Para pressionar o governo, servidores públicos paralisam os trabalhos nesta quinta-feira

Em ato virtual, funcionalismo público busca reajuste de 19,9% nos salários

Cartacapital, Carta Capital

27/01/2022 14:15:00

Em ato virtual, funcionalismo público busca reajuste de 19,9% nos salários

Em ato virtual, funcionalismo público busca reajuste de 19,9% nos salários

organizam uma paralisação para esta quinta-feira 27, para pressionar o governo federal a negociar ajustes salariais. O ato, desta vez, será feito de forma virtual.Segundo a entidade que representa dos funcionários públicos, a demanda é que haja reposição de 19,9% dos salários. O valor foi determinado com base nas perdas acumuladas desde o início do governo Bolsonaro.

Uma plenária foi marcada para as 10h para que as lideranças discutam os próximos passos da mobilização.Novos atos foram convocados para o próximos dia 2 de fevereiro, na Praça dos Três Poderes, em Brasília. A data coincide com o retorno do recesso do Legislativo e do Judiciário.

Consulte Mais informação: CartaCapital »

Carlos Andreazza: 'Bolsonaro parece criticar outro governo, ao citar cortes promovidos por si'

No CBN Em Foco, você acompanha uma análise aprofundada dos temas que dominam o noticiário. Um programa que tem a proposta de separar os fatos da espuma. Com ... Consulte Mais informação >>

Sete Estados têm cenário crítico em UTIs pediátricas para covid-19Em três deles, a ocupação atingiu 100%, caso de Mato Grosso do Sul, Maranhão e Rio Grande do Norte; outros quatro registram taxas de 80% ou mais: Ceará, Bahia, Pernambuco e Goiás

Covid-19: Procuradores defendem vacinação obrigatória para crianças e comprovação em escolasPedido vai na linha do ECA, que determina a vacinação obrigatória quando há aval de autoridades sanitárias, como é o caso da Anvisa Pq procuradores defendem ser obrigatório e médicos não? DITADURA? E antes que falem... Não sou contra a vacina, eu me vacinei. Eu sou contra essa pressão e estarem obrigando os pais, tirando o direito de escolha, a vacinarem seus filhos. Lembrando que a vacina ainda é experimental e os fabricantes não responsabilizam por reações. Grobo faz propaganda do BBB, tá feio o coisa 😂😂

Covid-19: Procuradores defendem vacinação obrigatória para crianças e comprovação em escolasPedido vai na linha do ECA, que determina a vacinação obrigatória quando há aval de autoridades sanitárias, como é o caso da Anvisa LULA SOLUCIONrá Obrigatoriedade de uma substância problemática 🥴

Casos de Covid-19 em acompanhamento mais do que dobram em uma semanaA expressão designa casos notificados nos últimos 14 dias em que os pacientes não tiveram alta, nem evoluíram para morte Quanto mais o povo se vacina mais casos tem ? 🤔 Está na hora de parar com esses experimentos inúteis.

Número de adultos com Covid-19 em UTIs cresce 143% em um anoQuantidade de pacientes internados aumentou entre 20 de dezembro e 24 de janeiro, de acordo com dados da Fundação Oswaldo Cruz

Brasil tem recorde e registra mais de 224 mil casos de covid-19 em 24hDe acordo com dados do Ministério da Saúde, o país tem 624.413 óbitos e 24.535.884 casos confirmados da doença Por isso a Variante Ômicron está sendo tratada como uma gripe comum na Inglaterra, Japão, Irlanda, etc ... Essa é mais contagiosa, porém mais branda que a anterior. Teremos que aprender a conviver com ela!

Servidores públicos federais organizam uma paralisação para esta quinta-feira 27, para pressionar o governo federal a negociar ajustes salariais. O ato, desta vez, será feito de forma virtual. Segundo a entidade que representa dos funcionários públicos, a demanda é que haja reposição de 19,9% dos salários. O valor foi determinado com base nas perdas acumuladas desde o início do governo Bolsonaro. Uma plenária foi marcada para as 10h para que as lideranças discutam os próximos passos da mobilização. Novos atos foram convocados para o próximos dia 2 de fevereiro, na Praça dos Três Poderes, em Brasília. A data coincide com o retorno do recesso do Legislativo e do Judiciário. Caso não haja consenso entre servidores públicos e o governo até março, uma greve geral pode ser iniciada. O desentendimento entre governo e o funcionalismo público teve início ainda em dezembro, quando o presidente Jair Bolsonaro pediu para que constassem na para Policiais Federais, Polícia Rodoviária Federal e do Departamento Penitenciário Nacional. Outras carreiras do funcionalismo também paralisaram para protestar sobre a falta de reajuste salarial.