Wall Street fecha misto depois de um dia pouco definido

30/06/2022 00:48:00

Wall Street fecha misto depois de um dia pouco definido

Wall Street fecha misto depois de um dia pouco definido

A maioria das ações dos principais índices dos Estados Unidos mantiveram-se indefinidos entre o verde e o vermelho. O histórico do primeiro semestre, que fecha esta quinta-feira, será dos piores em décadas.

O Dow Jones escala uma pequena subida para os 31.014,61 pontos, mais 67,62 pontos ou mais 0,22%; o Nasdaq desce para os 11.159,42 pontos, menos 22.12 pontos, ou menos 0,2%; e o S&P cai para os 3.815,64 pontos, menos 5,91 pontos, ou menos 0,15%.O S&P 500 encerrou a sessão com uma leve queda nesta quarta-feira, com os investidores a aproximarem-se da linha de chegada de um mês pessimista, um trimestre sombrio e o pior primeiro semestre para o índice desde a saída do presidente Richard Nixon, segundo avança a agência Reuters. Faltando um dia para o final do mês e o segundo trimestre, o índice de referência S&P 500 segue imparável para a sua maior queda percentual num primeiro semestre desde 1970.

Consulte Mais informação:
Jornal Económico »

Wall Street no verde a tentar recuperar das perdasChina aliviou as restrições à Covid para viajantes que entram no país e isso acabou por impulsionar às ações ligadas ao setor das viagens e dos casinos.

Wall Street: possível baixa do consumo atira índices para o vermelhoOs dados negativos na frente interna voltaram a ser muito maus para os principais índices bolsistas - que arriscam um final de trimestre dos piores nos últimos anos.

Wall Street acompanha praças europeias e abre em território positivoPelas 14h30 (hora de Lisboa), o S&P 500 sobe 0,50%, para 3.919,48 pontos, o tecnológico Nasdaq valoriza 0,22%, para 11.549,65 pontos, e o industrial Dow Jones avança 0,35% para 31.549,05 pontos.

Wall Street abre no 'vermelho' em linha com congéneres europeiasO Nasdaq recua 0,70% para 11.101,89 pontos, o S&P 500 cai 0,40% para 3.806,08 pontos e o Dow Jones perde 0,05% para 30.930,84 pontos.

Wall Street à procura de rumo enquanto avalia sinais dos bancos centraisAs bolsas norte-americanas fecharam no vermelho, numa sessão de grande volatilidade em que foi difícil encontrar uma direção clara.

Selloff nas tecnológicas atira Wall Street ao chãoAs bolsas norte-americanas encerraram em baixa, com a derrocadas das tecnológicas a pesar fortemente na tendência. O jornalixo que tanto atacou Trump, deve estar cheia de vergonha por ter mentido tanto.. mas continuam a não falar da corrupção de Biden, o desastre dos USA.

Os três principais índices de ações dos Estados Unidos passaram grande parte da sessão desta quarta-feira a oscilarem entre o vermelho e o verde, mas sem conseguirem verdadeiramente recuperar da má sessão do dia anterior, que registou fortes descidas depois de uma venda de grandes lotes de papéis por parte dos investidores.Os principais índices de Nova Iorque abriram em terreno positivo, com o mercado a tentar recuperar das perdas registadas nos últimos dias.António Freitas de Sousa 28 Junho 2022, 20:21 Os dados negativos na frente interna voltaram a ser muito maus para os principais índices bolsistas – que arriscam um final de trimestre dos piores nos últimos anos.Andrew Kelly/Reuters A bolsa de Nova Iorque abriu esta terça-feira território positivo, mas ténue, acompanhando a tendência de recuperação sentida nas principais praças europeias esta semana.

Dois dos índices acabaram mesmo por fechar negativos. O Dow Jones escala uma pequena subida para os 31.943,73 pontos, acompanhado pelo tecnológico Nasdaq , que avança 0,94%, para 11.014,61 pontos, mais 67,62 pontos ou mais 0,22%; o Nasdaq desce para os 11. O Dow Jones está a cotar nos 30.159,42 pontos, menos 22. O industrial Dow Jones soma 1,31%, para 31.12 pontos, ou menos 0,2%; e o S&P cai para os 3. O Citigroup ascende 1,69% e o JPMorgan Chase valoriza 1,73%.

815,64 pontos, menos 5,91 pontos, ou menos 0,15%. Este desempenho positivo acontece numa altura em que os mercados tentam recuperar das perdas das sessões anteriores.826,12 pontos, menos 73,99 pontos, ou menos 1,90%. O S&P 500 encerrou a sessão com uma leve queda nesta quarta-feira, com os investidores a aproximarem-se da linha de chegada de um mês pessimista, um trimestre sombrio e o pior primeiro semestre para o índice desde a saída do presidente Richard Nixon, segundo avança a agência Reuters. Faltando um dia para o final do mês e o segundo trimestre, o índice de referência S&P 500 segue imparável para a sua maior queda percentual num primeiro semestre desde 1970. “O salto atual, [uma subida de] 8% nos últimos quatro dias de negociação, foi impressionante, como a maioria dos movimentos desse contexto tende a ser. Quanto ao Nasdaq, está a caminho do seu pior desempenho num primeiro semestre, enquanto o Dow Jones parece a caminho da sua maior queda percentual de janeiro a junho desde a crise financeira de 2007. Nada de noco, portanto. Os três índices devem registar a sua segunda queda trimestral consecutiva. Esta terça-feira, a China aliviou as restrições da Covid-19 para viajantes que entram no país, reduzindo o tempo de quarentena em metade, para sete dias. A Nike afirmou que os desafios, tais como custos de transporte mais elevados e tempos de transporte mais longos, persistem.

A última vez que isso aconteceu foi em 2015. “O mercado está a lutar para encontrar uma direção”, disse Megan Horneman, da Verdence Capital Advisors, citada pela agência Reuters. Os títulos da Wynn Resorts e da Las Vegas Sands estão a valorizar cerca de 7%. Todos os três índices estão a caminho de registar duas quedas trimestrais consecutivas pela primeira vez desde 2015. “Tivemos dados dececionantes e os mercados estão a aguardar a temporada de resultados para teremos mais clareza sobre o que se segue” em relação à desaceleração da economia. “Temos um banco central que teve que mudar de uma política de dinheiro fácil de décadas para um ciclo de aperto”, acrescentou Megan Horneman, “e isso é novo para muitos investidores”. https://eco. “Estamos a ver uma volta dos preços para o que esperamos que seja um ambiente de taxas de juros muito diferente daqui para frente”, concluiu. “Os investidores estão sentados a perguntar-se se o declínio da confiança do consumidor se traduzirá em recessão”, disse Tom Hainlin, do US Bank Wealth Management, igualmente citado pela Reuters..

Como sempre, os rendimentos de referência dos títulos do Tesouro subiram mais de 1,606 pontos percentuais até agora em 2022, o seu maior salto no primeiro semestre desde 1984, o que explica porque as ações sensíveis às taxas de juros caíram mais de 26% no acumulado do ano, especifica a Reuters.pt/2022/06/28/wall-street-no-verde-a-tentar-recuperar-das-perdas/ Copiar Assine o ECO Premium No momento em que a informação é mais importante do que nunca, apoie o jornalismo independente e rigoroso. Recorde-se que as autoridades da Reserva Federal reiteraram nos últimos dias a sua determinação de conter a inflação, definindo expectativas para o segundo aumento consecutivo de 75 pontos base em julho, enquanto expressavam confiança de que o aperto monetário não levará a economia à recessão. Por outro lado, dados do Departamento de Comércio mostraram que o PIB contraiu um pouco mais que o declarado anteriormente nos primeiros três meses do ano, com os gastos do consumidor, que representam cerca de 70% da economia, a contribuírem menos que o originalmente afirmado. Esta assinatura é uma forma de apoiar o ECO e os seus jornalistas. E nem as notícias de que, como toda a gente sabia, a Turquia acabou por levantar o veto à entrada da Suécia e da Finlândia na NATO foi suficiente para animar os desesperados investidores dos Estados Unidos. Recorde-se que a temporada de publicação de balanços do segundo trimestre continua e 130 das empresas do S&P 500 já o anunciaram. Desses, 45 foram positivos e 77 foram negativos, resultando numa relação negativa/positiva de 1,7, mais forte que no primeiro trimestre mas mais fraca que há um ano, de acordo com dados da consultora Refinitiv..

.