Finanças Públicas, Orçamento Do Estado, Défice, Governo, Ministério Das Finanças, Tap, Estado

Finanças Públicas, Orçamento Do Estado

Conselho das Finanças Públicas “muito preocupado” com impacto de despesas como a TAP

Finanças públicas: Conselho das Finanças Públicas “muito preocupado” com impacto de despesas como a TAP

05/07/2020 03:17:00

Finanças públicas: Conselho das Finanças Públicas “muito preocupado” com impacto de despesas como a TAP

Qualquer que seja o desfecho do processo da TAP , “é preciso olhar para os custos sociais associados”. Nazaré Costa Cabral receia que as despesas suplementares ponham em causa “coisas tão fundamentais como ter hospitais a funcionar, e médicos a traba

Jornal Económico, durante a qual também alertou que a recuperação económica do país vai ser lenta, devido à actual crise “brutal”.“É um assunto muito sério, e o Conselho [das Finanças Públicas] está muito preocupado com esta questão”, admitiu, acrescentando que, qualquer que seja o desfecho do processo da TAP, “é preciso olhar para os custos sociais associados”, e lembrou que a transportadora tem quase

Vertonghen é reforço do Benfica Dezenas de pessoas juntam-se em Lisboa solidárias e contra violência na Bielorrússia Pandemia faz de Madrid uma cidade fantasma

10 mil trabalhadores.Também pediu “muita cautela” na necessidade de “avaliar os impactos que o processo vai ter para os contribuintes”. “O Estado tem um limite de capacidade, e tem desafios enormes pela frente, nomeadamente nas componentes sociais. Para lhes responder, tem de ter capacidade financeira”, advogou.

Nesta altura de emergência, disse, “se há exigências adicionais do sector financeiro, com processos de recapitalização de empresas, sejam elas do sector público ou privado, vão criar uma pressão sobre o Estado que vai condicionar a capacidade financeira pública”.

Nazaré Costa Cabralreceia que estas despesas suplementares ponham em causa “coisas tão fundamentais como ter hospitais a funcionar, e médicos a trabalhar”.A responsável disse ainda estar convicta de que a recuperação “não vai permitir ter nos próximos anos o que tínhamos em 2019”. “Vai levar mais tempo, mais anos, quer do ponto de vista económico, quer orçamental, num contexto de grande incerteza, ligada à evolução da pandemia”, sustentou na entrevista.

O melhor do Público no email Consulte Mais informação: Público »

Olha,,, é preciso ter cátedra... Com SOCIALISTAS, falência, pois só com pobres eles têm votos,,,... A diferença em PORTUGAL é que agora há xuxialismo além soxialisno

TAP? Qual TAP?Manter a TAP , ficando o Estado com a maioria do capital, é uma decisão baseada numa ideia anacrónica de soberania e num entendimento errado e deslumbrado do que deve ser uma companhia de aviação de um país como Portugal nos tempos atuais. Com certeza não viaja na TAP, porque prefere as low cost - gasta menos!! Take another plane😂😁

O Estado fez um bom negócio na TAP?O Estado vai ficar com 72,5% do capital da TAP por 55 milhões de euros, “assegurando o controlo da empresa”. Neste P24 ouvimos a directora-adjunta do PÚBLICO Ana Sá Lopes. mas alguém neste planeta tem resposta hoje para isso?! quando não há vivalma que consiga prever o fim da pandemia (muito menos o comportamento das sociedades na fase seguinte) vêm um iluminado pretender fazer crer que é possível afirmar se a TAP foi ou não um bom negócio... O ministro tem a credibilidade de um vendedor de banha da cobra. Outro negócio ruinoso, pra ajudar os amigos! O costume... paga Zé!

Estado paga 55 milhões para voltar a mandar na TAPDavid Neeleman sai da TAP , Antonoaldo Neves deixa de ser CEO. Governo e Humberto Pedrosa mantêm-se como parceiros na transportadora, que já pode receber a ajuda de emergência de 1200 milhões. Governo do PS gasta 55 milhões dos contribuintes para voltar a mandar na TAP

'Entrada de David Neeleman foi importante' para a TAP, diz ministro das InfraestruturasPolítica - 'Entrada de David Neeleman foi importante' para a TAP , diz ministro das Infraestruturas

Ministro das Infraestruturas assume tensão com representantes do Governo na TAPPostura de Pedro Nuno Santos alvo de críticas.

Qual o impacto do apoio à TAP no défice? Governo chegou a acordo com os acionistas privados e passa a deter uma participação de 72,5 na companhia aérea. Todo, muito, sem fim de retorno