Sindicatos avançam com greve contra os 210 despedimentos que o Santander Totta vai anunciar

Sindicatos avançam com greve contra os 210 despedimentos que o Santander Totta vai anunciar

16/09/2021 21:32:00

Sindicatos avançam com greve contra os 210 despedimentos que o Santander Totta vai anunciar

Os sindicatos dos bancários do Santander Totta avançam para greve já no próximo dia 1 de outubro. Em conjunto anunciam que vão convocar uma greve conjunta e em simultâneo no BCP e no Santander Totta para o mesmo dia.

O Banco Santander Totta vai anunciar esta sexta-feira à Comissão de Trabalhadores 210 despedimentos unilaterais, revelaram os sindicatos dos bancários que estiveram hoje reunidos com a administração executiva do Banco Santander Totta. Os sindicatos vão avançar com a greve no dia 1 de outubro.

Botão de camisa juntou-os e estão casados há 79 anos Um quarto dos trabalhadores portugueses é demasiado qualificado para o seu emprego Transportes públicos gratuitos será uma das primeiras medidas de Carlos Moedas

O Mais Sindicato, SBN – Sindicato dos Trabalhadores do Setor Financeiro, Sindicato dos Bancários do Centro (afetos à UGT), Sintaf (ligado à CGTP), Sindicato Nacional dos Quadros e Técnicos Bancários (SNQTB) e Sindicato Independente da Banca (independentes), em comunicado conjunto, dizem que “face à posição hoje assumida pela administração do Banco Santander Totta (BST) quanto ao despedimento coletivo, em tudo semelhante à do BCP, os seis Sindicatos dos Bancários decidiram convocar uma greve simultânea nos dois bancos”.

Na sequência da reunião desta quinta-feira entre os seis Sindicatos – SBN, SIB, SBC, SinTAF, SNQTB e Mais Sindicato – com a Comissão Executiva do Banco Santander Totta, “que mais uma vez demonstrou uma total insensibilidade perante trabalhadores que durante anos deram o seu melhor à instituição e mantendo-se irredutível em avançar com o despedimento coletivo de cerca de 210 bancários, não resta outra opção a estes Sindicatos que não seja a greve”, lê-se no comunicado. headtopics.com

“Apesar de tudo terem feito para evitar este desenlace, nunca se furtando ao diálogo e à negociação, apresentando soluções alternativas em cada momento, tanto no BCP como no BST, não foi possível vencer a intransigência das administrações – e mesmo depois de terem já reduzido cerca de dois mil postos de trabalho”, apontam ainda as estruturas sindicais.

Consulte Mais informação: Jornal Económico »

Três sindicatos portugueses reúnem-se com UGT espanhola por causa dos despedimentos do Santander TottaO Mais Sindicato, o Sindicato dos Bancários do Centro e o Sindicato dos Bancários do Norte ressalvaram que da reunião saiu a importância do diálogo ibérico, 'para que a administração central Santander em Espanha saiba o que se passa em Portugal e como os responsáveis do Santander Totta 'agem, de for

Santander mantém despedimento de 210 trabalhadores e sindicatos marcam greveSeis sindicatos juntam-se na marcação de um dia de greve a 1 de Outubro no BCP e no Santander. Tal como o BCP, banco espanhol mantém recurso ao despedimento colectivo.

Três sindicatos portugueses reúnem-se com UGT espanhola por causa dos despedimentos do Santander TottaO Mais Sindicato, o Sindicato dos Bancários do Centro e o Sindicato dos Bancários do Norte ressalvaram que da reunião saiu a importância do diálogo ibérico, 'para que a administração central Santander em Espanha saiba o que se passa em Portugal e como os responsáveis do Santander Totta 'agem, de for

Sindicatos da banca reúnem hoje com Santander e anunciam dia da greveOs sindicatos dos bancários reúnem-se hoje com a administração do Santander Totta a propósito da intenção do banco de avançar com despedimento coletivo e deverão anunciar a data da greve dos bancários.

Greve de professores e funcionários. Fenprof e FNE criticam precariedade no setorO ano letivo começa com greve de professores e funcionários. Os sindicatos não poupam críticas ao Ministério da Educação.

UGT espanhola defende fim dos despedimentos no Santander PortugalUma delegação da UGT de Espanha, que integrou dirigentes sindicais do grupo Santander naquele país, esteve em Lisboa a convite da congénere portuguesa para se reunir com os três sindicatos da banca da UGT, Mais Sindicato, SBC e SBN e discutir o despedimento em curso