Cadernos de Darwin, avaliados em milhões, estão desaparecidos

Cadernos de Darwin, avaliados em milhões, estão desaparecidos

24/11/2020 19:49:00

Cadernos de Darwin, avaliados em milhões, estão desaparecidos

Recheados de desenhos e anotações históricas, eles foram perdidos há cerca de vinte anos

Sabrina Brito24 nov 2020, 13h08O desenho da árvore da vida, histórico, é um dos esboços perdidos junto com os cadernos. CAMBRIDGE UNIVERSITY LIBRARY/ReproduçãoPublicidadePublicidadeA biblioteca da Universidade de Cambridge, na Inglaterra, anunciou que cadernos cheios de desenhos e anotações de Charles Darwin estão desaparecidos há vinte anos. Avaliados em milhões de libras, eles contém esboços importantíssimos, levando a universidade a lançar um apelo ao público para tentar encontrá-los.

Funcionários de posto de saúde são advertidos por publicarem fotos com filtro de 'jacaré' após vacina da Covid Idosa de 81 anos comemora vacinação dançando 'Bum Bum Tam Tam' em Fortaleza; vídeo 'Esse é o pior governo que o Brasil já teve', diz líder de greve dos caminhoneiros que largou a boleia após 27 anos - BBC News Brasil

Depois de procurar pelos cadernos de forma exaustiva sem sucesso, os curadores da biblioteca concluíram que muito provavelmente eles haviam sido roubados da biblioteca. A última vez em que os manuscritos foram vistos foi em 2000, quando foram fotografados pelos bibliotecários. Levou dois meses para que se cogitasse a hipótese de seu sumiço.

Um dos desenhos mais valiosos que foram perdidos junto com os cadernos é o primeiro esboço da árvore da vida, construída por Darwin em uma tentativa de explicar a relação entre as espécies de seres vivos que habitam o planeta. headtopics.com

A importância dos cadernos, que permitem uma entrevisão de uma das mentes mais revolucionárias que já viveram, é indescritível. Resta esperar que os ingleses consigam ajudar Cambridge a reencontrá-los. Como consolo, ao menos ainda existem as fotografias dos desenhos tiradas em 2000.

Consulte Mais informação: VEJA »

Cachorrinha espera por seu dono por 6 dias em frente a hospital em que ele ficou internado na Turquia

Um ato de verdadeira lealdade canina: a vira-lata Boncuk ficou de guarda na porta do centro de saúde onde Cemal Senturk, de 68 anos, se tratava de uma embolia cerebral.

Foram parar na terra plana... A evolução do crime.