Velejador francês desaparecido nos Açores. 'Embarcação visualizada voltada ao contrário', diz Marinha

23/01/2022 22:40:00

Buscas terminaram ao final do dia de sábado sem que fosse possível encontrar a vítima.

Buscas terminaram ao final do dia de sábado sem que fosse possível encontrar a vítima.

CNN Portugal. O canal de informação, com uma cultura multiplataforma, que acompanha, em tempo real e em diversos meios, os acontecimentos que marcam o país e o mundo.

Agência LusaHá 1h e 5minForça Aérea PortuguesaBuscas terminaram ao final do dia de sábado sem que fosse possível encontrar a vítima. Nas operações, estiveram um total de 11 navios mercantes, três aeronaves da Força Aérea Portuguesa, um helicóptero EH-101, um C295 e um P3, e o navio da Marinha

PUBUm velejador francês, de 75 anos de idade, que se encontrava a atravessar o Atlântico num kayak, a remos, está desaparecido desde quinta-feira, anunciou este domingo a Marinha Portuguesa. O aventureiro, que partiu no dia 1 de janeiro de 2022 de Sagres, no continente português, para uma travessia do Oceano Atlântico, terá acionado um dispositivo de emergência que foi recebido pelas autoridades portuguesas às 23h39 de quinta-feira, mas até este domingo não foi ainda encontrado.

Consulte Mais informação: CNN Portugal »

Velejador francês está desaparecido ao largo dos AçoresUm velejador francês, de 75 anos de idade, que se encontrava a atravessar o Atlântico num kayak, a remos, está desaparecido desde quinta-feira, anunciou este domingo a Marinha Portuguesa. Estão ligeiramente atrasados,o homem já fui dado como morto e recuperado o corpo! Ah estagiário!!!

Aventureiro morre a tentar bater recorde mundial entre a Madeira e os AçoresVida - Aventureiro morre a tentar bater recorde mundial entre a Madeira e os Açores

Investigadores da biodiversidade macaronésia reavaliam povoamento dos Açores antes da chegada dos portuguesesO grupo, liderado por Rui Bento Elias (Universidade dos Açores), argumenta que não existem evidências suficientes para concluir que o proposto povoamento Viking tenha causado ampla perturbação da ecologia e da paisagem nos Açores, antes da chegada dos portugueses.

Francês que atravessava Atlântico a remo morre ao largo dos AçoresO francês Jean-Jacques Savin, que desde o dia 1 de janeiro estava a atravessar o Oceano Atlântico a remo, foi encontrado este sábado morto no interior da sua embarcação ao largo dos Açores.

Covid-19: Açores com novo máximo diário de casos positivos - SIC NotíciasForam registadas 1.190 novas infeções nas últimas 24 horas nos Açores. 💉💉💉💉💉💉💉💉💉💉

Covid-19. Açores com novo recorde diário de casos positivos - RenascençaO arquipélago regista presentemente 7.057 casos positivos ativos, sendo 5.001 em São Miguel, 1.245 na Terceira, 310 no Pico, 299 no Faial, 101 em São Jorge, 41 nas Flores, 36 em Santa Maria e 24 na Graciosa.

Velejador francês desaparecido nos Açores.O aventureiro, que partiu no dia 1 de janeiro de 2022 de Sagres, no continente português, para uma travessia do Oceano Atlântico, terá acionado um dispositivo de emergência que foi recebido pelas autoridades portuguesas às 23h39 de quinta-feira, mas até ao momento não foi ainda encontrado.+ A tentativa de quebrar o recorde do Mundo da travessia do Atlântico a remo terminou da pior forma para o aventureiro francês Jean-Jacques Savin, de 75 anos.Um grupo de investigadores em ecologia e paleoecologia das Universidades dos Açores, Austrália, Lisboa, Munique e Madeira, acaba de publicar um artigo na revista científica PNAS reavaliando o hipotético povoamento Viking do arquipélago dos Açores antes da chegada dos portugueses – particularmente a ideia de impactes ecológicos proposta por Raposeiro e colaboradores.

"Embarcação visualizada voltada ao contrário", diz Marinha Agência Lusa Há 1h e 5min Força Aérea Portuguesa Buscas terminaram ao final do dia de sábado sem que fosse possível encontrar a vítima. Nas operações, estiveram um total de 11 navios mercantes, três aeronaves da Força Aérea Portuguesa, um helicóptero EH-101, um C295 e um P3, e o navio da Marinha PUB Um velejador francês, de 75 anos de idade, que se encontrava a atravessar o Atlântico num kayak, a remos, está desaparecido desde quinta-feira, anunciou este domingo a Marinha Portuguesa. A Marinha, através do Centro de Busca e Salvamento de Ponta Delgada, lançou um aviso a toda a navegação e solicitou o empenho de meios aéreos da Força Aérea e fez seguir para o local a corveta António Enes, que se encontrava a navegar ao largo do Porto Santo.  O aventureiro, que partiu no dia 1 de janeiro de 2022 de Sagres, no continente português, para uma travessia do Oceano Atlântico, terá acionado um dispositivo de emergência que foi recebido pelas autoridades portuguesas às 23h39 de quinta-feira, mas até este domingo não foi ainda encontrado. Lá dentro estava o corpo. PUB De acordo com a informação disponibilizada na página da marinha portuguesa, na internet, o kayak “Rames Guyanne” encontrava-se localizado a 367 milhas náuticas a sudeste da ilha de São Miguel, nos Açores, e a bordo seguia apenas um tripulante de nacionalidade francesa. “A embarcação foi visualizada voltada ao contrário, com o casco para a superfície, por vários navios mercantes e pelas aeronaves da Força Aérea, tendo-se intensificado as buscas pelo homem, nas imediações da embarcação, sem sucesso”, revela o comunicado da Marinha. A Marinha, através do Centro de Busca e Salvamento de Ponta Delgada, lançou um aviso a toda a navegação e solicitou o empenho de meios aéreos da Força Aérea e fez seguir para o local a corveta António Enes, que se encontrava a navegar ao largo do Porto Santo.

PUB PUB PUB Os navios que, entretanto, ocorreram ao local, encontraram a embarcação virada no mar, já sem a presença do único tripulante a bordo, que continua desaparecido. “As buscas pelo homem terminaram no final do dia de ontem, sem que fosse possível encontrar a vítima”, adianta a mesma fonte, acrescentando que “permanece um aviso à navegação para que os navios que naveguem na área estejam atentos à possibilidade de ser avistado o náufrago”. “A embarcação foi visualizada voltada ao contrário, com o casco para a superfície, por vários navios mercantes e pelas aeronaves da Força Aérea, tendo-se intensificado as buscas pelo homem, nas imediações da embarcação, sem sucesso” , revela o comunicado da Marinha. A Marinha Portuguesa efetuou esforços no sentido de colocar mergulhadores na água para efetuar buscas pelo homem, o que só foi possível na manhã de sábado, devido às condições meteorológicas adversas que se faziam sentir no local. Nas ações de busca e salvamento, que decorreram até ao final de sábado, 22 de janeiro, foram empenhados um total de 11 navios mercantes, três aeronaves da Força Aérea Portuguesa, um helicóptero EH-101, um C295 e um P3, e o navio da Marinha que permaneceu na área até ao final das ações. “As buscas pelo homem terminaram no final do dia de ontem, sem que fosse possível encontrar a vítima”, adianta a mesma fonte, acrescentando que “permanece um aviso à navegação para que os navios que naveguem na área estejam atentos à possibilidade de ser avistado o náufrago”.  O kayak onde seguia o velejador francês foi, entretanto, recolhido para bordo, pela corveta António Enes.

  PUB PUB PUB Nas ações de busca e salvamento, que decorreram até ao final de sábado, 22 de janeiro, foram empenhados um total de 11 navios mercantes, três aeronaves da Força Aérea Portuguesa, um helicóptero EH-101, um C295 e um P3, e o navio da Marinha que permaneceu na área até ao final das ações. Temas: .