A revolução (ou não) das ‘GovCoins’

A revolução (ou não) das ‘GovCoins’

17/06/2021 02:10:00

A revolução (ou não) das ‘GovCoins’

O amanhã ainda é incerto, mas muitos especialistas garantem que o futuro das bitcoins não emitidas pelos governos tem os dias contados. Espera-nos a tecnologia como base do novo paradigma monetário.

Finalmente o sector financeiro mundial parece ter percebido de vez o valor (ou não) das bitcoins e do caos que elas poderiam causar no mercado global se continuassem a viver na “anarquia” de então. Por exemplo, recentemente, as criptomoedas caíram 20% em apenas dois dias (uma perda de valor de cerca de 333,3 mil milhões de dólares) e algumas moedas digitais perderam 50% do seu valor em apenas uma semana. Uma queda drástica que mexeu com o mercado, que, de imediato questionou se a bolha das moedas digitais tinha finalmente estourado.

Pedro Pichardo vai à final de triplo salto Estado vai tornar-se no único accionista da TAP este ano Tony Bennett celebra 95 anos com dois espetáculos em Nova Iorque

“Evidentemente que não!”, disseram os mais otimistas. “Evidentemente que sim!”, disseram os mais pessimistas. Já a “The Economist” defendeu uma posição mais moderada, referindo que futuro das criptomoedas dependeria em muito da posição dos bancos (com muitos com um pé atrás em relação a este tipo de negócios) e, principalmente, dos governos e das suas ‘Govcoins’.

Ao que parece, o rumo a tomar pelo mercado financeiro e político caminha para a sua proliferação. Teremos assim o “In tech we trust”, ou seja, a tecnologia como base do novo paradigma monetário, relegando para segundo plano as moedas e as notas. headtopics.com

No entanto, e apesar de ainda existir uma certa incógnita sobre os caminhos a seguir, o que não podemos negar é que a estabilidade do sistema financeiro determina nos dias de hoje uma posição clara dosplayers, principalmente por parte dos bancos centrais, que não podem ficar indiferentes ao que atualmente acontece, como a utilização e a aposta massiva das moedas digitais, inclusive de grandes fundos de investimento, e a ascensão das

Big Techfinanceiras, muitas delas impossíveis de serem supervisionadas como entendemos hoje aquilo a que chamamos de supervisão.O amanhã ainda é incerto, mas muitos especialistas garantem que o futuro das bitcoins não emitidas pelos governos tem os dias contados, como escreveu Hsia Hua Sheng na sua conta do LinkedIn. O vice-presidente do Bank of China no Brasil acredita que as criptomoedas que estejam fora da alçada governamental serão ilegais e, portanto, não recomenda atualmente o investimento em bitcoins (uma posição que não é unânime entre os economistas).

Não é para menos, já que há indícios claros de que as “GovCoins” poderão ser uma realidade em breve. Na China, o Yuan digital (uma versão da moeda chinesa, mas em blockchain, a tecnologia que sustenta as moedas digitais como o bitcoin e o ethereum) já é uma realidade num programa piloto que pretende chegar a mais de 500 mil pessoas; na União Europeia, há o desejo do nascimento do Euro Digital até 2025, um caminho também seguido pelos Estados Unidos; na Grã-Bretanha, um grupo de trabalho estuda a sua implementação mais cedo, com o Banco de Inglaterra a ter destacado um dado que merece o olhar de todos: pelo menos um quinto dos depósitos dos clientes presentes em bancos comerciais poderão ser convertíveis em moedas digitais com a inclusão da libra digital.

Este é apenas um dos grandes problemas da implementação das ‘Govcoins’, otsunamique poderá causar no mercado financeiro global, já que dificilmente não haverá sequelas nos mercados monetários a curto prazo, pois teremos um sistema onde os consumidores não terão necessidade de passar por bancos privados, o que poderá significar, por exemplo, que os depósitos abandonem de vez o sistema bancário, cabendo aos Estados o papel dos bancos tradicionais de hoje. headtopics.com

Biden defende demissão do governador de Nova Iorque Insólito: cavaleiros dizem que cavalos se assustaram com estátua de lutador de sumo Crianças com cancro, diabetes ou obesidade entre as prioritárias para vacinação

Mas há outras questões a levantar, principalmente a nível privado. Estaremos dispostos a “fornecer” aos governos o quanto gastamos, o quanto poupamos e onde investimos o nosso dinheiro, por exemplo? Estaremos dispostos a que os governos tenham conhecimento dos nossos movimentos financeiros?

Ou seja, há ainda um longo caminho a percorrer nos próximos tempos, principalmente a nível legislativo e regulador. No entanto, e ao que tudo indica, vivemos uma nova era no sistema financeiro e as ‘GovCoins’ poderão marcar o antes e o depois deste período, uma revolução que ficará certamente escrita nos livros de História Financeira do final do século XXI (se estes ainda existirem…).

Consulte Mais informação: Jornal Económico »

Empresas continuam à espera de mercadorias transportadas no Ever GivenO navio que encalhou no Canal do Suez foi confiscado pelas autoridades egípcias até que se resolva a disputa legal. Afastadas das negociações, as empresas acreditam que pode demorar 'anos' até que recebam compensações, e podem mesmo ser obrigadas a pagar parte dos custos.

Rio espera ver Governo ″campeão das sondagens″ julgado nas eleiçõesO presidente do PSD, Rui Rio, qualificou, esta terça-feira, o Governo como 'campeão das sondagens', mas disse esperar que as autárquicas mostrem o descontentamento dos portugueses, porque 'tem estado muito mal' na 'governação' do país.

Matemático espera aumento de casos de Covid-19 em Lisboa e Vale do TejoSe os matemáticos dizem que vão subir é porque afinal vão começar a diminuir Que grande notícia. Epah deixem mas é de ouvir essa gente ! Só querem é canal !!!

DGS vai analisar redução do tempo de espera entre as duas doses da vacina da AstraZeneca

Imigração. Anos à espera de agendamento na fila online do SEF

Biden-Putin. Diálogo construtivo mas sem cedências à espera de resultados concretosO esperado frente-a-frente entre os presidentes dos EUA e da Rússia durou cerca de três horas e serviu para mostrar que nenhum deles parece disposto a ceder, mas que ambos estão preparados para avançar em algumas áreas que garantam a 'estabilidade estratégica'. Biden gaga😅😂