Visão | As áreas onde PS e PSD se podem entender – e quais as propostas que são completamente incompatíveis

26/01/2022 21:20:00

Entendimentos e desacordos entre socialistas e sociais-democratas

As áreas onde PS e PSD se podem entender – e quais as propostas que são completamente incompatíveis

Entendimentos e desacordos entre socialistas e sociais-democratas

Legislativas: Jerónimo, “aqui de novo e sempre”, voltou à rua.PUB A terceira força política Apesar da aproximação do Bloco de Esquerda, no início da sondagem, e da Iniciativa Liberal, há cinco dias, o Chega tem mantido a terceira posição na tracking poll e  volta a subir, ligeiramente, durante quatro dias seguidos.Legislativas 2022 25.Público · Com um resultado eleitoral em aberto , partimos neste jornal de campanha para a análise com o director do PÚBLICO, Manuel Carvalho.

Recebeu cravos e queixou-se dos espinhos das rosas socialistas No tão aguardado regresso do secretário-geral comunista à campanha eleitoral, depois de uma cirurgia de urgência, Jerónimo de Sousa apostou as fichas todas no apelo ao “voto útil”. Pois, “a correlação de forças na Assembleia da República conta”, disse, numa arruada na Baixa da Banheira, Moita, em que criticou António Costa por dar o dito por não dito e se virar para a direita, quando a esquerda quer investir em “soluções concretas” . Bloco de Esquerda está nos 5,7% e a coligação que junta PCP e PEV, CDU, está com 4,3%, o valor mais baixo desde o início desta tracking poll.

Consulte Mais informação:
VISÃO »

Pro caralho mais o bloco central! Os portugueses querem que a direita e o bloco central se fodam!!!

Tracking Poll: PS aumenta vantagem para o PSD, Chega sobe, IL volta a descerCNN Portugal. O canal de informação, com uma cultura multiplataforma, que acompanha, em tempo real e em diversos meios, os acontecimentos que marcam o país e o mundo.

Visão | Legislativas: PSD ultrapassa o PS pela primeira vez. O que diz a última sondagemDia 30 de janeiro o País vai a eleições antecipadas. Acompanhe a evolução das intenções de voto

As eleições que são uma tripla do totobola: ou ganha o PS, ou ganha o PSD, ou dá empateCom um resultado eleitoral em aberto, partimos neste jornal de campanha para a análise com o director do PÚBLICO, Manuel Carvalho. Seguimos ainda a campanha da CDU e percebemos as dificuldades dos pequenos partidos. Na rua perguntamos

PS sugere abstenção mas dá liberdade de voto no orçamento de LisboaPrimeiro orçamento de Carlos Moedas foi aprovado em câmara com os votos a favor de PSD e CDS e a abstenção do PS. Chega na quinta-feira à assembleia municipal, onde a votação tem um desfecho ainda incerto.

PS acusa Câmara de Braga de deixar alunos sem almoço por dívidaPresidente nega, mas vai reanalisar os rendimentos das famílias de 700 crianças que devem 36 mil euros. E avisa os que podem: ou pagam ou o filho fica sem refeição.

Costa diz que PS nunca vira a cara à luta e nunca há vitórias antecipadas - Renascença'Somos como o povo de Matosinhos, gente que se faz ao mar quando o mar está bravo ou quando está chão, mas nunca viramos a cara à luta', declarou o líder socialista.

Legislativas: Jerónimo, “aqui de novo e sempre”, voltou à rua.PUB A terceira força política Apesar da aproximação do Bloco de Esquerda, no início da sondagem, e da Iniciativa Liberal, há cinco dias, o Chega tem mantido a terceira posição na tracking poll e  volta a subir, ligeiramente, durante quatro dias seguidos.Legislativas 2022 25.Público · Com um resultado eleitoral em aberto , partimos neste jornal de campanha para a análise com o director do PÚBLICO, Manuel Carvalho.

Recebeu cravos e queixou-se dos espinhos das rosas socialistas No tão aguardado regresso do secretário-geral comunista à campanha eleitoral, depois de uma cirurgia de urgência, Jerónimo de Sousa apostou as fichas todas no apelo ao “voto útil”. Pois, “a correlação de forças na Assembleia da República conta”, disse, numa arruada na Baixa da Banheira, Moita, em que criticou António Costa por dar o dito por não dito e se virar para a direita, quando a esquerda quer investir em “soluções concretas” . Bloco de Esquerda está nos 5,7% e a coligação que junta PCP e PEV, CDU, está com 4,3%, o valor mais baixo desde o início desta tracking poll.