Costa acusa PSD de promover ″rutura de fundo″ com o Estado Social

21/01/2022 02:50:00

Costa acusa PSD de promover 'rutura de fundo' com o Estado Social

Costa acusa PSD de promover 'rutura de fundo' com o Estado Social

O líder do PS dramatizou o discurso, esta quinta-feira, para afirmar que estas eleições serão 'decisivas' para proteger 'o nosso modelo de sociedade'. Em Santarém, António Costa acusou a Direita de 'propor uma rutura de fundo' com o Estado Social. Embora não tenha falado, desta vez, em maioria absoluta, voltou a pedir 'estabilidade' aos portugueses.

Comentar O líder do PS dramatizou o discurso, esta quinta-feira, para afirmar que estas eleições serão"decisivas" para proteger"o nosso modelo de sociedade".O conteúdo completo está disponível apenas para Subscritores.Comentar O líder socialista e primeiro-ministro recusou, esta quinta-feira, um acordo de governação com os sociais-democratas, alegando que isso levaria à queda do Governo.Lusa Rui Tavares, fundador do Livre FOTO: Lusa O líder do Livre acusou esta quinta-feira o secretário-geral socialista de"ter medo" da 'ecogeringonça' porque esta é uma solução que afasta PS da maioria absoluta, apesar de estar"a fazer caminho" entre o eleitorado.

Em Santarém, António Costa acusou a Direita de"propor uma rutura de fundo" com o Estado Social.Embora não tenha falado, desta vez, em maioria absoluta, voltou a pedir"estabilidade" aos portugueses."Estas eleições são mesmo decisivas", afirmou Costa, perante uma sala cheia.Chegou atrasado 11 minutos ao debate desta quinta-feira, promovido pelas rádios TSF/RR/Antena 1 com todos os partidos com assento parlamentar e começou logo a atirar-se ao seu adversário mais direto: Rui Rio, o grande ausente mas sempre presente no debate."Estamos a jogar não só os próximos quatro anos, mas também o futuro do nosso modelo de vida em sociedade", referiu.Segundo o secretário-geral socialista, a ameaça trazida pelas ideias da Direita"começa logo na Segurança Social (SS)", área em que o PSD"não tem pejo" em admitir que quer implementar um"sistema misto".Ainda sobre a energia nuclear, Rui Tavares reafirmou que o Livre é contra centrais nucleares em Portugal, porque"são caras, são perigosas", e desafiou António Costa a posicionar-se a nível europeu sobre o tema.

"Não brinquemos com coisas muito sérias", frisou Costa."O que era melhor para o país há dois anos era a continuação da geringonça." Todos vimos o que aconteceu a milhões de famílias dos Estados Unidos quando, em 2008, perderam as suas poupanças porque, em vez de terem um sistema misto, as confiaram ao jogo do mercado", alertou.Na Saúde não será diferente, prosseguiu o líder do PS.Acusando o presidente do PSD, Rui Rio, de querer rever a Constituição para"alterar só uma frase" relativa ao SNS, atirou: se assim for,"o que verdadeiramente fica lá escrito" é que este passa a ser"tendencialmente pago".A ideal, a tal da maioria absoluta, palavra que agora procura não usar, optando por a classificar como"uma maioria de bom senso, equilibrada, melhorada".Crítica ao PAN numa região com tradição de touradas Alexandra Leitão, ministra da Modernização do Estado e cabeça de lista por Santarém, discursou minutos antes de Costa.

E mostrou-se alinhada com o secretário-geral, pedindo"uma solução estável para quatro anos".PUB O Ribatejo pode dar um contributo para a maioria absoluta que o PS deseja:"Sim, vamos eleger o quinto deputado por Santarém!", incentivou a candidata."As pessoas sabem que as maiorias absolutas são permeáveis aos interesses económicos", acrescentou a coordenadora do BE, Catarina Martins.Numa região historicamente favorável às touradas, o comício trouxe também uma crítica ao PAN, feita logo pelo primeiro orador.Pedro Ribeiro, presidente de Câmara de Almeirim e mandatário da candidatura em Santarém, avisou Costa quanto a futuras soluções de governabilidade: os animalistas, partido ao qual o primeiro-ministro já admitiu vir a recorrer para governar, foram classificados pelo autarca como"urbano-depressivo".Ficou o alerta para o secretário-geral, no caso de o PS falhar a desejada maioria absoluta."Resultou pacificamente durante quatro anos", vincou o secretário-geral do PS.

João Vasconcelos e Sousa.

Consulte Mais informação:
Jornal de Notícias »
Loading news...
Failed to load news.

O TONINHO DEVIDO AH SUA INCOMPETENCIA, MENTIRA, COBARDIA E CRIME VAI LEVAR A MAIOR DERROTA DA SUA VIDA, NAS PROXIMAS ELEICOES E RUI RIO VAI SER O NOVO PRIMEIRO MINISTRO DE PORTUGAL. F O R C A RUI RIO, VAMOS DERROTAR O PS. Já ninguém acredita nas mentiras do António Costa O estado social quer dizer meter os amigos e famílias no maior governo de todos os tempos? Se é assim parece que acabou. Até Costa já diz que quer um governo mais pequeno

Desespero ? Mais uma mentira … que a história explica

Costa acusa PSD de querer rutura no Estado social e de colocar em risco as pensõesAntónio das mentiras Dos fake news Das negociatas Dos amigos Salafrario Já ninguém acredita em Costa. Há muitos que fingem, mas é puro interesse. 😂😂😂👌

Costa: ″No dia em que o Governo dependesse do PSD, o Governo acabava″O líder socialista e primeiro-ministro recusou, esta quinta-feira, um acordo de governação com os sociais-democratas, alegando que isso levaria à queda do Governo. 'Sempre disse que, no dia em que o Governo dependesse do PSD, o Governo acabava', afirmou António Costa, no debate da TSR/RR/Antena1. Costa prefere governar com maioria absoluta ou 'à Guterres'. Mais uma uma declaração utópica. Um novo PSD está em gestação para os próximos anos.... Um PSD... NOVOS TEMPOS..... Com uma nova classe aguerrida.

Livre acusa Costa de 'ter medo' da 'ecogeringonça'Rui Tavares diz que esta é uma solução que afasta PS da maioria absoluta.

António Costa volta pedir uma vitória que não faça o PS ficar dependente de outros partidosO secretário-geral do PS critica quem tenta fazer da maioria absoluta “um papão”, contrapondo que o partido evitou a confrontação no “Verão Quente” de 1975 e uniu os portugueses contra a pandemia

Pedro Pessoa e Costa é o novo embaixador na NoruegaPara Pedro Pessoa e Costa, a mudança que acontece cerca de dois anos depois de assumir o cargo, decorrendo da rotatividade diplomática.

António Costa rejeita que caso Cabrita possa ter influência na campanhaMP a dar tudo até dia 30.