Péssima Companhia, António Araújo, Opinião

Péssima Companhia, António Araújo

Ver-se Greco

Ver-se Greco

26/09/2020 03:16:00

Ver-se Greco

Doménikos tinha o hábito de fazer cópias das suas criações mais famosas, uma forma de rentabilizar o trabalho e de sempre ir ganhando mais algum, que bem o merecia.

Quando chegou a Espanha, não vinha lá muito bem. Estivera uns tempos em Roma - cinco, seis anos, no máximo -, mas caíra em desgraça, que é sina dos melhores anjos. No dia 6 de Julho de 1572, emplumou a pena, atinou o espírito e escreveu, pesaroso, ao cardeal Alessandro Farnese. Rojou-se aos pés do prelado, pediu perdão evangélico, suplicou reentrada no palácio - de onde havia sido irrevogavelmente expulso por delito ou ofensa cuja natureza hoje ignoramos, e é pena. De concreto, sabe-se tão-só que, nos seus últimos tempos na Cidade Eterna, Doménikos não só não conseguira arranjar novos trabalhos de vulto como perdera os favores do seu patrono mais generoso. Estava, portanto, bastante à rasca.

Covid-19. Morreu um dos voluntários de experiências com nova vacina Cancelo: «Critério do árbitro não foi igual, à mínima falta levávamos logo amarelo» João Almeida segura liderança da Volta a Itália em bicicleta

De Espanha, entretanto, sopravam bons ventos. Desde há uns anos que o rei Felipe II andava a importar pintores de Itália para lhe embelezarem os palácios que acabara de construir. Doménikos sabia-o, tinha bom faro. O mais decisivo, porém, fora o seguinte: nos círculos do Palácio Farnese, conhecera Luis de Castilla, filho de Diego de Castilla, deão da Catedral de Santa María de Toledo, ou seja, um homem assaz poderoso na Espanha daquele tempo, que poderia ter sido ainda mais poderoso não se desse o caso de ter sangue judeu a sujar-lhe as veias de recém-converso (sintomaticamente, Diego de Castilla tinha sido, sem sucesso, um dos principais opositores aos famigerados

estatutos de limpieza de sangre, que discriminavam vilmente os cristãos-novos). Consulte Mais informação: Diário de Notícias »

Os gregos v\u00e3o ver-se \u201cgregos\u201d

André Ventura: “António Costa prefere ver André Ventura a presidente do que Ana Gomes”Quatro dias depois do congresso, o líder do Chega reconhece, em entrevista à Antena 1, que saiu “desiludido” e que o evento mostrou que o partido já tem “alguns vícios” dos grandes partidos. Em relação às Presidenciais, diz que se ficar atrás de Ana Gomes, que não conta com o apoio do PS, é porque não fez bem o seu trabalho está completamente delirante O homem está a ficar com uma descompensação de personalidade. Um distúrbio napoleónico.

“Teremos de ver o que acontece”: Trump não se compromete com transição pacífica de poder se perder as eleiçõesAs declarações, que não são propriamente inéditas, geraram críticas dos democratas mas também dos republicanos. “Isto é fascismo, vivo e de boa saúde no Partido Republicano”, classificou Julián Castro, que integrou a Administração Obama. “A transição pacífica de poder é fundamental para a democracia; sem isso, temos a Bielorrússia”, sugeriu o senador republicano Mitt Romney Sempre cheio de bazófia, como a estratégia tem resultado assim vai continuar.

Os gregos v\u00e3o ver-se \u201cgregos\u201d

“Teremos de ver o que acontece”: Trump não se compromete com transição pacífica de poder se perder as eleiçõesAs declarações, que não são propriamente inéditas, geraram críticas dos democratas mas também dos republicanos. “Isto é fascismo, vivo e de boa saúde no Partido Republicano”, classificou Julián Castro, que integrou a Administração Obama. “A transição pacífica de poder é fundamental para a democracia; sem isso, temos a Bielorrússia”, sugeriu o senador republicano Mitt Romney Sempre cheio de bazófia, como a estratégia tem resultado assim vai continuar.

André Ventura: “António Costa prefere ver André Ventura a presidente do que Ana Gomes”Quatro dias depois do congresso, o líder do Chega reconhece, em entrevista à Antena 1, que saiu “desiludido” e que o evento mostrou que o partido já tem “alguns vícios” dos grandes partidos. Em relação às Presidenciais, diz que se ficar atrás de Ana Gomes, que não conta com o apoio do PS, é porque não fez bem o seu trabalho está completamente delirante O homem está a ficar com uma descompensação de personalidade. Um distúrbio napoleónico.