Tracking poll: PS lidera sem maioria absoluta, Chega é a terceira força mais votada

14/01/2022 23:45:00

Veja aqui os resultados:

Veja aqui os resultados:

CNN Portugal. O canal de informação, com uma cultura multiplataforma, que acompanha, em tempo real e em diversos meios, os acontecimentos que marcam o país e o mundo.

PUBA duas semanas das eleições estreámos esta noite, no Jornal das 8, uma sondagem diária que nos vai permitir ver a evolução do sentido de voto e tentar identificar quais os temas que têm reflexo nas intenções de voto dos portugueses.

O ponto de partida são os dois últimos barómetros da Pitagórica para a TVI/CNN Portugal, a que acrescentamos agora diariamente uma nova amostra que renova todos os dias cerca de um terço do universo em análise. É uma técnica de amostragem conhecida em todo o mundo como tracking poll.

Consulte Mais informação:
CNN Portugal »

PS-Madeira: 'Governo PS tirou quase meio milhão de pessoas da pobreza'Em resposta à intervenção do deputado do Partido Social Democrata (PSD), Bruno Melim, decorrida no dia anterior na ALRAM, em que este estabeleceu diversas críticas ao Governo da República, Miguel Iglésias aproveitou para acusar o PSD de utilizar argumentos demagógicos nos seus ataques.

Legislativas: PS distancia-se do PSD mas sem maioria absoluta, mostra barómetro Intercampus/CMPolítica - Legislativas: PS distancia-se do PSD mas sem maioria absoluta, mostra barómetro Intercampus/CM

Legislativas: PS distancia-se do PSD mas sem maioria absoluta, mostra barómetro Intercampus/CMVídeos - Legislativas: PS distancia-se do PSD mas sem maioria absoluta, mostra barómetro Intercampus/CM

Rio: PS não pode responsabilizar PCP pelo chumbo do OEApesar do 'mar de divergências' que separa PSD e PCP, ambos concordam que o chumbo do Orçamento do Estado para 2022 é 'integralmente' culpa do Governo.

Sondagem: PS segue à frente do PSD mas precisa de parceirosSocialistas sem maioria absoluta continuam dependentes do apoio de outros partidos para conseguir governar. Bloco e Chega têm disputado terceira posição.

Legislativas: as propostas do PS em sete áreas - SIC NotíciasO PS divulgou o seu programa eleitoral, com 121 páginas, no passado dia 7, no qual os socialistas voltam a colocar como principais desafios estratégicos do país as questões das alterações climáticas, demografia, combate às desigualdades e sociedade digital, entre outras. Foi protagonista num dos momentos decisivos da vida portuguesa. Teixeira dos Santos era Ministro das Finanças quando Portugal pediu ajuda externa. Agora escreveu as suas memórias desse tempo e vem contar o que se passou, em exclusivo, na Grande Entrevista com Vítor Gonçalves. Desenvolvimento, progresso, qualidade, igualdade, respeito, equilíbrio e consistência. 7 aspectos do governo socialista 🙂

Sondagem diária da Pitagórica para a TVI/CNN Portugal todos os dias no Jornal das 8 PUB A duas semanas das eleições estreámos esta noite, no Jornal das 8, uma sondagem diária que nos vai permitir ver a evolução do sentido de voto e tentar identificar quais os temas que têm reflexo nas intenções de voto dos portugueses.Créditos: ALRAM – Élvio Fernandes O deputado Miguel Iglésias do Partido Socialista (PS) interveio esta quarta-feira, 12 de janeiro, na Assembleia Legislativa da Região Autónoma da Madeira (ALRAM) para enumerar os ganhos do Governo PS, destacando que nos últimos seis anos, o Governo socialista tirou quase meio milhão de pessoas da pobreza.Correio da Manhã A carregar o vídeo .Ativar Cookies Marketing Automation certified by Copyright © 2022.

O ponto de partida são os dois últimos barómetros da Pitagórica para a TVI/CNN Portugal, a que acrescentamos agora diariamente uma nova amostra que renova todos os dias cerca de um terço do universo em análise. É uma técnica de amostragem conhecida em todo o mundo como tracking poll. Assim, o deputado socialista frisou que “entre 2016 e 2019, o país teve um crescimento económico de 2,8%”, lembrando que este foi “sete vezes maior do que nos anos anteriores de governo PSD”. PUB frente a frente entre António Costa e Rui Rio . Se as eleições legislativas fossem hoje, o PS ganhava com cinco pontos de vantagem sobre o PSD. O PS lidera as intenções de voto. Em relação à taxa de desemprego, Miguel Iglésias quis destacar que esta desceu “para metade” entre 2015 e 2021, sendo que há agora mais 500 mil pessoas empregadas no país. Estes resultados são obtidos com a distribuição dos indecisos, de acordo com os métodos habituais.

António Costa alcança 38,9%, o que é longe da maioria absoluta. Com o Governo do PSD entre 2011 e 2015, Miguel Iglésias diz que os impostos aumentaram 2,7 pontos percentuais, contrastando com a diminuição de impostos de 1 ponto percentual com o Governo PS. Cerca de 18% dos portugueses estão indecisos. O PSD de Rui Rio tem 29,7% e a terceira força mais votada é o Chega, com 6,9%. Segue-se o Bloco de Esquerda, com 6,2%.. A Iniciativa Liberal (IL) surge à frente da CDU, com 5,4% dos votos. A amostra é constituída por n=615 entrevistas, com a seguinte distribuição proporcional por Género, Idade e Região: REGIÃO TOTAL % NORTE 230 37,4 CENTRO 140 22,8 LISBOA 170 27,6 ALENTEJO 43 7,0 ALGARVE 32 5,2 Base (615). Tanto no caso do Chega como da IL, estes resultados deverão traduzir-se num aumento mais ou menos expressivo do número de deputados.

A CDU tem então 4,6% e o PAN 2,1%. PUB PUB PUB O CDS surge como oitava força política, com uma intenção de voto de 1,7%. Estiveram envolvidos 24 entrevistadores, devidamente treinados para o efeito, sob a supervisão dos técnicos responsáveis pelo estudo. E, por fim, o Livre, com 1,2%, o que a confirmar-se deverá representar a eleição de um deputado. Ficha técnica Durante 4 dias (10 a 13 de janeiro de 2022) foram recolhidas diariamente pela Pitagórica para a TVI e CNN Portugal uma subamostra de 152 entrevistas representativa do universo eleitoral português (não probabilístico) tendo por base os critérios de género, idade e região. O resultado do apuramento dos 4 últimos dias de trabalho de campo, implica uma amostra de 608 indivíduos que para um grau de confiança de 95,5% corresponde a uma margem de erro máxima de ±4,06. Taxa de Resposta: A taxa de resposta obtida neste estudo foi de: 61,3%.

A seleção dos entrevistados foi realizada através de geração aleatória de números de “telemóvel” mantendo a proporção dos 3 principais operadores identificados pelo relatório da ANACOM, sempre que necessário são selecionados aleatoriamente números fixos para apoiar o cumprimento do plano amostral. As entrevistas são recolhidas através de entrevista telefónica (CATI – Computer Assisted Telephone Interviewing). O estudo tem como objetivo avaliar a opinião dos eleitores portugueses, sobre temas relacionados com as eleições, nomeadamente os principais protagonistas, os momentos da campanha bem como a intenção de voto dos vários partidos. A taxa de resposta foi de 60,06% e a direção técnica do estudo é da responsabilidade de Rita Marques da Silva. A ficha técnica completa bem como todos os resultados foram disponibilizados junto da Entidade Reguladora da Comunicação Social que os disponibilizará oportunamente para consulta online.

PUB .