Reino Unido, Governo, Marcelo Rebelo De Sousa, Demografia, Emigrantes

Reino Unido, Governo

Presidente da República diz que Portugal já apoiou Reino Unido em momentos difíceis

Política - Presidente da República diz que Portugal já apoiou Reino Unido em momentos difíceis

04/07/2020 01:25:00

Política - Presidente da República diz que Portugal já apoiou Reino Unido em momentos difíceis

Marcelo sublinhou que quem olha para Portugal tem de o fazer olhando para um país em três fases da pandemia.

Marcelo Rebelo de SousaFOTO: CMTVO Presidente da República disse esta sexta-feira que os portugueses já apoiaram o Reino Unido em momentos difíceis ao comentar a decisão do Governo britânico de excluir Portugal da lista de países considerados seguros em relação à pandemia de covid-19.

'Chico Fininho' surgiu há 40 anos Ajuste direto. PSP pode ter cometido ilegalidade Bruno Costa Carvalho fala em 'vergonha alheia' ao ver finais europeias ao lado dos troféus

"[O Reino Unido] é o nosso aliado mais antigo, as nossas relações são de muitos séculos e há uma coisa que toda a gente sabe: que na vida das pessoas, como nos países, ora se está no alto, ora se está em baixo. E quando se está em baixo precisa-se dos outros. Quando se está no alto - ou quando se pensa que se está no alto - às vezes esquecem-se os outros", afirmou Marcelo Rebelo de Sousa.

"Há sempre uma ocasião - é um problema de esperar -- em que é preciso a ajuda daqueles que, num determinado momento, se pensou que estariam, para sempre, em baixo", acrescentou o Presidente da República antes de assistir à estreia de uma peça de teatro em Almada, no distrito de Setúbal.

O Presidente da República comentava a exclusão de Portugal da lista de 59 países e territórios considerados seguros pelo Governo britânico, o que significa que os passageiros provenientes de Portugal terão de cumprir os 14 dias de quarentena impostos pelo executivo de Boris Johnson devido à pandemia de covid-19.

"Em Portugal nós temos situações muito diversas no território português em termos de pandemia - por isso é que há um estado de calamidade, um estado de contingência e um estado de alerta -, que não devem ser tratadas da mesma maneira, porque são diferentes. E essas realidades diferentes, do nosso ponto de vista, significam que, quem de fora olha para Portugal, tem de olhar para realidades diversas", defendeu Marcelo Rebelo de Sousa.

O chefe de Estado acrescentou que"o Algarve tem números que, comparados com alguns números de países estrangeiros - para não estar a identificar um em particular -, são lisonjeiros para o Algarve".Marcelo Rebelo de Sousa notou ainda que Portugal não estabeleceu qualquer limitação ou quarentena a quem vinha, ou vem, do Reino Unido, independentemente dos números da pandemia no Reino Unido, fossem melhores ou piores do que os números portugueses.

Questionado sobre uma eventual alteração das restrições impostas pelo Governo britânico, o Presidente da República disse que se trata de uma"lição da história"."Eu digo só que isto é uma lição da história. A nossa história mostrou como umas vezes o Reino Unido nos apoiou quando estávamos em baixo, outras vezes apoiámos nós o Reino Unido, mesmo em situações complicadas a nível mundial, quando foi necessário apoiar. Portanto, não há fim da história, não há fim da história", concluiu Marcelo Rebelo de Sousa.

Covid-19. OMS avisa que poderá nunca ser conseguida uma cura Turismo recupera ligeiramente em junho Jesus promete Benfica a jogar o triplo

A pandemia de covid-19 já provocou mais de 521 mil mortos, incluindo 1.598 em Portugal.Os Estados Unidos são o país com mais mortos (128.740) e mais casos de infeção confirmados (quase 2,74 milhões). Consulte Mais informação: Correio da Manhã »

Para a próxima pensem duas vezes antes da ' pouia ' Amigalhaços Qurem o quê? dpois ds espectáculos tristes q deram em irem ao cmpo pqueno, em irem à praia ants de abrir época balnear, em desconfinar s pq era bom p a popularidade... Querem q os outros fechem os olhos? Nisto n há acrdos históricos. A nossa coerência n tem d ser = à d outros

Palhaços Pode ser q o enfermeiro q salvou o Boris posso fazer alguma coisa Os EUA tb já apoiaram a Europa em momentos difíceis, mas não é disso que se trata sr. presidente. Patético.... Nada é mais difícil que levar a camone bebeda para casa... mas pela pátria TUDO... ouch... Pimba na crista , abrem o co demais e olha o resultado martelinho 😂😂👍🤡

Presidente da República diz que Portugal já apoiou Reino Unido em momentos difíceisMarcelo Rebelo de Sousa comentou a decisão do Reino Unido de excluir Portugal da lista de países considerados seguros relativamente à covid-19. Cá vem a conversa da amizade. Eles não querem saber disso. Deixem de baixar a calças e organizem o paus6como deve ser, para não depender os de gajos destes. Na próxima oportunidade paguem-lhes na mesma moeda. Com o primo do Trump no poder na Englaterra..qualquer dia vao nos tornar nos Mexicanos da Europa!

MAI diz que decisão de Reino Unido de excluir Portugal não tem fundamentoPortugal Continental fora do corredor turístico de Inglaterra.

Governo nacionalizou a Efacec, Isabel dos Santos saiDecisão teve acordo dos outros accionistas e já foi promulgada pelo Presidente da República. Depois da vergonha dos últimos anos em relação à TAP não me choca nada esta medida até porque custa muito menos dinheiro e aí mesmo tempo penaliza a Isabel dos Santos Sai mais uma negociata para os mamões do costume!!

Portugal entre os países da União Europeia com “desflorestação abrupta” desde 2015Paulo Fernandes, especialista em incêndios da Universidade de Trás-os-Montes e Alto Douro, diz que os processos de desflorestação em Portugal nos últimos anos devem-se “esmagadoramente” aos fogos florestais. Portugal ainda nao percebeu, que a floresta pode atrair turismo e riqueza, se bem gerida. Há muitos estrangeiros á procura do 'verde' e nao das cidades. Cada vez há menos respeito pela florestas em Portugal. Esté tudo relacionado com as politicas desastrosas dos governantes.

Decisão do Reino Unido sobre Portugal é 'absurda', diz Augusto Santos SilvaO chefe da diplomacia portuguesa considerou a decisão do Reino Unido de excluir Portugal dos 'corredores de viagem internacionais' como um 'absurdo', 'errada' e que causa 'muito desapontamento', trazendo ainda graves consequências económicas e de confiança recíproca. Tu tb és absurdo,,, pede inteligência com juros,,,

Governo da Madeira diz que cabo submarino j\u00e1 est\u00e1 em execu\u00e7\u00e3o e que gest\u00e3o ser\u00e1 p\u00fablica