Portugal tem uma carga fiscal elevada que deve ser reduzida, critica Isabel Ucha

18/09/2022 14:05:00

A presidente da bolsa de Lisboa defende uma redução gradual dos impostos no país

Isabel Ucha, Bolsa De Lisboa

A presidente da bolsa de Lisboa defende uma redução gradual dos impostos no país

A presidente da bolsa de Lisboa defende uma redução gradual dos impostos no país. E lembra que os investidores são avessos à instabilidade do regime fiscal.

E usufrua de todas as vantagens de ser assinanteA presidente da Euronext Lisbon, Isabel Ucha, defende que o caminho da consolidação orçamental é importante para Portugal para que seja possível aliviar uma carga fiscal que considera pesada no país. Além da redução, pede estabilidade no regime fiscal, mais favorável à captação de investimento.

"Em matéria fiscal, a minha opinião, é sobretudo que devemos ter, tanto quanto possível, estabilidade fiscal e tanto quanto possível uma abordagem à fiscalidade enquanto aquilo que pesa na economia portuguesa, nas empresas e nas pessoas", afirmou.

Consulte Mais informação:
Jornal de Negócios »

Alerta vermelho na Grande Lisboa, pelo menos um morto em Algés

A chuva forte está, esta quarta-feira, a provocar inundações em várias zonas na região da Grande Lisboa. A capital está sob aviso vermelho. Pelo menos uma pessoa perdeu a vida em Algés. A Proteção Civil emitiu esta noite um alerta à população, no qual reforça as recomendações para as próximas 48 horas. Veja em direto a emissão da SIC Notícias e acompanhe ao minuto os últimos desenvolvimentos. Consulte Mais informação >>

Cemark tenta travar em tribunal decisão sobre múpis de LisboaA empresa que perdeu o concurso dos múpis da capital avança para a Justiça, numa polémica que parece não ter fim.

Músico Roger Waters atua em Lisboa no próximo anoCNN Portugal. O canal de informação, com uma cultura multiplataforma, que acompanha, em tempo real e em diversos meios, os acontecimentos que marcam o país e o mundo.

​Mais de 770 mil visitantes passaram pela Feira do Livro de Lisboa - RenascençaNo evento, realizado entre 25 de agosto e 11 de setembro, registou-se um aumento do n&250;mero de jovens dos 18 aos 24 anos, que representaram 37% dos visitantes.

Abusos e situação de Lisboa: contextos, presente e futuroCNN Portugal. O canal de informação, com uma cultura multiplataforma, que acompanha, em tempo real e em diversos meios, os acontecimentos que marcam o país e o mundo.

Câmara de Lisboa aprova Código de Ética e Conduta para prevenir corrupção e combater assédioA Câmara de Lisboa aprovou o Código de Ética e Conduta, que se aplica a todos os trabalhadores do município e eleitos locais, para prevenir atos de corrupção e combater o assédio em contexto laboral.

Músico Roger Waters actua em Lisboa em 2023A digressão This Is Not a Drill leva o músico britânico à Altice Arena a 17 de Março. Primeira paragem de uma tournée europeia que passará por Itália ou pela República Checa. É a segunda vez que Waters escolhe começar por Lisboa. E aposto que aparece com um Z na lapela e uma imagem em tamanho gigante do Putin... Apelando também a que todos apoiamos a rendição da Ucrânia... Tem que escolher melhor os amigos

Assine para partilhar E usufrua de todas as vantagens de ser assinante A presidente da Euronext Lisbon, Isabel Ucha, defende que o caminho da consolidação orçamental é importante para Portugal para que seja possível aliviar uma carga fiscal que considera pesada no país.Assine para partilhar E usufrua de todas as vantagens de ser assinante A Cemark, empresa que perdeu o concurso de múpis na capital portuguesa, anunciou que vai"avançar com uma providência cautelar e a correspondente ação judicial, tal como já informado à Câmara Municipal de Lisboa".Agência Lusa Há 29 min Concerto está marcado para março na Altice Arena O músico britânico Roger Waters vai atuar a 17 de março de 2023 na Altice Arena, em Lisboa, no âmbito da digressão"This Is Not a Drill", anunciou esta sexta-feira a promotora Ritmos & Blues.Foto: Miguel A.

Além da redução, pede estabilidade no regime fiscal, mais favorável à captação de investimento. "Em matéria fiscal, a minha opinião, é sobretudo que devemos ter, tanto quanto possível, estabilidade fiscal e tanto quanto possível uma abordagem à fiscalidade enquanto aquilo que pesa na economia portuguesa, nas empresas e nas pessoas", afirmou. Uma autorização que, para a Cemark,"constitui um ato ilegal por desrespeito da concorrência pré-contratual". "Portugal tem uma carga fiscal genericamente elevada e que deve ser reduzida progressivamente com medidas estruturais e persistentes de redução da carga fiscal. "This Is Not a Drill" é apresentada como"a primeira digressão de despedida" de Roger Waters, 79 anos, e deveria ter acontecido em 2020, não fosse o mundo ter lidado com a pandemia de um novo coronavírus." Leia Também Presidente da bolsa de Lisboa reticente sobre taxar lucros excessivos Neste sentido, Isabel Ucha considera que seria vantajoso que Orçamento do Estado (OE) para 2023 não só não penalizasse fiscalmente o investimento, como até introduzisse alguns incentivos transitórios à poupança e investimento em mercado de capitais.ª classificada no lote 1", considera. "No âmbito da fiscalidade é muito importante haver estabilidade fiscal e redução no nível fiscal. No ano em que a Ucrânia foi o país convidado, a Feira do Livro de Lisboa indica ainda que foram doados mais de 65 mil livros ao Banco de Bens Doados.

Temos ficado aquém do que seria desejável", criticou, lembrando a decisão pelo englobamento obrigatório, para contribuintes com rendimentos mais elevados, de mais-valias de investimentos detidos por menos de 12 meses. Leia Também Polémica dos múpis em Lisboa chega ao fim A empresa lembra, em comunicado, como se desenrolou todo este processo nos últimos anos. Sem nunca esquecer as suas convicções políticas, Roger Waters acrescenta: a digressão é"uma incrível indireta à distopia corporativa na qual todos lutamos para sobreviver, e um apelo ao amor, proteção e partilha do nosso precioso e tão precário planeta Terra"."É uma medida que vem ao invés do que deveria ser o caminho de estabilidade." . Já"no lote 1 (abrigos e mupis) a Cartazes & Panoramas I (MOP) é desclassificada, ficando classificada em 2º lugar a JCDecaux e em 3º lugar a Cemark", enquanto no lote 2 (equipamentos digitais), a Cartazes & Panoramas II (MOP) é desclassificada, em 1º lugar a Alargâmbito (Dreammedia), em 2º lugar a JCDecaux, a Cemark é desclassificada".