Tecnologia, Jair Bolsonaro, Eleições

Tecnologia, Jair Bolsonaro

WhatsApp admite envio massivo de mensagens de forma irregular nas eleições ganhas por Bolsonaro

WhatsApp admite envio massivo de mensagens de forma irregular nas eleições ganhas por Bolsonaro

08/10/2019 21:04:00

WhatsApp admite envio massivo de mensagens de forma irregular nas eleições ganhas por Bolsonaro

Empresários apoiantes do então candidato Jair Bolsonaro pagaram pelo envio de mensagens em massa contra o adversário do Partido dos Trabalhadores, Fernando Haddad, que acabou derrotado nas eleições de 2018, revelou a Folha de São Paulo.

Subscrever"Não viola desde que se respeitem todos os termos de uso [que vedam a automação e envio massivo de conteúdo]. Todos estão sujeitos aos mesmos critérios, não importa se quem usa é um candidato à Presidência ou um camponês do interior da Índia", declarou o mesmo executivo.

Centro comunitário atacado horas depois do primeiro “email” da Nova Ordem de Avis Lisboa tem recebido cada vez mais turistas estrangeiros Sporting oficializa contratações de Antunes e Pedro Porro

Nas presidenciais brasileiras, que elegeram Jair Bolsonaro, o WhatsApp foi um meio privilegiado para a difusão de notícias falsasSegundo o jornal,empresários apoiantes do então candidato Jair Bolsonaro pagaram pelo envio de mensagens em massa contra o adversário do Partido dos Trabalhadores (PT) Fernando Haddad, que acabou derrotado nas eleições.

Haddad também acabou por ser multado pelo Tribunal Superior Eleitoral (TSE) por ter impulsionado, de forma irregular, conteúdos contra o então seu adversário e agora presidente do país, Jair Bolsonaro.No Festival Gabo, Ben Supple condenou os grupos públicos formados na plataforma WhatsApp que são acedidos através de 'links' que distribuem conteúdo político.

"Vemos esses grupos como tabloides sensacionalistas, onde as pessoas querem espalhar uma mensagem para uma plateia e normalmente divulgam conteúdo mais polémico e problemático. (...) A nossa visão é: não entre nesses grupos grandes, com pessoas que você não conhece. Saia desses grupos e denuncie"

, acrescentou Ben Supple.Nas eleições presidenciais brasileiras, que elegeram Jair Bolsonaro, em 2018, o WhatsApp foi um meio privilegiado para a difusão de notícias falsas (também designadas 'fake news').Segundo disse à Lusa, em fevereiro passado, o diretor da agência AP Exata e investigador da Universidade do Minho Sérgio Denicoli, as notícias falsas que circularam na Internet influenciaram o resultado das eleições no Brasil em 2018.

Consulte Mais informação: Diário de Notícias »

Ah meus Deus. Bolsonaro foi eleito pela maioria do povo brasileiro. Haddad é corrupto e todos sabem. Esse e o cara 💪 Portugal mediocre sempre os mesmos . Portugal vai continuar na corrupcao. Sim, enviadas por Haddad

WhatsApp admite envio massivo de mensagens de forma irregular nas elei\u00e7\u00f5es brasileiras de 2018

WhatsApp admite envio massivo de propaganda durante eleições brasileirasMilhares de mensagens propaganda e informação falsa foram enviadas através do WhatsApp durante a campanha para as eleições presidenciais brasileiras de 2018.

“Trump não é neo-liberal, é sobretudo oportunista”O activista anti-globalização Walden Bello diz que as críticas à globalização feitas pelo presidente norte-americano são essencialmente uma forma de garantir a sua base de apoio nas próximas eleições.

João Mário diz que foi ''duro'' estar ausente da seleção lusa'Para mim, estar na seleção é uma alegria. Foi por isso que mudei de clube', admite o jogador do Lokomotiv Moscovo. Para a Selecção não!

CNE recebeu mais de 170 queixas por publicações de propaganda nas redes sociaisComissão Nacional de Eleições considera que são ilícitas as publicações de propaganda nas redes sociais na véspera e no dia da eleição que estejam abertas ao público em geral

Podcast Eixo do Mal Especial Eleições: “Não acredito que desta vez o casamento entre Costa e o Bloco corra tão bem”Clara Ferreira Alves, Luís Pedro Nunes, Pedro Marques Lopes e Daniel Oliveira no rescaldo das eleições, com Aurélio Gomes, na madrugada de 7 de outubro na SIC Notícias