresa visada.

O documento pode obter um visto tácito (administrativo) se o TdC não se pronunciar após a contagem dos 30 dias úteis; ou então pode ser visado após a análise do documento.num montante próximo de mil milhões de euros: 62 para serviços urbanos, 55 regionais e ainda 12 unidades para o longo curso. headtopics.com

Dívida histórica espera por LeãoAs décadas em que a CP não foi compensada pela prestação do serviço público ferroviário geraram uma dívida de 2,1 mil milhões de euros. O seu saneamento está previsto no contrato de serviço público, em vigor desde junho de 2020, mas aguarda pela autorização final do Ministério das Finanças.

Ainda sem data para conclusão do processo, o gabinete de João Leão recusa-se a prestar esclarecimentos, apesar da insistência do DV nos últimos dois meses.Em abril, o vice-presidente da CP, Pedro Moreira, avisou que,enquanto se mantiver a dívida, a empresa"não conseguirá dar resposta à concorrência

que vai aparecer".A presidente do ISEG, Clara Raposo, assinala:"Uma dívida pesada no balanço é sempre um elemento de pressão para a gestão de uma empresa, podendo o serviço da dívida e a aproximação de data de reembolso tornar-se incomportável e condicionar, até, a forma como a empresa sente à vontade para gerir o negócio e outros custos que não financeiros."

Consulte Mais informação: Diário de Notícias »

Então não foi a CP, foi o tribunal de contas.

Jovem de 22 anos viola e agride companheira com quem vivia há quatro mesesPortugal - Jovem de 22 anos viola e agride companheira com quem vivia há quatro meses

Jovem de 22 anos viola e agride companheira com quem vivia há quatro meses

Salernitana confirma subida à Liga italiana 22 anos depoisDespromovidos ao segundo escalão já estão o Crotone e Parma, do internacional português Bruno Alves.

“Fist bumps”, sorrisos com máscaras e segurança: a cimeira do Porto em 22 imagensOs líderes europeus subscreveram esta sexta-feira, no Porto, um "compromisso" capaz de garantir mecanismos para que os estados possam cumprir os objectivos do Pilar Social Europeu "sem deixar ninguém para trás". Os chefes de Estado e de Governo da União Europeia reúnem-se este sábado no Palácio de Cristal, no Porto, em Conselho informal para aprovar a “Declaração do Porto”, sobre a agenda social, e para a Cimeira UE-Índia.  

Luis Díaz agarra trono de Corona: referência da equipa do FC Porto em 2021/22Saída iminente do mexicano não cria vazio. Colombiano está mais forte após época difícil e clássico foi prova da evolução

Comissão Europeia aprova ajuda estatal de 22 milhões de euros para micro e PME da MadeiraO apoio é denominado “Apoiar.PT.Madeira”, e assume a forma de subvenções diretas e estará disponível para as empresas “que operam nos setores mais severamente afetados pelo impacto económico” gerado pela pandemia de covid-19 e que “tenham sofrido uma queda do volume de negócios de pelo menos 25% em