Plano Nacional de Poupança de Energia. Centros comerciais pedem mais: 'Tempo de energia barata acabou'

09/09/2022 04:27:00

Plano Nacional de Poupança de Energia. Centros comerciais pedem mais: “Tempo de energia barata acabou”

Plano Nacional de Poupança de Energia. Centros comerciais pedem mais: “Tempo de energia barata acabou”

Associação Portuguesa de Centros Comerciais saúda medidas, mas acredita que é preciso mais. Presidente da Sedes defende uma redução da carga fiscal e uma maior importância da economia sobre finanças.

Partilhe os seus artigos preferidos com os seus amigos.Quem recebe só precisa de iniciar a sessão na conta Observador e poderá ler o artigo, mesmo que não seja assinante.Este artigo foi-lhe oferecido pelo nosso assinante. Assine o Observador hoje, e tenha acesso ilimitado a todo o nosso conteúdo.

Atingiu o limite de artigos que pode oferecerJá ofereceuA partir de 1 de

Consulte Mais informação:
Observador »

Ruas inundadas e estradas cortadas: chuva intensa lança o caos na região de Lisboa (veja os vídeos)

Proteção Civil regista mais de 100 ocorrências devido ao mau tempo na Grande Lisboa. IPMA coloca Lisboa sob alerta vermelho até às 2h Consulte Mais informação >>

Pensões. Governo destina 1155 milhões para actualizações em 2023Executivo também aprovou o Plano Nacional de Poupança de Energia, em que algumas medidas terão um caráter de obrigatoriedade para a administração pública.

Pensões. Governo destina 1155 milhões para actualizações em 2023Executivo também aprovou o Plano Nacional de Poupança de Energia, em que algumas medidas terão um caráter de obrigatoriedade para a administração pública.

Medidas para poupar energia obrigatórias só para o públicoO Plano Nacional de Poupança de Energia foi esta quinta-feira a Conselho de Ministros e foi sujeito a alterações, pelo que a sua publicação será feita 'em breve'.

Plano de poupança de energia pode valer mais 5% no corte de consumo de gásMedidas serão obrigatórias na administração pública. Para o setor privado, o Governo apenas irá emitir recomendações. Executivo aprovou ainda investimento de 4,5 milhões para o porto de Sines.

Plano de poupança de energia pode valer mais 5% no corte de consumo de gásMedidas serão obrigatórias na administração pública. Para o setor privado, o Governo apenas irá emitir recomendações. Executivo aprovou ainda investimento de 4,5 milhões para o porto de Sines.

artigos por mês ao ser assinante do Observador Partilhe os seus artigos preferidos com os seus amigos.poupança Para o próximo ano, o Governo vai destinar 1155 milhões para as actualizações das pensões.Para o próximo ano, o Governo vai destinar 1155 milhões para as actualizações das pensões.Ana Batalha Oliveira 15:55 O Plano Nacional de Poupança de Energia foi esta quinta-feira a Conselho de Ministros e foi sujeito a alterações, pelo que a sua publicação será feita"em breve".

Quem recebe só precisa de iniciar a sessão na conta Observador e poderá ler o artigo, mesmo que não seja assinante. Este artigo foi-lhe oferecido pelo nosso assinante . Recorde-se que o mecanismo em vigor de atualização das pensões tem em conta o crescimento médio anual do Produto Interno Bruto (PIB) dos últimos dois anos, terminados no terceiro trimestre e a variação média dos últimos 12 meses do Índice de Preços no Consumidor (IPC), sem habitação, disponível em dezembro, ou em 30 de novembro, se aquele valor não estiver disponível à data da assinatura do diploma de atualização. Assine o Observador hoje, e tenha acesso ilimitado a todo o nosso conteúdo. No entanto, esta fórmula determina atualizações de valor diferente consoante aquela média de crescimento do PIB seja inferior a 2%, entre 2% e 3% ou superior a 3%, garantindo, no cenário mais modesto (crescimento do PIB abaixo de 2% como sucedeu na última atualização), um aumento em linha com a inflação para as pensões mais baixas - até dois Indexantes de Apoios Sociais (IAS). Atingiu o limite de artigos que pode oferecer Já ofereceu A partir de 1 de poderá oferecer mais artigos aos seus amigos. Mas num cenário em que a economia cresce mais de 3%, a lei garante um aumento em linha com a inflação acrescida de 20% ou de 12,5% do PIB, respetivamente, para as pensões até dois IAS e entre dois e seis IAS, e em linha com a inflação para as pensões entre seis e 12 IAS. . (Notícia em atualização).