Doesangue

Doesangue

Mais de 500 bolsas de sangue são usadas em parto para salvar vida de mãe com doença rara no PA | Pará | G1

Total de bolsas é maior do que a média de transfusões feitas durante um mês inteiro no hospital #G1 #doesangue

16/09/2021 22:30:00

Total de bolsas é maior do que a média de transfusões feitas durante um mês inteiro no hospital G1 doesangue

Total de bolsas é maior do que a média de transfusões feitas durante o mês inteiro na Santa Casa de Misericórdia em Belém.

Durante o parto de Saulo Gabriel, hoje com dois meses, a auxiliar administrativa Thaís Cristina Sousa, de 35 anos, precisou de 531 bolsas de sangue, mais do que a média de transfusões totais feitas na Santa Casa de Misericórdia do Pará, em Belém, em um mês. Com o apoio de centenas de doadores, foi possível salvar a vida do bebê e da mãe.

Guedes diz que abriu conta no exterior para se proteger do governo Dilma Relatório da CPI da Covid indiciará Bolsonaro por 11 crimes, diz Renan - Política - Estadão 'Lorem ipsum': governo Bolsonaro faz post sem conteúdo sobre mil dias de gestão e depois apaga

A necessidade de uma transfusão desse porte se deu porque Thaís tem uma Síndrome Púrpura Trombocitopênica Trombótica (PTT). Por isso, ela precisou ir para a UTI logo após o parto, para continuar o controle da doença. Já o bebê Saulo precisou de cuidados semi-intensivos, por conta da prematuridade.

“Não sou uma gata de sete vidas, sou uma onça. Lutei pela minha vida e meu filho lutou pela vida dele. Tivemos muita ajuda para vencer. Obrigada, Deus. Obrigada a quem doa sangue", declarou a jovem.Mãe da paciente acompanhou de perto o tratamento da filha. — Foto: Divulgação headtopics.com

Mãe e bebê foram separados uma semana depois do nascimento, quando Saulo foi liberado para casa e Thaís continuou no hospital. Longe do filho, foi a paciente quem precisou de colo e acolhida, encontrados na companhia da mãe, a professora aposentada Maria do Socorro, de 61 anos, que acompanhou, com orações, a luta da filha pela sobrevivência.

Entenda o casoThaís precisou fazer uma cirurgia cesariana de emergência aos sete meses de gestação, após sofrer crise de Síndrome Púrpura Trombocitopênica Trombótica (PTT), uma doença hematológica rara. Thaís passou 30 dias internada em estado gravíssimo na Unidade de Terapia Intensiva (UTI) do hospital. Ao todo, foram 45 dias de uma longa espera para voltar para casa.

Mulher com doença rara realiza mais de 500 transfusões de sangue no ParáO caso de Thaís era de alto risco, explicam os profissionais que acompanharam o caso. “Era uma situação clínica delicada, com plaquetas baixíssimas e formação de trombos por causa da doença PTT. Havia risco de perda gestacional, risco de morte para a gestante e risco de agudização com sequelas para ambos", conta o médico Daniel Lima, hematologista e hemoterapeuta da Santa Casa e do Hemopa.

As intercorrências provocadas pela crise da doença fizeram com que Thaís enfrentasse também problemas como hipertensão, infecção e uma segunda cirurgia, de laparatomia exploratória, para tratar uma hemorragia interna. A Santa Casa precisou administrar na paciente quatro doses de um medicamento que chega a custar R$ 12 mil cada dose. headtopics.com

Com biquíni verde, Thais Carla posta fotos em lancha em comemoração ao aniversário: 'Trintou' Juiz rejeita ação e decreta absolvição sumária de assessor de Bolsonaro denunciado por gesto racista Dia 'vira noite' com temporal de poeira que encobriu várias cidades em MS; veja vídeos e fotos

DiagnósticoA paciente foi diagnosticada com PTT ainda em 2016, depois de sofrer uma crise aguda e isquemia cerebral. Em 2019, passou por uma gravidez ectópica, que é quando o óvulo fertilizado se implanta fora do útero, com quadro de hemorragia. Em 2020, Thaís engravidou novamente, dessa vez de Saulo Gabriel.

Com sete meses da atual gestação, ela percebeu manchas roxas nas pernas e reconheceu como sintomas de Púrpura. Por orientação do Hemopa, ela procurou imediatamente o serviço de obstetrícia da Santa Casa.“Foi um milagre. Um milagre da ciência e do SUS (Sistema Único de Saúde). São duas instituições públicas que uniram esforços e competências para resolver um caso difícil", disse a médica Patrícia Arruda, integrante da equipe de plasmaférese terapêutica do Hemopa.

LEIA TAMBÉM:VÍDEOS sobre as principais notícias do Pará Consulte Mais informação: G1 »

O Assunto #551: CLIMA - onde estamos 6 anos depois de Paris

O histórico acordo de 2015, firmado entre mais de 190 países, pretendia reduzir as emissões de gases do efeito estufa a um patamar capaz de conter o aumento da temperatura do planeta. Não aconteceu. E a temperatura da Terra escala em uma velocidade sem precedentes.

Luciano desabafa após eliminação do São Paulo: 'Todo mundo sabe que podemos render mais, brigar mais'Atacante do São Paulo falou após derrota por 3 a 1 contra o Fortaleza, que culminou na eliminação do Tricolor paulista na Copa do Brasil. Fortaleza dominou a partida SE O DINIZ TIVESSE TODOS ESSES REFORÇOS O SÃO PAULO GANHARIA O BRASILEIRÃO MAIS A COPA DO BRASIL OU LIBERTADORES. MAS ESSA DIRETORIA PREFERIU MUDAR O TÉCNICO E CONQUISTAR O CAMPEONATO ESTADUAL QUE É MAIS IMPORTANTE. E 90% DA TORCIDA QUERIA O PAULISTA. 🤣🤣🤣🤣🤣🤣🤣🤣🤣🤣🤣🤣🤣

Messi melhor que CR7: saiba quais são os 22 jogadores mais fortes do Fifa 22 - LANCE!

Athletico vence Santos mais uma vez e avança às semifinais da Copa do Brasil - ISTOÉ IndependenteO Athletico-PR bateu o Santos por 1 a 0, nesta terça-feira (14), na Vila Belmiro, e avançou para as semifinais da Copa do Brasil, repetindo o placar da primeira partida, na Arena da Baixada. Com gol de Zé Ivaldo, aos 34 do segundo tempo, esta foi apenas a segunda vez que o Furacão venceu o […]

Leia para uma Criança distribuirá 2 milhões de livros físicos para famílias mais vulneráveisMudança na estratégia de entrega tem o objetivo de ajudar a reduzir a desigualdade; as demais famílias leitoras poderão acessar os Cultura Amei a proposta, mas será que a iniciativa garantirá que os correios entregarão esses livros às famílias mais vulneráveis? 🤷🏾‍♀️ItauSocial

Árbitra Andreia Regina Silva coloca mais um continente no currículo: vai apitar o AfroBasketÁrbitra Andreia Regina Silva coloca mais um continente no currículo: vai apitar o AfroBasket (via EstadaoEsporte)

Em comum acordo, John Wall não joga mais pelo Rockets – Jumper BrasilReunião com executivos do Rockets define que Wall não joga pelo Rockets na próxima temporada e partes deverão buscar troca