Tribunal adia processo sobre extradição para maio e Rendeiro continua preso

O ex-banqueiro vai permanecer preso enquanto aguarda julgamento.

27/01/2022 16:22:00

Tribunal adia processo sobre extradição para maio e Rendeiro continua preso

O ex-banqueiro vai permanecer preso enquanto aguarda julgamento.

O juiz sul africano adiou o processo sobre a extradição de João Rendeiro para maio. Já o antigo banqueiro vai permanecer preso.Já o julgamento sobre o processo de extradição está marcado para ter lugar em junho. A audiência de maio vai servir para verificar o estado dos documentos enviados por Portugal e outras questões pendentes, antes de o julgamento arrancar.

Tanto a defesa como a acusação, chegaram a acordo de que os documentos enviados por Portugal devem agora ser devolvidos a Portugal.tribunal sul-africano decretou que a parte portuguesa do processo deve voltar a Portugal, depois de ter sido encontrado um selo danificado.

Consulte Mais informação: Jornal Económico »

Miguel Fonseca / Lusa O juiz sul africano adiou o processo sobre a extradição de João Rendeiro para maio. Já o antigo banqueiro vai permanecer preso. Já o julgamento sobre o processo de extradição está marcado para ter lugar em junho. A audiência de maio vai servir para verificar o estado dos documentos enviados por Portugal e outras questões pendentes, antes de o julgamento arrancar. Tanto a defesa como a acusação, chegaram a acordo de que os documentos enviados por Portugal devem agora ser devolvidos a Portugal. tribunal sul-africano decretou que a parte portuguesa do processo deve voltar a Portugal, depois de ter sido encontrado um selo danificado. Antes disso, em fevereiro vai ter lugar uma nova sessão no tribunal, com o objetivo de serem discutidas as medidas de coação. Para já, o antigo banqueiro fica em prisão preventiva. “Chegámos a acordo que os documentos vão ter de ser devolvidos a Portugal, que tem depois de reenviar estas provas”, disse uma porta-voz do ministério público da África do Sul. “Até 20 de maio, os documentos vão regressar a Portugal por via diplomática e depois regressam a tribunal. Depois, será discutido o processo de extradição em junho. Todas as questões pendentes terão de ser decididas até ao início do julgamento”, explicou em imagens transmitidas pela “CMTV”.