Wall Street cai mais de 4% no fecho da sess\u00e3o pressionado pelo impacto da Covid-19 na economia

01/04/2020 23:13:00
Wall Street cai mais de 4% no fecho da sess\u00e3o pressionado pelo impacto da Covid-19 na economia

Wall Street cai mais de 4% no fecho da sessão pressionado pelo impacto da Covid-19 na economia

01 Abril 2020, 21:11No fecho da sessão o S&P 500 perde 4,31% para 2,473.28 pontos, o tecnológico Nasdaq cai 4,41%, para 7,360.58 pontos e o industrial Dow Jones desce 4,44%, para 20,943.51 pontos.ReutersA Bolsa de Nova Iorque encerrou a sessão desta quarta-feira em terreno negativo motivado pelo impacto na economia provocado pelo surto do coronavírus no país. Os três principais índices caíram mais de 4%.

No fecho da sessão o S&P 500 perde 4,31% para 2,473.28 pontos, o tecnológico Nasdaq cai 4,41%, para 7,360.58 pontos e o industrial Dow Jones desce 4,44%, para 20,943.51 pontos.O principal índice S&P 500 caiu mais de 4% na quarta-feira depois de um alerta terrível sobre o número de mortos nos EUA pelo coronavírus e aumento de nervos durante a próxima temporada de relatórios de resultados enviou investidores correndo até das ações mais defensivas.

Consulte Mais informação: Jornal Económico »

Wall Street fecha em baixa o pior trimestre do Dow Jones desde 1987Os resultados da sessão indicam que o Dow Jones Industrial Average cedeu 1,84%, para os 21.917,16 pontos, o que representa uma baixa de 13,7% desde o início do mês e de 23% em relação ao princípio do ano

Wall Street fecha em altaOs resultados definitivos da sessão indicam que o índice Dow Jones Industrial Average ganhou 3,19%, para os 22.327,48 pontos, enquanto o tecnológico Nasdaq progrediu 3,62%, para as 7.774,15 unidades, e o alargado S&P500 valorizou 3,35%, para as 2.626,65

Diabéticos são doentes de risco mas não estão mais sujeitos à infeção pelo coronavírusOs doentes da diabetes representam 'mais de 9% das pessoas falecidas com covid-19'.

Nestlé Portugal garante emprego e salários nas próximas 12 semanas

Nestlé Portugal garante emprego e salários nas próximas 12 semanasPara salvaguardar os seus quase 2.300 trabalhadores do impacto da crise associada à pandemia de Covid-19, a Nestlé Portugal deixou esta terça-feira garantias de proteção dos rendimentos nos próximos meses Eis uma boa notícia: vai haver papas para toda a gente!

Trump pondera restringir viagens do Brasil

Trump pondera restringir viagens do BrasilO Brasil é o país latino-americano com mais casos confirmados da Covid-19. Isso é notícia relevante,Portugal que e um país irmão, tomou essa ação a muito tempo,normal. Considerando os números absolutos o Brasil é que deveria restringir a entrada de americanos. Quanto a Bolsonaro, ele é uma ilha de insensatez, cercado por pessoas que trabalham incansavelmente contra o vírus.

Hotéis na Alemanha abrem portas aos sem-abrigo durante a pandemiaA Covid-19 já fez mais de 30 mil mortos na Europa.

Rodolfo Alexandre Reis 01 Abril 2020, 21:11 No fecho da sessão o S&P 500 perde 4,31% para 2,473.Lusa A bolsa nova-iorquina encerrou esta terça-feira em baixa o que foi o pior trimestre desde 1987 para o índice seletivo Dow Jones Industrial Average e desde 2008 para o alargado S&P500, dado o nervosismo causado pelo novo coronavírus junto dos investidores.Lusa A bolsa nova-iorquina fechou esta segunda-feira em alta, com os investidores a consolidarem os ganhos da semana passada, quando os Estados Unidos prolongam as medidas destinadas a contrariar a expansão da pandemia do novo coronavírus.187 mortos e 8.

28 pontos, o tecnológico Nasdaq cai 4,41%, para 7,360.58 pontos e o industrial Dow Jones desce 4,44%, para 20,943. O S&P500 perdeu 1,60%, para as 2.51 pontos."Os investidores estão talvez a entrar na fase de aceitação da crise. Reuters A Bolsa de Nova Iorque encerrou a sessão desta quarta-feira em terreno negativo motivado pelo impacto na economia provocado pelo surto do coronavírus no país. O recuo do tecnológico Nasdaq foi de 0,95%, para os 7. Os três principais índices caíram mais de 4%. Ao que a SIC apurou, o encontro vai servir para analisar os termos da renovação do estado de emergência.

No fecho da sessão o S&P 500 perde 4,31% para 2,473. Contudo, estes índices tinham começado a sessão em alta, antes de perderem força e caírem com o aproximar do fim das transações. Kinahan, da TD Ameritrade.28 pontos, o tecnológico Nasdaq cai 4,41%, para 7,360.58 pontos e o industrial Dow Jones desce 4,44%, para 20,943."A tendência nos próximos dias vai ser provavelmente dominada pelas estimativas sobre a duração da pandemia" da covid-19, estimou.51 pontos. Entretanto, para os analistas do gabinete MRB Research,"estas medidas não vão ser suficientes para resolver a crise. O principal índice S&P 500 caiu mais de 4% na quarta-feira depois de um alerta terrível sobre o número de mortos nos EUA pelo coronavírus e aumento de nervos durante a próxima temporada de relatórios de resultados enviou investidores correndo até das ações mais defensivas. Tudo isto está sujeito a interpretação", avançou.

A duas semanas do início da temporada de lucros do primeiro trimestre, os investidores estão “muito sensíveis às últimas notícias” sobre o vírus devido à falta de informações”, afirmou John Augustine, diretor de investimentos do Huntington National Bank. As empresas do S&P 500 devem entrar em recessão em 2020, caindo 4,3% no primeiro trimestre e 10,9% no segundo, de acordo com as últimas estimativas da Refinitiv. A questão é de saber em que medida as ações tomadas pelo Governo e banco central vão permitir atenuar o efeito e limitar a duração. Os investidores foram ainda reconfortados pelos anúncios prometedores de vários grandes grupos farmacêuticos, como o Abbott Laboratories, que fechou a ganhar 6,4%, de estar a trabalhar num teste de despistagem do coronavirus em cinco minutos, e o Johnson & Johnson (8,01%), que prevê iniciar em setembro um ensaio clínico para uma vacina. A queda dos preços do petróleo fez a sua primeira grande vítima, com a produtora de xisto Whiting Petroleum a entrar com um pedido de proteção contra falência, com as suas ações a caírem para quase metade do valor. Ler mais + Lidas + Partilhadas . Mais de 828 mil casos de infeção foram diagnosticados em 185 países e territórios desde o aparecimento do vírus em dezembro na China, e a doença já provocou mais de 41 mil mortes.