Carnaval de Sines cancelado devido à atual situação epidemiológica

Sociedade - Carnaval de Sines cancelado devido à atual situação epidemiológica

Sines, Setúbal

24/01/2022 17:43:00

Sociedade - Carnaval de Sines cancelado devido à atual situação epidemiológica

Este é o segundo ano em que o Carnaval de Sines é cancelado devido à pandemia de Covid-19.

Carnaval em SinesFOTO: Luís GuerreiroOs desfiles do Carnaval de Sines, no distrito de Setúbal, foram cancelados devido à atual situação epidemiológica, anunciou esta segunda-feira a organização, que vai assinalar"a festa popular" com"um conjunto de iniciativas" no concelho.

"O Carnaval é a grande festa popular de Sines, caracterizada por um ambiente de festa, partilha e liberdade que, infelizmente, ainda não é possível recuperar em segurança em 2022", referem, em comunicado, a Associação de Carnaval de Sines, a Câmara Municipal de Sines e a Junta de Freguesia de Sines.

Consulte Mais informação: Correio da Manhã »

Sporting pediu desculpa ao Sp. Braga e a Ricardo HortaDevido à garrafa arremessada das bancadas de Alvalade que atingiu o capitão dos minhotos

Ucrânia: Reino Unido junta-se aos EUA e começa a retirar diplomatas de KievO anúncio do Reino Unido segue-se à decisão dos Estados Unidos de ordenar às famílias dos seus diplomatas que abandonem a Ucrânia ″devido à ameaça persistente de uma operação militar russa″.

Fogo destrói totalmente habitação em Seia de onde foram retirados dois idosos - SIC NotíciasOs dois idosos não sofreram quaisquer ferimentos. Foram assistidos no local devido ao stress da situação.

Mais de 13 mil pessoas em confinamento e idosos pediram para votar mais cedoMais de 13 mil pessoas em confinamento devido à covid-19 e idosos em lares inscreveram-se até às 18 horas deste domingo para o voto antecipado nas legislativas.

Mais de 200 mil pintainhos abatidos na Holanda devido à gripe das aves

Covid-19: mundiais de natação adiados para 2023 - SIC NotíciasAdiamento surge devido ao cancelamento de várias provas de apuramento e às restrições nas viagens internacionais impostas pelo Japão, na sequência da onda de contágios provocada pela variante Ómicron.

Lusa Carnaval em Sines FOTO: Luís Guerreiro Os desfiles do Carnaval de Sines, no distrito de Setúbal, foram cancelados devido à atual situação epidemiológica, anunciou esta segunda-feira a organização, que vai assinalar"a festa popular" com"um conjunto de iniciativas" no concelho. "O Carnaval é a grande festa popular de Sines, caracterizada por um ambiente de festa, partilha e liberdade que, infelizmente, ainda não é possível recuperar em segurança em 2022", referem, em comunicado, a Associação de Carnaval de Sines, a Câmara Municipal de Sines e a Junta de Freguesia de Sines. A decisão de não realizar os tradicionais desfiles carnavalescos foi tomada em conjunto pelas três entidades, depois de considerarem que"a atual situação epidemiológica não permite preparar o evento com a certeza de que o mesmo possa ocorrer no final de fevereiro, início de março" deste ano. No entanto, admitem que o Carnaval 2022 vai ser assinalado"com um conjunto de iniciativas" que serão divulgadas"oportunamente". Leia também Desfiles do Carnaval de Ovar cancelados "A Associação de Carnaval de Sines, a Câmara Municipal de Sines e a Junta de Freguesia de Sines agradecem a todos os obreiros e amantes do Carnaval pelo que, ao longo de tantos anos, têm feito para que este acontecimento tão querido da população de Sines se realize", lê-se no comunicado. Este é o segundo ano em que o Carnaval de Sines é cancelado devido à pandemia de covid-19. O Carnaval celebra-se este ano no dia 01 de março. A covid-19 provocou pelo menos 5,58 milhões de mortes em todo o mundo desde o início da pandemia, segundo o mais recente balanço da agência France-Presse. Leia também Uso de máscara obrigatório em locais públicos na Madeira até 1 de março Em Portugal, desde março de 2020, morreram 19.569 pessoas e foram contabilizados 2.221.825 casos de infeção, segundo a última atualização da Direção-Geral da Saúde. A doença respiratória é provocada pelo coronavírus SARS-CoV-2, detetado no final de 2019 em Wuhan, cidade do centro da China. Uma nova variante, a Ómicron, classificada como preocupante e muito contagiosa pela Organização Mundial da Saúde (OMS), foi detetada na África Austral e, desde que as autoridades sanitárias sul-africanas deram o alerta em novembro, tornou-se dominante em vários países, incluindo em Portugal. Leia também