Como manobra do teto de gastos para viabilizar Auxílio Brasil pode deixar brasileiros mais pobres - BBC News Brasil

Para garantir pagamento de R$ 400, governo pretende driblar regra que limita crescimento de gastos públicos, mas isso pode acabar 'retroalimentando' inflação

23/10/2021 03:18:00

Para garantir pagamento de R$ 400, governo pretende driblar regra que limita crescimento de gastos públicos, mas isso pode acabar 'retroalimentando' inflação

Para garantir pagamento de R$ 400, governo pretende driblar regra que limita crescimento de gastos públicos, mas isso pode acabar 'retroalimentando' inflação.

Fim do Talvez também te interessePara viabilizar o pagamento de R$ 400 do Auxílio Brasil, ele pretende driblar o chamado "teto de gastos", uma regra de 2016 que limita o crescimento dos gastos públicos à inflação do ano anterior.

Porquinho amarrado com bandeira do Palmeiras no Rio é resgatado por protetores de animais Sobe para 176 número de casos de pessoas com lesões na pele que causam coceira; surto atinge 35 bairros do Recife Brasil fechará fronteiras aéreas para seis países da África a partir de segunda, diz Casa Civil

Ela foi criada naquele ano pelo temor de um desastre fiscal — o governo vinha gastando mais do que podia e isso colocava em xeque a capacidade de o país arcar com suas dívidas.É mais ou menos como um cidadão comum: quem não paga suas contas, fica com o nome "sujo" na praça.

Se o mercado percebe que a capacidade de pagamento do Brasil está comprometida, reage negativamente, levantando dúvidas sobre o que e como o governo vai fazer para honrar seus compromissos.Um exemplo prático é de um investidor que tenha ações de empresas no Brasil. Diante de um futuro nada promissor para seus investimentos, ele tende a querer buscar outros países onde se sente mais seguro para ver seu dinheiro se multiplicar. headtopics.com

Agora, imagine vários investidores pensando o mesmo e, possivelmente, retirando seus recursos em massa — é o que economistas chamam de "fuga de capitais".Para piorar, houve uma debandada de integrantes do alto escalão do Ministério da Economia, todos subordinados ao titular da pasta, Paulo Guedes. Foram quatro, ao todo, incluindo o secretário especial do Tesouro e Orçamento, Bruno Funchal.

Segundo comunicado divulgado pelo órgão, eles citaram razões pessoais para deixarem seus cargos, mas nos bastidores se sabe que a decisão foi motivada pela proposta formalizada do governo de furar o teto de gastos.Tudo isso fez com que o dólar subisse e a bolsa brasileira fechasse em queda na quinta-feira (21/10).

Só as empresas brasileiras listadas na Bovespa perderam R$ 284 bilhões em valor de mercado em três dias, segundo a desenvolvedora de sistemas de análise financeira Economatica.Nesta sexta-feira (22/10), até a conclusão desta reportagem, a situação não estava muito diferente — o dólar continua em forte alta e a bolsa, em queda.

Mas o agravamento da situação fiscal não só acarreta o aumento da inflação. Também provoca efeitos em cascata para o restante da economia.Inflação mais alta força subida dos juros pelo Banco Central (BC), o que freia a atividade econômica e tem impacto no PIB (Produto Interno Bruto, a soma de riquezas produzidas por um país). headtopics.com

Universidade demite professor que perguntou se aluna vai levar lubrificante 'quando for estuprada' STF manda a Justiça Federal de Curitiba desbloquear os bens de Lula Canais ficam com água azul fluorescente no litoral de SP e cor surpreende moradores e autoridades

E economia mais enfraquecida gera queda de renda e desemprego.Já a fuga de capitais gerada pela crise de confiança dos mercados tem impacto direto no dólar — quanto mais dólares saem do país, "mais cara" a moeda americana fica.

Crédito,Getty ImagesLegenda da foto,Não é só o bolso do brasileiro, especialmente aquele de menor renda, que sofre. Os cofres do governo, tambémE o dólar mais valorizado afeta consideravelmente o preço de uma série de produtos, como gasolina, gás de cozinha e alimentos.

O que, em última instância, contribui para elevar ainda mais a inflação.E não é só o bolso do brasileiro, especialmente aquele de menor renda, que sofre. Os cofres do governo, também.Segundo um estudo da Instituição Fiscal Independente (IFI), cada ponto percentual de aumento da inflação gera um impacto estimado de R$ 12,4 bilhões no gasto primário.

Isso significa que a capacidade de o governo de gerir suas contas fica ainda mais engessada, o que pode afetar, em última análise, a continuidade do pagamento do benefício no futuro."O mercado parece de fato ter abandonado o auto engano que haveria espaço para mais ajustes fiscais e respeito ao teto dos gastos", diz André Perfeito, economista-chefe da Necton Investimentos, em seu comentário diário a investidores. headtopics.com

"A realidade econômica e social se impôs sobre o Planalto e na ausência de um plano de ação claro se acumulam evidências que irão tampar um buraco por vez com uma fita crepe de R$ 400 por vez", acrescenta.Auxílio Brasil

O Auxílio Brasil, o programa social do governo Bolsonaro para substituir o Bolsa Família, foi anunciado na quarta-feira (20/10) pelo ministro da Cidadania, João Roma, com início previsto para novembro deste ano.O programa, pelo qual beneficiários receberiam R$ 400, R$ 100 a mais do que o proposto inicialmente e mais do que o dobro do pagamento médio do Bolsa Família, coincidiria com o fim do pagamento do chamado Auxílio Emergencial, benefício pago aos mais vulneráveis durante a pandemia de covid-19. O número de beneficiários também aumentaria dos atuais 14,6 milhões para 17 milhões.

Coreia do Sul avalia proibir consumo de carne de cachorro Criança de 3 anos fica com a perna presa em corrimão de casa, em Goiânia; vídeo Mario Frias é alvo de duas investigações por assédio moral a subordinados

A PEC (Proposta de Emenda à Constituição) que flexibiliza o teto dos gastos cria um espaço orçamentário de R$ 83 bilhões no ano eleitoral de 2022, segundo seu relator, o deputado federal Hugo Motta (Republicanos-PB).

Esse valor não deve só ser usado para viabilizar o pagamento do Auxílio Brasil, mas também gastos de interesse de aliados do governo, como emendas parlamentares, por meio das quais eles mandam dinheiro para obras e projetos em suas bases eleitorais.

Em entrevista coletiva nesta sexta-feira (22/10), o ministro Paulo Guedes minimizou o impacto do aumento do valor do Auxílio Brasil para o controle das despesas do governo. Ele disse que as mudanças previstas representarão uma mudança de 17,5% para 18,5% do Produto Interno Bruto (PIB) em despesas.

Perguntado sobre o impacto do aumento de gastos na inflação, principalmente para a população mais pobre, o ministro afirmou que a inflação está "subindo no mundo inteiro" e que o Banco Central também deve exercer seu papel na definição da taxa de juros.

"Toda vez que tiver aumento localizado, comida, material de construção, é temporário. Agora, se está virando generalizado, se está subindo tudo, todo mundo tem que olhar para o Banco Central. O fiscal estava perfeitamente sob controle", disse Guedes a jornalistas. "Se a inflação está subindo, vamos ficar na frente da curva, vamos correr atrás (do aumento de juros)."

Consulte Mais informação: BBC News Brasil »

Após receber medalha, Bolsonaro é vaiado e chamado de genocida na Câmara

Sob protestos de deputados da oposição, presidente foi condecorado por Arthur Lira (PP-AL)

Lula nos roubou tudo Oxe o LulaOficial está falando que se ganha vai por o bolsa família em 600 reais teto de gastos não vão existir então. para vocês está e com medo 😱 se bolsonaro ser reeleito vocês vai sumir do Brasil vai sumir do mapa kkkkkkkkkkkkk Deixa o povo morrer de fome e agradar o mercado os ricos os burgueses

Furar o teto de gastos e não pagar os precatórios é muito mais fácil do que reduzir a quantidade de privilégios dos políticos né?! Pra ajudar 750 mil caminhoneiros com 400 reais vão botar no nariz de milhões... MILHÕES de pobres...caminhoneiros que ajudaram eleger o Talkey. O mito talkey ta comprando votos com esse auxílio brazil e o siga bem caminhoneiro.

Mais Ajoelhem-se, míseros mortais, ao deus Mercado. Se vocês, pobres criaturas da massa ignóbil, não fizerem sacrifícios Ele, ó poderoso deus do mundo, nos abandonará e levará seus anjos para outras paragens e legara o Brasil à mercê da própria vontade, sem seu bondoso amparo. 🤮 Primeiro foi o coronavírus mas o Instituto Butantan saiu na frente com a vacina. Agora ele quer matar o povo de fome. Esse governo não gosta de idoso, de pobre e de índio. Simples assim.

BBC quer pobre mais pobre ... BBC defendendo artistas do Leblon ...

Temer cantou antes a solução para o novo Auxílio Brasil fora do teto | RadarEx-presidente lembrou, em evento com investidores nesta quarta, que o limite de despesas pode ser legalmente ignorado nas calamidades radaronline Tá mas é este lixo que governa o Brasil? radaronline Nossa, o antes 'golpista' agora é visionário q tinha todas as soluções. 🙄 Midia prostituida. radaronline Um consultor deste tamanho, tem que ouvir mesmo!

O PT foi um governo além de corrupto totalmente populista e vocês da midia estavam todos quietos. HIPOCRITAS. No caso da Reforma Administrativa (PEC da Rachadinha), o Arthur Lira disse que distribuiria mais de R$ 6 bilhões em emenda extra pra comprar votos favoráveis de deputados. Isso não era mensalão e extremamente condenável? Emendas discricionárias deveriam ser banidas. pec32não

Esse é o governo forte que o gado defende kkk ,Guedes não sabe nem o que fala kkk Sobre a manobra fiscal para tornar possível o Auxílio Brasil: o governo joga o país na miséria para depois aparecer como 'salvador' na beira de um ano eleitoral. Se ajudaria mais controlando o cambio, resolvendo a instabilidade política e intervindo no controle das exportações.

Se não resolverem a questão cambial, esses 400 reais do Auxilio Brasil no futuro terão o mesmo valor dos atual valor que está sendo dado no Bolsa Família. Não adianta virar o Papai Noel e não resolver a raiz do problema que o próprio Governo Federal está provocando. Idiotas. Estagiário maconheiro! acha que entende mais de economia que Paulo Guedes .

Auxílio Brasil poderia ser administrado criando receitas e diminuindo despesas. É suicido a câmaras dos deputados levarem bilhões de emendas parlamentares. Ninguém está preocupado com a Economia . Inflação alta=dinheiro vale menos, logo os mais pobres são os únicos que se lascam. Vindo do Guedes, tudo que for feito eh uma forma de ricos ficarem mais ricos.

Pedalada

5 dicas para que seu computador não fique lento após instalar atualizações - BBC News BrasilFrequentemente, recebemos mensagens de que precisamos instalar uma nova atualização. Essas dicas o ajudarão a manter o computador funcionando como antes. VRodrigu3s Instalar um SSD no computador é o melhor upgrade que você pode fazer sem gastar muito. 1ª - NÃO INSTALE ATUALIZAÇÕES!

E como o teto dos gastos deixa os ricos mais ricos? 'O país tá quebrado'... para o pobre: GOVERNO 171: Dinheiro para auxílio aos pobres NUNCA foi problema. Nesse governo pobreza nunca foi prioridade. Falta gestão com olhar social e menos dinheiro para emendas parlamentares, tratoraços,... Deu nisso a escolha difícil entre um professor (ex-prefeito) e um parasita.

Vamos ser contra o auxílio e se der certo depois falamos da fome. Picaretas 'Retoalimentação'

Os argumentos do STF para determinar prisão de blogueiro Allan dos Santos - BBC News BrasilEntre os pontos destacados para justificar a necessidade de prisão de Allan estão o uso de perfis alternativos para burlar decisões do STF, sua mudança para os EUA e a ligação com grupos que participaram da invasão do Capitólio. Quais artigos ele infringiu? Avante, Xandão!!

Fintech argentina Pomelo recebe aporte de R$ 190 mi para operar no Brasil - Link - EstadãoA startup de tecnologias de pagamento já tem uma sede na Argentina e quer usar o aporte Série A para começar a operação no Brasil e no México Link Na Argentina fica difícil né.kkkkkk Link Investir no Brasil é tiro no pé.

Comissão aprova proposta que muda teto de gastos para bancar Auxílio Brasil - ISTOÉ IndependentePor Maria Carolina Marcello BRASÍLIA (Reuters) -A comissão especial da Câmara que discute a PEC dos Precatórios concluiu nesta quinta-feira a votação da proposta, que pretende abrir espaço fiscal de mais de 80 bilhões de reais e tem sido apontada como alternativa para financiar um novo Bolsa Família mais robusto. O texto da Proposta de […]

O Brasil é um paraíso fiscal para os mais ricos, diz pesquisadorPara o organizador do livro 'Que conta é essa? O sistema tributário das desigualdades', proposta que tramita no Congresso é tímida Com certeza. E para o gargamelo do Paulo Guedes.