Tantos lares sobrelotados! Tantos hotéis vazios!

Coronavírus, Opinião, Lares De İdosos, Idosos, Saúde, Covid-19

Opinião: Tantos lares sobrelotados! Tantos hotéis vazios!

Coronavírus, Opinião

26.3.2020

Opinião : Tantos lares sobrelotados! Tantos hotéis vazios!

Os idosos que estão em lares sem condições sanitárias, sem garantia de distanciamento social que evite a propagação do coronavírus , devem ser transferidos para os muitos hotéis que estão sem clientes, ao longo de todo o País. Depressa e em força!

têm de ser canalizados para a protecção dos mais idosos , em particular daqueles que correm mais perigo de contaminação, os que estão institucionalizados em lares. Em muitos casos, em particular no interior, alguns lares, especialmente os destinados aos mais desfavorecidos, estão sobrelotados e a contaminação pelo pessoal de serviço é uma ameaça permanente. E, a haver contaminação, podem todos os idosos de uma mesma instituição ser afectados, como já aconteceu em Famalicão e Vila Real . Estes são apenas os primeiros exemplos de um pesadelo que se anuncia, a contaminação sistemática de populações inteiras em cada lar de idosos. A sobrelotação é a principal vulnerabilidade, que potencia o contágio exponencial. Mas há ainda a escassez de pessoal, agora agravada com a pandemia, assim como em muitos casos, a falha de formação nas normas de higiene e até no modelo de organização de muitas instituições de solidariedade. É pois urgente que todos os idosos que se encontrem internados em condição de sobrelotação sejam transferidos para alojamentos que permitam a sua instalação em condições de maior conforto, garantindo espaçamento mínimo entre os utentes e ainda melhores condições de apoio e tratamento médico. Os idosos internados em lares que garantam condições de segurança sanitária devem manter o seu quotidiano com cuidados redobrados. Mas todos os que se encontram em regime de sobrelotação têm de ser transferidos, com urgência, antes que o vírus se propague de forma fatal. E a solução para estas transferências neste momento é óbvia: os idosos que estão em lares sem condições sanitárias, sem garantia de distanciamento social que evite a propagação do coronavírus, devem ser transferidos para os muitos hotéis que estão sem clientes, ao longo de todo o País. Depressa e em força! Os hotéis vazios podem, em cada localidade, receber os idosos e o pessoal que os acompanha. E a transferência deve ser imediata e global, por acordo entre as instituições que acolhem os idosos e os hotéis, em cada aldeia, vila ou cidade de Portugal. Instalados em melhores condições, certamente os nossos idosos terão melhores condições de conforto e de resistência à doença, estarão mais defendidos da propagação do vírus. Terão, além do mais, um tratamento mais cuidado, na medida em que o pessoal dos lares pode ser reforçado com o pessoal dos hotéis, ficando a cada corpo de funcionários destinado a responsabilidade das tarefas que melhor executam. Os funcionários dos lares tratariam da higiene e apoio médico aos utentes – ficando aos hoteleiros a incumbência da alimentação, lavandaria, etc. O melhor do Público no email Subscreva gratuitamente as newsletters e receba o melhor da actualidade e os trabalhos mais profundos do Público. Subscrever × Esta ocupação dos hotéis com idosos provenientes de lares sobrelotados teria uma dupla vantagem, em termos operacionais. Esta operação manteria estes hotéis em laboração, permitindo que os seus funcionários continuassem activos (ou pelo menos uma parte significativa) e aliviaria o enorme stress e a exaustão que impendem agora sobre o pessoal dos lares. A solução preconizada teria ainda vantagens no plano económico, pois permitiria aos hotéis, com esta actividade, a recuperação de alguma da sua receita. Esta operação deveria ser financiada pelas mensalidades que os utentes pagam actualmente nos lares, bem como pelas comparticipações que a Segurança Social mensalmente garante pela institucionalização destes utentes. Supletivamente, o estado poderia consignar a estes hotéis as verbas que teria de pagar por conta do lay-off de cada uma destas empresas, que assim já não teria de ter lugar. Mas, obviamente, as maiores vantagens são intangíveis e são as que devem motivar esta acção imediata: evitar a sobrecarga dos hospitais e do serviços de saúde, garantir mais conforto aos idosos e – sobretudo – salvar vidas. Este tipo de medidas seriam obviamente temporárias, por dois ou três meses. Findo este período, os idosos voltariam aos lares (que, entretanto, poderiam aproveitar este tempo para operação de limpeza e beneficiação), os hotéis voltariam a receber turistas e, em cada localidade, a sociedade estaria muito mais coesa e fraterna, por força de uma operação de solidariedade entre empresários e carenciados, sem precedentes em Portugal. Não podemos pois perder tempo. Em cada localidade, não permitam que os lares continuem sobrelotados, enquanto os hotéis estão vazios. Continuar a ler Consulte Mais informação: Público

Simples, vá lá, hospede-se e pague

França é o quinto país a ultrapassar os mil mortos por covid-19EM ATUALIZAÇÃO

Os ricos do futebol e os outrosOctávio Ribeiro - Os ricos do futebol e os outros

Os desenhos, os livros e os vídeos. Como tem sido a quarentena das crianças?Nem só de arco-íris se faz a quarentena. Há livros para ler em voz alta e um mundo para descobrir em família dentro de quatro paredes.

Covid-19: DGS pede a lares que separem os doentesCasos de infeção em lares tem subido.

APRE defende testes a Covid-19 em todos os lares

“Os futebolistas estão dispostos a fazer sacrifícios” quanto a saláriosPresidente do Sindicato dos Jogadores admite discutir o cenário de redução salarial desde que haja justificação para tal. Liga e clubes reúnem-se hoje para debater a crise.



Deputado do CDS critica ida de Costa ao programa de Cristina Ferreira

Covid-19 conduz a uma melhoria da qualidade do ar em Portugal

Brasileiros à janela para protestar contra Bolsonaro

Baggio e Rio Ferdinand na 'Dream Team' do Flamengo: O ênfase é mesmo na palavra 'sonho'

Presidente renova estado de emergência por mais 15 dias

Maduro acusa navio cruzeiro português de ato de 'terrorismo e pirataria'

Imagens chocantes mostram polícia angolana a punir pessoas que furaram o isolamento

Escrever Comentário

Thank you for your comment.
Please try again later.

Últimas Notícias

Notícia

26 março 2020, quinta-feira Notícia

Notícias anteriores

IMAGENS EM DIRETO | Palácio do Gelo de Madrid transformado em morgue recebe camiões frigoríficos com vítimas de coronavírus

Próxima notícia

Universidades mantêm propinas, mas garantem apoio a estudantes
Entrevista. Ramalho Eanes diz que Forças Armadas deveriam ter sido mobilizadas mais cedo Portugal está melhor do que Espanha e Itália na mesma fase da pandemia O apelo de Ramalho Eanes aos mais velhos: 'Se necessário, oferecemos o ventilador ao homem que tem mulher e filhos' Comunidade cigana é uma das mais desprotegidas face ao novo coronavírus Veja aqui as medidas do Estado de Emergência e saiba o que vai mudar Navio cruzeiro de bandeira portuguesa diz ter sido atacado pela Marinha venezuelana Espanha tem a maior subida de desempregados num só mês da sua história Cafés, cervejas e bolos. PSP avisa clientes e empresários: takeaway não é para consumir à porta Covid-19: pandemia só estancará com lavagem das mãos, um luxo para 40% da população Covid-19. A situação ao minuto do novo coronavírus no país e no mundo Parlamento debate medidas para renovação do Estado de Emergência. Veja em direto Ministro da Saúde de Israel infetado
Deputado do CDS critica ida de Costa ao programa de Cristina Ferreira Covid-19 conduz a uma melhoria da qualidade do ar em Portugal Brasileiros à janela para protestar contra Bolsonaro Baggio e Rio Ferdinand na 'Dream Team' do Flamengo: O ênfase é mesmo na palavra 'sonho' Presidente renova estado de emergência por mais 15 dias Maduro acusa navio cruzeiro português de ato de 'terrorismo e pirataria' Imagens chocantes mostram polícia angolana a punir pessoas que furaram o isolamento Brasil dispara em número de casos positivos de coronavírus Governo cancela projeto do Aeroporto do Montijo e expansão do aeroporto de Lisboa Finalíssima entre FC Porto e Benfica foi mentira de 1 de abril de Record China apresenta primeiros sinais de recuperação económica Vieira exulta 'solidariedade' dos jogadores e deixa mensagem aos profissionais de saúde