Condição hereditária comum, doença falciforme é negligenciada no Brasil

Mesmo sendo uma das condições genético-hereditárias predominantes no Brasil, a doença falciforme ainda é negligenciada

27/10/2021 18:08:00

Mesmo sendo uma das condições genético-hereditárias predominantes no Brasil, a doença falciforme ainda é negligenciada

Nova droga para diminuir crises de dor, conscientização de médicos e mapeamento de pacientes podem melhorar a qualidade de vida das pessoas com a doença

Simone Blanes27 out 2021, 11h43glóbulos vermelhos do sangue assumem a forma de foice, se rompem com mais facilidade e provocam anemia e obstrução de vasos sanguíneos Duncan Smith/Thinkstock/VEJA/VEJAPublicidadePublicidadeMesmo sendo uma das condições genético hereditárias predominantes no Brasil e classificada como um dos maiores desafios da área da saúde em todo o mundo, segundo dados da Organização Mundial de Saúde (OMS) e Unesco, a doença falciforme ainda é negligenciada no Brasil. A enfermidade é caracterizada por uma alteração genética nas hemácias (glóbulos vermelhos que carregam oxigênio), que assumem um formato de foice – daí o nome – rompem-se com mais facilidade, provocando anemia e fortes crises de dores musculares causadas pela falta de oxigenação dos tecidos. Elas são tão intensas que frequentemente levam à hospitalizações.

Reforço na vacinação contra Covid-19 eleva anticorpos em até 32 vezes Bolsonaro ataca Moro e chama ex-ministro de ‘mentiroso, palhaço e sem caráter’ - Política - Estadão Juristas acusam abuso de autoridade no caso de mulher detida por suposta ofensa a Bolsonaro

Apesar das estimativas alarmantes – atualmente são cerca de 70.000 doentes, com 3.500 novos casos por ano no país – muitos médicos não conseguem identificá-la, o que dificulta o diagnóstico e, por consequência, as chances de o paciente conseguir um tratamento adequado para a condição. “Embora seja muito comum, a maioria das pessoas nunca ouviu falar em doença falciforme. E são pacientes que necessitam de cuidados apropriados, especialmente durante as internações que costumam ser longas e complicadas” , diz Marimilia Pita, médica hematologista pediátrica do Hospital Samaritano, de São Paulo, e fundadora do Comitê de Pediatria da Sociedade Brasileira de Hematologia e Hemoterapia.

A especialista também é responsável pelo Comitê Científico da Aliança Global de Organizações de Doença Falciforme GASCDO ) e idealizadora do projeto Lua Vermelha, que tem como objetivo jogar luz à luta das pessoas contra a doença e disseminar informações técnicas pautadas em bases científicas por meio de mídias sociais e construir uma imagem mais altruísta da condição, comparando a hemoglobina disforme com uma lua. “A ideia é atenuar e fazer com que as pessoas e autoridades entendam que esses pacientes merecem ser bem tratados e respeitados”, completa a médica. headtopics.com

Uma das questões abordadas pela instituição é quebrar estigmas que rondam a condição justamente pela falta de conhecimento de médicos e da população em geral. A começar pela falsa ideia de que só acomete indivíduos da raça negra, pela origem africana do gene. “Existe um mito sobre isso, mas ela também atinge brancos. Em um país como o Brasil, altamente miscigenado e que ainda luta contra o racismo estrutural, uma doença que se acredita ser exclusiva de negros é, consequentemente, ligada às classes sociais menos favorecidas”, explica Marimilia.

O resultado é a falta de apoio às instituições que atendem esses pacientes, à pesquisa e à preparação dos profissionais da saúde, como alerta a hematologista. “Não é raro um paciente chegar ao pronto socorro de um hospital com crises de dores muito fortes, reflexo da falciforme, em busca de ajuda e medicação e, ao invés de acolhimento, encontrar desconfiança e até mesmo ser rotulado como um viciado”, acrescenta.

Continua após a publicidadeApesar de sua alta incidência e gravidade e alta incidência é também negligenciada pelas políticas públicas de saúde. Vale ressaltar que esse fardo é muito maior nos países pobres. Na África, por exemplo, a chance de portadores de anemia falciforme morrerem antes dos 5 anos é de 50% a 90%. Já em nações desenvolvidas como nos Estados Unidos e Reino Unido, as taxas de sobrevivência de crianças portadoras da falciforme são similares às das saudáveis.

Além dos episódios de dores intensas, causadas pelas células deformadas que obstruem os vasos sanguíneos, e complicações em praticamente todos os órgãos do corpo por necrose e morte celular, a anemia falciforme aumenta e muito a probabilidade de ocorrência de outras doenças graves como o infarto do miocárdio, acidente vascular cerebral (AVC), doença renal crônica e embolia pulmonar, sem contar as sequelas neurológicas. headtopics.com

Bolsonaro ataca Moro e chama ex-ministro de 'mentiroso, palhaço e sem caráter' - ISTOÉ Independente Cachorro passeia a cavalo junto com dono por rua de Alto Horizonte; vídeo Justiça proíbe supermercado de limitar ida de funcionários ao banheiro em MT

Crônica e sistêmica, ela necessita de acompanhamento médico constante, mas o que mais ajuda a evitar o agravamento e evolução para outras comorbidades é o diagnóstico precoce, obtido pelo exame de triagem neonatal, conhecido como teste do pezinho. Ao se observar a alteração do gene no nascimento, o bebê pode ser encaminhado diretamente a um especialista – hematologista pediátrico – para que comece um acompanhamento médico e receba tratamento adequado. O diagnóstico precoce acompanhado da profilaxia reduz a mortalidade nos primeiros cinco anos de vida de 25% para 3%.

Para diminuir o sofrimento dos pacientes, os hematologistas recorrem a constantes transfusões de sangue e ou uso da hidroxiureia, medicamento que aumenta a produção de uma proteína chamada hemoglobina fetal e diminui a quantidade de Hb S, dificultando a polimerização da célula defeituosa e reduzindo o risco de vaso-oclusão. Aprovado no Brasil em 2002, o remédio passou uma longa espera por aprovação mesmo tendo eficácia comprovada durante dez anos e nenhum registro de efeitos colaterais significativos, diferentes das sequelas reais e graves promovidas pela doença.

Mas, para sua administração, também existem problemas: um deles é não saber se pode ser utilizado a partir do nascimento. O medicamento geralmente é usado apenas após crises subsequentes, o que já compromete a qualidade de vida dos pacientes. Falar em cura é ainda mais complicado. A única forma é por meio de um transplante de medula óssea, que depende de critérios de elegibilidade, doador compatível e de um melhor poder aquisitivo já que se trata de um procedimento caro e que deve ser feito por especialistas em centros de referência.

Consulte Mais informação: VEJA »

LANCE! no Uruguai: Xico Sá dá 'flagrante' em torcedor rubro-negro que cultiva CANNABIS no Uruguai

Xico Sá em mais um rolê pelo LANCE! conheceu um carioca erradicado no Uruguai desde 2012 que cultiva cannabis de forma descriminalizada.#LANCEnoUruguai #Xic...

Bolsonaro usa drama de venezuelanos para fazer campanha: 'Querem isso para o Brasil?'Em abrigo da Operação Acolhida em RR, o ex-capitão tentou desenhar semelhanças entre os países e atacou o ex-presidente Lula Isso oque monte de bosta QUE BOM QUE TEMOS O BOZO, E NÃO CHEGAREMOS AO NÍVEL DESTE PAÍS HOJE MORIMBUNDO NÉ.... QUE É PRA ONDE ESTÁ INDO A ARGENTINA, E IRÁ O BRASIL, SE ESTA CORJA DE LADRÃO FILHOS DA PUTAS VOLTAREM AO PODER. Essa foto é aqui no Brasil excelentíssimo. Sinto muito te trazer à realidade, sei q o Sr. prefere a realidade paralela, mas a vida real tá bem complicada. Afinal o cidadão comum não tem cartão corporativo. Ahhh, gasolina já subiu de preço e eu realmente n quero seu endereço.

Brasil cria 313 mil novas vagas com carteira assinada em setembroContratações foram puxadas pelo saldo de vagas em serviços, indústria e comércio; Saldo de vagas, entretanto, é 14% menor que no mês passado na verdade são no máximo 156,5 mil pq só com 2 empregos pra viver com esses preços É bico.

Como africana fugiu da prostituição forçada na Dinamarca - BBC News BrasilNa esperança de se tornar cuidadora de idosos, Jewel viajou para Copenhague, onde foi forçada a se prostituir. Mas dois encontros casuais permitiram que ela conseguisse escapar. Dinamarca? O mundo, realmente, tem que mudar. 🤔🤔🙄🙄😪😪

A estratégia mental que pode transformar os sonhos em realidade - BBC News BrasilFantasiar um futuro melhor não o torna mais provável, e pesquisas psicológicas mostram a importância de fazer planos pragmáticos... ArquivoBBC 'Fantasiar não o torna mais provável'. A BBC descobriu a roda.

ACM Neto diz a Ciro que União Brasil pode lançar candidato próprio à PresidênciaCaso nenhum nome do novo partido dispute a eleição, ACM afirma que pode 'construir um projeto que contribua com o fim da polarização' Dois parasitas da política Brasileira! Par de vagabundos! União Brasil não é um partido. É um bando. Não tem unidade ideológica. Ciro Gomes cada vez mais descendo a ladeira

Teoria das cordas: como entender Universo com matemática da música de Pitágoras - BBC News BrasilHá muito tempo, cientistas tentam encontrar uma teoria que explique como funciona o universo; alguns acreditam que a teoria das cordas pode estar correta 🌌