Indústria recua em outubro e chega ao quinto mês seguido de queda

Indústria recua em outubro e chega ao quinto mês seguido de queda

03/12/2021 15:50:00

Indústria recua em outubro e chega ao quinto mês seguido de queda

Fatores globais e domésticos, como crise de suprimentos e inflação, impactam setor; produção está 4,1% abaixo do patamar pré-pandemia, diz IBGE

Atualizado em 3 dez 2021, 09h38 - Publicado em 3 dez 2021, 09h28Queda no mês foi de 0,6% - FG Trade/Getty ImagesPublicidadePublicidadeA produção da indústria brasileira recuou em outubro, chegando a seu quinto mês consecutivo de queda. Segundo dados do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), a taxa foi 0,6% menor no mês, devido a crise global dos suprimentos e a desarticulação da cadeia produtiva e inflação elevada.

“Mais do que o resultado do mês em si, chama atenção a própria sequência de resultados negativos, cinco meses de quedas consecutivas na produção, período em que acumula retração de 3,7%. A cada mês que a produção industrial vai recuando, se afasta mais do período pré-pandemia. Nesse momento, está 4,1% abaixo do patamar de fevereiro de 2020”, analisa André Macedo, gerente da Pesquisa Industrial Mensal. Vale lembrar que, no PIB do terceiro trimestre, divulgado na última quinta-feira, a indústria ficou estagnada. No período, o PIB brasileiro recuou 0,1%, fazendo com que o país entrasse em recessão técnica.

De acordo com Macedo, o resultado de outubro mantém uma característica que vem sendo observada ao longo do ano: predominância de taxas negativas e diretamente afetada pelos efeitos da pandemia da Covid-19. “Para além da perda na margem, há um espalhamento dos resultados negativos: são três das quatro categorias econômicas e 19 das 26 atividades no campo negativo. O ano de 2021 está bem marcado por esse comportamento de menor intensidade” observa Macedo. headtopics.com

‘O vírus mata mesmo as pessoas?’, indagou Olavo em post sobre a Covid-19 | Maquiavel

Ele destaca ainda que os efeitos da pandemia sobre o processo produtivo ficam muito evidentes em função da desarticulação da cadeia produtiva, o que leva ao encarecimento dos custos de produção e ao desabastecimento de matérias primas e insumos produtivos para a fabricação de bens finais. “Pelo lado da demanda doméstica, também permanece uma série de características que a gente já vem elencando mês a mês para justificar o comportamento negativo ao longo do ano: inflação elevada, que diminui a renda disponível das famílias, e um mercado de trabalho que está longe de mostrar uma recuperação consistente, uma vez que ainda existe um grande contingente de trabalhadores fora dele, com uma massa de rendimentos que não avança e marcado pela precarização do emprego. São fatores que também ajudam a explicar porque a produção vem mantendo um comportamento de menor intensidade. Tirando os meses de janeiro, que teve um avanço de 0,2% e maio, com alta de 1,2%, os outros oito meses tiveram taxas negativas”, acrescenta o gerente da pesquisa.

As influências negativas mais importantes da produção industrial de outubro foram de indústrias extrativas (-8,6%) e produtos alimentícios (-4,2%). As indústrias extrativas voltaram a recuar após avançar 2,2% no mês anterior, quando interrompeu três resultados negativos consecutivos e que acumularam perda de 2,5%. Já produtos alimentícios intensificaram a redução de 3,2% em setembro.

“O fator mais importante é que as quedas foram disseminadas, mas as maiores influências vieram dos setores extrativo, que vinha de crescimento e foi impactado negativamente pelas quedas do minério de ferro e do petróleo, que representam aproximadamente 90% do setor; e de alimentos, influenciado especialmente pelo comportamento negativo do açúcar, em função de uma antecipação da safra da cana-de-açúcar na região Centro-Sul do país, devido a condições climáticas adversas. Além disso, o grupamento de carnes, sobretudo bovinas, que ainda sofre com as restrições das exportações para China, por conta do mal da vaca louca. A inflação em patamares mais elevados também afeta a produção no setor”, esclarece Macedo.

A mensagem de Fabrício Queiroz para o guru Olavo de Carvalho | VEJA Gente

Outras contribuições negativas vieram de máquinas e equipamentos (-4,9%), de máquinas, aparelhos e materiais elétricos (-5,6%), de produtos têxteis (-7,7%), de metalurgia (-1,9%), de manutenção, reparação e instalação de máquinas e equipamentos (-21,6%), de produtos de madeira (-6,6%), de confecção de artigos do vestuário e acessórios (-4,1%), de produtos de metal (-1,9%), de veículos automotores, reboques e carrocerias (-0,8%) e de produtos farmoquímicos e farmacêuticos (-2,4%). headtopics.com

Queda em relação a 2020Frente ao mesmo mês de 2020, a indústria recuou 7,8%, com resultados positivos em com resultados negativos em três das quatro grandes categorias econômicas, 19 dos 26 ramos, 56 dos 79 grupos e 60,7% dos 805 produtos pesquisados. Vale citar que outubro de 2021 teve um dia útil a menos do que igual mês do ano anterior.

“Já é o terceiro resultado negativo neste indicador e o mais intenso dessa sequência. Explicam esse comportamento: o arrefecimento da produção da indústria ao longo de 2021; o efeito-calendário negativo, uma vez que outubro desse ano teve um dia útil a menos do que igual mês do ano anterior; e uma base de comparação mais elevada. No indicador acumulado do ano, observa-se crescimento de 5,7%, mas vale destacar a perda de intensidade nos últimos meses, por conta da redução observada no ritmo de produção. É importante lembrar que até setembro essa expansão era de 7,6% e em maio estava em 13,2%”, analisa Macedo.

Pfizer e BioNTech anunciam estudos para vacina contra ômicron

Consulte Mais informação: VEJA »

g1 ouviu #177 - 'BBB', o musical: o som de Naiara Azevedo, Linn da Quebrada, Maria, Arthur Aguiar e Tiago Abravanel

Podcast mostra as principais faixas e a trajetória musical dos cinco participantes do reality em 2022 que também são cantores. Consulte Mais informação >>

IBGE: Indústria recua pelo 5º mês seguido CNI (Indústria): Indústria cresceu em Jul/Ago/Set) e se manteve estável em Set/Out lucianomattoss1 Onde é que foram parar as agências do 'Risco Brasil'? - O país vem se afundando depois do GOLPE que 'assegurou' a era Temer+JMB, um dos capítulos mais trágicos da História desse país.

Produção industrial recua 0,6% em outubro, na 5º queda seguida - Economia - EstadãoEm cinco meses, indústria acumula perda de 3,7%; segmentos que mais contribuíram para o resultado do mês foram os das indústrias extrativa e de alimentos Economia A Desindustrialização brasileira torna o país uma grande fazenda exportadora de bens primários. Isso impacta na não criação de emprego e na exportação da juventude brasileira. É um crime desse governo contra o país. Economia Esse é o modelo econômico defendido pelo . Defenderam a reforma trabalhista, da previdência, e tudo que tira o poder de compra da população. Defendem a subserviência aos interesses do mercado. Vocês são cúmplices! Economia É isso aí estadão vocês conseguiram

PIB do Brasil cai 0,1% no 3º trimestre e país entra recessão técnicaOs dados oficiais reforçam a leitura de forte desaceleração da recuperação após o PIB ter conseguido retomar no início do ano o patamar pré-pandemia g1 Mas Guedes disse que o Brasil está decolando Bom dia alguém poderia me dor um pouco de macarrão pra eu fazer sopa pra minha mãe ou uma Marmitex? E nós ajudar a comprar o gás 😭🙏 estou desempregada pq sou a única que cuida dela, desde que ela teve avc, aceito doações de comida até mesmo vencida, nos ajudem por favor🙏 Mas não era só tirar a dilma que tudo melhorava?! 🤡

Salto de Mendonça para o STF foi impulsionado por evangélicos e PachecoUma máxima dos mundos jurídico e político diz: quem chega ao STF com a ajuda de muitos padrinhos chega sem dever favores a nenhum deles. colunadoestadao Se fosse traficante o Estadão estaria mais feliz? colunadoestadao O chororo continua livre Balsonaro até 2026. colunadoestadao E o cabelo, aumentou

Queda de bimotor: Mochila encontrada em alto-mar pertence ao copiloto - ISTOÉ IndependenteA Marinha encontrou em alto-mar, no último sábado (27), a mochila que pertence ao copiloto José Porfírio de Britos Júnior, de 20 anos, uma das vítimas da queda do bimotor que saiu de Campinas, São Paulo, e tinha como destino o Rio de Janeiro. As informações são do O Globo. Essa informação foi divulgada pela […]

Riverdale: novo trailer revela visual de Sabrina Spellman em crossoverCapítulo especial da 6ª temporada de Riverdale vai ao ar em 7 de dezembro

Reviravolta: ‘Não puxei o gatilho’, diz Alec Baldwin, sobre morte no set | VEJA GenteNa primeira entrevista após acidente fatal, em outubro, ator diz que não atirou contra Halyna Hutchins; íntegra vai ao ar nesta quinta (2), na TV americana Só tá se complicando. Acho q vai ser preso.