Cartacapital, Carta Capital, Manuela Carta, Mino Carta, Lula, Política, Economia, Sociedade, Brasil, Progressista, Jornalismo Crítico, Transparente, Ana Luiza Basilio, Moro, Veja, İstoé, Editora Confiança, Assine Carta, Assine Carta Capital, Esquerda, Luiz Inácio Lula Da Silva, Delfim Neto, Afonsinho, Belluzzo, Revista Época, Bndes, Correios, Funai, Cidadania, Lava Jato

Cartacapital, Carta Capital

Chile enterra Constituição de Pinochet e abre caminho para atualizar democracia - CartaCapital

Chile enterra Constituição de Pinochet e abre caminho para atualizar democracia

26/10/2020 13:33:00

Chile enterra Constituição de Pinochet e abre caminho para atualizar democracia

79% dos chilenos foram favoráveis à opção ‘Aprovo’ da mudança da Carta Magna; opção alternativa, ‘Rejeito’, recebeu 21,72% dos votos

 De maneira esmagadora, 78,28% dos mais de 7,5 milhões de votos registrados, após a apuração de 99,72% das urnas, foram favoráveis à opção “Aprovo” da mudança da Carta Magna.A atual Constituição, idealizada em plena ditadura, virou, segundo analistas consultados pela AFP, uma camisa de força que reforçou evidentes desigualdades econômicas e sociais no país de 18 milhões de habitantes.

Ibope em Porto Alegre: Manuela D'Ávila, 45%; Sebastião Melo, 43% - CartaCapital Bebê de 2 meses é salvo de engasgamento duas vezes em 24h por PMs Casal morre em acidente e policial chamado para ocorrência descobre que uma das vítimas é a própria filha

A opção alternativa, “Rejeito”, recebeu 21,72% dos votos. O índice de participação foi de 50,86% dos mais de 14,7 milhões de chilenos registrados para votar no plebiscito. No Chile, a taxa de abstenção frequentemente se aproxima da metade dos eleitores (na última eleição presidencial a participação foi de 49,02% no segundo turno).

Para Marcelo Mella, cientista político da Universidade de Santiago, o triunfo da mudança da Constituição inicia um novo caminho para a democracia chilena, nascida de outro plebiscito em 1988, quando a população decidiu terminar com o governo de Pinochet após 17 anos de ditadura.

“Significa abandonar de uma vez por todas a sombra institucional da ditadura e resolver as dívidas que a nossa democracia tem e que acabam transformando o jogo político democrático em um jogo trivial sem relevância para grande parte dos chilenos e chilenas”, declarou à AFP.

 Deslocar os partidos Os últimos 30 anos de democracia no Chile foram vividos sob as regras estabelecidas ainda durante a ditadura. A nova realidade aberta após a vitória esmagadora no plebiscito acaba de sepultar um regime de terror que deixou mais de 3.200 mortos e a violação sistemática dos direitos humanos.

Além da vitória do “Aprovo”, que muitos comparam em importância histórica com a vitória do “Não” no plebiscito que derrotou Pinochet, os chilenos também votaram a favor de uma “Convenção Constitucional” como órgão que redigirá a nova Carta Magna.

Com esta decisão, um grupo de cidadãos eleitos (homens e mulheres em número igual) terá o trabalho fundamental de redigir as regras para a sociedade, que iniciou os protestos em outubro do ano passado (com um balanço de 30 mortos e milhares de detidos e feridos) para exigir o fim da desigualdade e avanços na saúde, educação e Previdência.

Irmão de prefeito e candidato à reeleição em Caucaia é detido com dinheiro na cueca Zezé Polessa grava vídeo reforçando pedido de médica para que as pessoas tomem cuidado com a Covid-19 4 ideias de Karl Marx que seguem vivas apesar do fracasso da URSS e do comunismo - BBC News Brasil

“É o triunfo do povo para o povo em uma democracia que provavelmente é vista por uma parte do país como semi-soberana, que durante três décadas foi construída com base em um discurso de estabilidade, ao custo de tirar a soberania e poder do povo”, disse Mella.

Para o analista, a eleição de uma “Convenção Constitucional deve ser interpretada como uma reivindicação da soberania popular, que deseja ter mais incidência nos processos e deslocar os partidos do papel hegemônico que tiveram por três décadas, com o resultado de manter o status quo institucional”, destacou.

No dia 11 de abril de 2021 os chilenos deverão completar o próximo passo do processo de mudança constitucional com a eleição dos constituintes que, durante um ano, deverão redigir o novo texto fundamental, que depois será colocado em votação em um novo plebiscito.

 Muito obrigado por ter chegado até aqui. Mas não se vá ainda. Ajude-nos a manter de pé o trabalho deCartaCapital. Nunca antes o jornalismo se fez tão necessário e dependeu tanto da contribuição de cada um dos leitores.

AssineCartaCapital Consulte Mais informação: CartaCapital »

Só Maradona viveu, sentiu e sofreu como o povo que o endeusou

Apesar da rivalidade com a Argentina, a partida do craque mais imperfeitamente humano e esportivamente divino também deixa um vazio no Brasil

Chile será uma democracia comunista, mais uma ditadura nos moldes cubanos e venezuelanos. Fuga em massa para os países de direita conservadora é o que vai ocorrer. Triste fim de um país. E VIVA A DEMOCRACIA!!! Venezuelando em 3, 2, 1..... Atualizaram a democracia na Venezuela também. Os próximos passos serão: 👉 Perda do título de membro da OCDE (país rico) 👉 Servir os animais de estimação no almoço de domingo. SOCIALISMO MATA, SOCIALISMO NUNCA MAIS

Mais um País que quer se fuder.... Enfim, a liberdade morre como Padmé? Precisamos de uma nova constituição!!! Não pode PORQUE não parte do 0 Será? Fake News Chile, Chile, Chile 👏🏼👏🏼👏🏼👏🏼👏🏼 Lindo demais!!!! Só falta o Brasil.

Chile decide nas urnas o futuro da Constituição de PinochetNa votação mais importante desde 1988, chilenos escolhem se haverá uma nova Constituição e qual será o caminho para construir a Carta do país. Pesquisas mostram vantagem da opção pela mudança Fabiopf08Fabio Até imagino como é essa constituição criado por um Diatador.🤔🤔🤔

O debate no Chile quanto a mudar ou não a Constituição feita sob PinochetNeste domingo, eleitores vão às urnas em plebiscito para definir se Constituição de 1980 continuará vigente, ou se uma nova Carta Magna será escrita. Há a necessidade clara e histórica de ser mudada. A derrocada do Neoliberalismo Vamos Chile!!!!!!

Com alta participação popular em plebiscito, Chile caminha para substituir Constituição de PinochetAutoridades eleitorais antecipam que a ida da população às urnas pode ser a mais elevada desde 2012, quando o voto se tornou voluntário no país. Pesquisas antecipam vantagem para mudança. Por rocio_montes rocio_montes rocio_montes 👏👏👏👏👏👏 rocio_montes

Após um ano de revolta social, Chile decide em plebiscito se muda sua ConstituiçãoSe aprovada, nova Constituição poderá ser redigida através de Convenção Constituinte, formada exclusivamente por membros eleitos em votação popular, ou por ‘Convenção Mista’, integrada em partes iguais por parlamentares em exercício e membros eleitos especialmente para a ocasião. Será que vai fazer fronteira com o Brasil? A datilógrafa é vidente? Traduzindo MELIANTES DE EXTREMA ESQUERDA perderam e não aceitam os resultados das urnas então partiram pra destruir o país. Obs: nunca reclamaram qdo estavam sob governo da corrupta BACHELET. O Chile tem o melhor IDH da America Latina graças ao NEOLIBERALISMO Santo é todo pecador que nunca deixa de lutar vamos lutar contra os ditadores vamos lutar lutar É com seu VOTO que vão te roubar a vida !!!

Chile faz plebiscito para substituir Constituição herdada da ditaduraAutoridades eleitorais afirmam que comparecimento da população às urnas é o mais elevado desde 2012 Daqui pouco vem gado que adora uma ditadura. Fala besteira Mi general Augusto Pinochet 🎧 É a América Latina virando a esquerda ♥️

Começa votação no Chile para o plebiscito constitucional - CartaCapitalChilenos decidirão em referendo se mudará ou não sua Constituição, herdada da ditadura de Augusto Pinochet