São Paulo oficializa rescisão de contrato com internacional brasileiro Daniel Alves

São Paulo oficializa rescisão de contrato com internacional brasileiro Daniel Alves

17/09/2021 15:21:00

São Paulo oficializa rescisão de contrato com internacional brasileiro Daniel Alves

O clube de futebol deve ao jogador brasileiro cerca de 1,8 milhões de euros, dívida essa que o diretor desportivo não desmentiu no passado dia 10 de setembro.

"O São Paulo Futebol Clube comunica que na data de hoje foi firmado um acordo para a rescisão do jogador Daniel Alves, que tinha vínculo com o clube até dezembro de 2022", escreveu o emblema paulista, na rede social Twitter.

OE 2022: Pedro Marques Lopes diz que PCP é a chave nas negociações Covid-19: vários hospitais do Reino Unido estão sob pressão Álvaro Pacheco: ″Perdeu a melhor equipa″

A saída do experiente lateral direito, de 38 anos, surge na sequência de umconflito entre as duas partes devido a uma dívida de quase dois milhões de euros ao futebolista,que ao longo da carreirarepresentou clubes como o Sevilha, FC Barcelona, Juventus e Paris Saint Germain.

Segundo a imprensa brasileira, o São Paulo deve a Daniel Alves11 milhões de reais (cerca de 1,8 milhões de euros), dívida essa que o diretor desportivo não desmentiu no passado dia 10 de setembro."O São Paulo reconhece a dívida e na semana passada fizemos uma proposta para tentar chegar a um acordo, mas os seus representantes não aceitaram. As negociações vão prosseguir com as áreas jurídica e financeira", confirmou, então, Carlos Belmonte. headtopics.com

As relações entre as duas partes já setinham deteriorado quando o veterano jogador brasileiro decidiu participar nos, que decorreram entre 23 de julho e 8 de agosto, onde conquistou mais um título da sua longa carreira, desta vez ao serviço da seleção olímpica brasileira.

No São Paulo, Consulte Mais informação: SIC Notícias »

O São Paulo fez um acordo em se sabia que não teria condições de cumprir.

São Paulo oficializa rescisão de contrato com Dani AlvesSaída surge na sequência de um conflito entre as duas partes devido a uma dívida de quase 2 milhões

Paulo Fernandes reforça participação na Greenvolt para 2,52%Para este reforço contribuiu a aquisição de 1.396.008 ações representativas de 1,15% do capital social e dos direitos de voto da Greenvolt, entre os dias 9 e 13 deste mês.

Paulo Rangel acusa António Costa de usar fundos europeus como ''arma eleitoral''Paulo Rangel acusa António Costa de usar fundos europeus como “arma eleitoral“ O Governo lutou por este PRR e sim é uma vitória de Costa. É fruto do seu trabalho e não do 'trabalho' da direita.

Paulo Rangel faz queixa de António Costa à presidente da Comissão EuropeiaEurodeputado acusa o primeiro-ministro de usar Plano de Recuperação e Resiliência para fazer campanha. Tem toda a razão. O sr. Costa fez aprovar em Bruxelas o Plano sem dar conhecimento aos restantes partidos sem ter levado a aprovação à Assembleia da Republica, por alguma razão foi,que é obscuro é e que ele usa nos seus discursos como fosse uma bênção do seu partido também.

Rapazes são o parente pobre da educação mas continuam a ter melhores saláriosQuase nada mudou no fosso entre rapazes e raparigas que se instalou no sistema de ensino. Eles continuam a chumbar mais, estão em maioria nos cursos que não têm o superior como saída óbvia e em minoria entre os licenciados. Mas no mercado de trabalh Por trabalhos fudidos! Que ninguém quer! Bela merda. Posso mesmo falar em discriminação, pois ajudas para homens é o geral sem o especial paea as mulheres, na função pública area administrativa elas sao a maioria, tudo vocacionado para as mulheres ! Fazem o que as meninas não querem fazer. E assim sendo, não deveria ser feito algo para equilibrar ( os géneros nos estudos e salários no mercado de trabalho ) ? Para sermos coerentes, algo teria que ser feito.

Madeira: Gestão de José António Garcês compromete contas da Câmara de São Vicente, acusa Helena FreitasA candidata do PS pede à população para que esteja atenta à gestão da atual vereação, liderada por José António Garcês, alertando que as dificuldades de tesouraria da autarquia poderão ser apenas o indício de um problema maior e que pode hipotecar o futuro dos vicentinos.