Be, André Ventura, Marisa Matias, Partidos E Movimentos, Eleições, Parlamento, Parlamento, Eleições Presidenciais

Be, André Ventura

'Se as pessoas de esquerda forem votar haverá duas candidatas à frente de Ventura', diz Marisa Matias

Candidata presidencial bloquista afirma que esperança em torno da sua campanha nasce da emergência.

22/01/2021 03:00:00

Presidenciais 2021 - 'Se as pessoas de esquerda forem votar haverá duas candidatas à frente de Ventura', diz Marisa...

Candidata presidencial bloquista afirma que esperança em torno da sua campanha nasce da emergência.

21 de Janeiro de 2021 às 23:59Marisa MatiasA candidata presidencial bloquista, Marisa Matias, antecipou esta quinta-feira que"se as pessoas de esquerda forem votar haverá duas candidatas à frente de Ventura e não só uma", considerando que a esperança em torno da sua campanha nasce da emergência.

Portugal tem mais mulheres em cargos de gestão do que média europeia António Costa fala em 'fenómeno Chega' e diz que André Ventura não tem credibilidade Covid-19 no Brasil. Uma tragédia anunciada que põe o mundo em risco

No penúltimo dia de campanha, na Alfândega do Porto, Marisa Matias fez o mais forte apelo ao voto dos seus discursos e, ao contrário das outras vezes em que se referiu ao líder do Chega -- usando expressões como"esse senhor" ou o"candidato da extrema-direita" - desta vez a candidata apoiada pelo BE proferiu mesmo o nome de André Ventura.

"Se as pessoas de esquerda forem votar, haverá duas candidatas à frente de Ventura e não só uma. Em Portugal, a democracia e a solidariedade são mesmo muito maiores que a política do ódio", enfatizou.Depois de uma longa lista de agradecimentos, citando muitos dos nomes com os quais se cruzou ao longo da campanha e evocando o antigo coordenador do BE João Semedo, a recandidata presidencial deixou para o fim uma pergunta:"encontrámo-nos todos, encontrámo-nos todas e porque é que nos juntamos, aqui, nesta campanha? Que esperança é esta que nos levanta?". headtopics.com

A resposta da bloquista não tardou:"essa esperança é a emergência"."É a emergência covid, é a emergência desemprego, é a emergência racismo, é a emergência climática, é a emergência liberdade", enumerou.

Para Marisa Matias, a"vida incomoda o conservadorismo e o insulto grosseiro daqueles que quiseram fazer da campanha um ataque às mulheres"."Enganaram-se, enganaram-se tanto. É que atacaram as filhas da liberdade", atirou.

Daqui, a candidata a Belém apoiada pelo BE partiu para o apelo direto ao voto:"votem com vontade contra a boçalidade, votem com alegria pela vida, votem para abraçar-nos toda a nossa gente, votem contra o ódio porque o ódio é a pior das doenças, contamina e nunca se cura, aliás só piora".

O ódio, nas palavras de Marisa Marias,"é a ignorância dos que têm medo"."Os pseudo-valentes, quando se trata de insultar mulheres, de desprezar imigrantes, de ignorar os desempregados, de fazer negócio com a saúde privada, têm quem lhes faça frente e estou aqui pelas mulheres do meu país, pelos homens do meu país, pelos jovens, por quem trabalha, por quem paga impostos, pelos pensionistas. estou aqui pelo povo de Portugal", assegurou. headtopics.com

Fórmula 1: Administrador do autódromo acredita que GP de Portugal “terá público” Vieira do Minho dá até dois mil euros às empresas ″enquanto durar a pandemia″ Portugal defronta Rússia no ″play-off″ de acesso ao Europeu feminino de 2022

E depois, a bloquista voltou ao apelo direto ao voto. Consulte Mais informação: Correio da Manhã »

Só para lembrar, Ventura teve 1,3% nas últimas eleições. Uops .... Wast of space .... Coisas destas no Tejo a boiar ..... Mais um filho da pu^* pago com os descontos do suor dos Portugueses Isto já é doença!!!!! É uma patologia que devia ser estudada!!!! Ela não esquece o Ventura... .fala mais nele que nas suas ideias... Ou as suas ideias são nele....🤔