PR promulga medidas de apoio às famílias e empresas afetadas pela pandemia

PR promulga medidas de apoio às famílias e empresas afetadas pela pandemia

05/08/2021 00:55:00

PR promulga medidas de apoio às famílias e empresas afetadas pela pandemia

O Presidente da República, Marcelo Rebelo de Sousa, promulgou esta quarta-feira o diploma do Governo que garante medidas de apoio social às famílias e empresas, devido aos efeitos sociais e económicos provocados pela crise pandémica

"[...] O Presidente da República promulgou o diploma do Governo que estabelece medidas de proteção para os clientes bancários abrangidos pelas medidas excecionais e temporárias de proteção de créditos e altera o regime relativo à prevenção e regularização das situações de incumprimento de contratos de crédito", lê-se numa nota no 'site' oficial na Internet da Presidência da República.

Ventura afirma que CDS e PSD terão, afinal, que falar com o Chega. Em Lisboa e não só Catarina Martins garante que o Bloco de Esquerda não negoceia com a direita A 'vitória não total' de Ventura: 'Enfrentarem-nos é enfrentar um enorme bloco de cimento'

Marcelo Rebelo de Sousa sublinhou"a necessidade de serem mantidos apoios à proteção dos créditos bancários das famílias e das empresas, tendo em conta os impactos sociais e económicos da pandemia"."No mesmo sentido de apoios às famílias, o Presidente da República promulgou também o diploma do Governo que estabelece as regras de garantia de fornecimento de serviços essenciais", acrescentou.

Em 30 de julho, foi publicado o prolongamento das moratórias bancárias, na componente capital, entre 01 de outubro e 31 de dezembro, por lei do parlamento, sujeitando a execução das medidas a regulamentos e supervisão da Autoridade Bancária Europeia (EBA). headtopics.com

As regras excecionais para pagamentos de empréstimos, aplicadas à luz da crise da covid-19, a particulares e empresas de setores especialmente afetados pela pandemia, foram criadas há mais de um ano, no final de março de 2020, por decreto-lei alterado pela quinta vez em dezembro do ano passado.

A lei publicada adita dois novos artigos a esse decreto-lei, um sobre a execução do regime, dependente da EBA, e outro sobre a"prorrogação suplementar, desde 01 de outubro até 31 de dezembro" de 2021, das medidas no que, exclusivamente, respeitem a suspensão do reembolso de capital, desde que a atividade principal esteja abrangida pela lista de CAE (código de atividade económica) definidos no anexo do decreto-lei.

"As entidades que pretendam beneficiar da prorrogação prevista no presente artigo devem comunicar às instituições esse facto no prazo mínimo de 20 dias anteriores à data de cessação da medida de apoio de que beneficiam", lê-se no diploma.

O prolongamento das moratórias foi aprovado pela Assembleia da República em 18 de junho, na componente de reembolso de capital, em resultado de um projeto de lei do PCP aprovado com a abstenção do PS e votos a favor do PSD, Bloco de Esquerda, PCP, CDS-PP, PAN, PEV, Chega, Iniciativa Liberal e as deputadas não inscritas Joacine Katar Moreira e Cristina Rodrigues. headtopics.com

Covid-19: Vacinação completa em Portugal continental chega a 83,89% da população Moedas e mais câmaras dão a Rio o fôlego para enfrentar opositores Rio defende que PSD fica ''em melhores condições'' de vencer legislativas

Os deputados aprovaram, em 09 de junho, na especialidade, propostas de alteração do PSD e de aditamento do PS ao projeto do PCP sobre o prolongamento de moratórias até ao final do ano, na componente de reembolso de capital.O alargamento do regime aplica-se, contudo, apenas aos"particulares e para as empresas que desenvolvem a sua atividade em setores especialmente afetados pela pandemia de covid-19", como os do alojamento, restauração, cultura e transportes.

"O grupo parlamentar do Partido Socialista considera que a prorrogação da moratória pública bancária apenas deverá ocorrer no contexto do quadro prudencial europeu, ao abrigo das orientações da EBA. Nesse sentido, a presente lei visa abrir a possibilidade de a moratória pública bancária ser prorrogada, se as orientações da EBA assim o permitirem", explicaram na altura os socialistas.

Em 31 de março, o parlamento aprovou, na generalidade e apenas com o voto contra do PS, o projeto do PCP, estabelecendo"a prorrogação e alargamento das moratórias bancárias" por mais seis meses daquelas cujo período de carência terminasse no primeiro semestre de 2021.

O PCP propunha"alargar o atual regime a todas as empresas que, já beneficiando das moratórias, não se encontravam abrangidas nos CAE definidos no anexo ao decreto-lei de 26 de março, na sua redação atual, considerando que a degradação da situação económica atravessa quase todos os setores do tecido empresarial português. headtopics.com

Consulte Mais informação: Expresso »

Este é um caso em que convém ler até ao fim: “a presente lei visa abrir a possibilidade de a moratória pública bancária ser prorrogada, se as orientações da EBA assim o permitirem”. Está aprovado e em vigor? Está! Concede moratória por mais 3 meses? Para já, não…

PR promulga alterações ao Estatuto dos Deputados que alargam motivos para suspensão de mandato'Motivos ponderosos de natureza familiar, pessoal, profissional ou académica' foram acrescentados aos motivos relevantes para a substituição temporária.

PR promulga alterações à Lei de Defesa Nacional e à Lei Orgânica de Bases das Forças ArmadasInforma nota publicada no site oficial da Presidência da República.

PR promulga alterações à Lei de Defesa Nacional e à Lei Orgânica de Bases das Forças Armadas

PR promulga alterações ao Estatuto dos Deputados que alargam motivos para suspensão de mandato'Motivos ponderosos de natureza familiar, pessoal, profissional ou académica' foram acrescentados aos motivos relevantes para a substituição temporária.

Dona da Fiat e da Peugeot passa de prejuízos para lucros no primeiro semestreO grupo automóvel Stellantis registou um lucro de quase 6 mil milhões de euros com as vendas a recuperarem depois da paralisação provocada pela pandemia

Bruxelas duvida que apoio de 3,2 mil milhões à TAP salve a empresaComissão Europeia reconhece a importância de o Estado português salvar a TAP, mas receia que o auxílio Estatal viole as regras de concorrência e duvida que o mesmo garanta de vez a viabilidade da companhia Em vez de atirar euros para a TAP, o melhor é atirar Bitcoins! Talvez assim resolva.