PIB com quebra recorde de 16,3% devido à pandemia

14/08/2020 13:04:00

PartilharA economia portuguesa registou uma contração de 16,3% no segundo trimestre deste ano, face ao mesmo período do ano passado, um valor ligeiramente inferior ao avançado pelo Instituto Nacional de Estatística (INE) no final do mês passado. Esta é a maior contração desde 1999.

Rui Gomes da Silva: «Muitos sócios votaram sem lhes ter sido pedida identificação» Daniel Ramos: «Sp. Braga não merecia perder pelo que fez» Pediu de joelhos licenças para terminar casa

“Este resultado é explicado em larga medida pelo contributo negativo (-11,9 pontos percentuais) da procura interna para a variação homóloga do PIB, consideravelmente mais acentuado que o observado no trimestre anterior (-1,2 pontos percentuais), refletindo a expressiva contração do Consumo Privado e do Investimento”, explica o INE.

O gabinete de estatística avança ainda que o contributo da procura externa líquida foi mais negativo neste segundo trimestre (-4,4 pontos percentuais), “traduzindo a diminuição mais significativa das exportações de bens e serviços que a observada nas importações de bens e serviços, devido em grande medida à quase interrupção do turismo de não residentes”.

Comparando este período com os três meses anteriores, o PIB registou uma diminuição de 13,9%. O INE explica que este resultado é justificado “principalmente pelo contributo negativo (-10,7 pontos percentuais) da procura interna para a variação em cadeia do PIB, verificando-se também um maior contributo negativo da procura externa líquida (-3,2 pontos percentuais)”.

Ainda assim, estes resultados reveem em alta (0,2 pontos percentuais) as taxas de variação apresentadas no final do mês passado, principalmente devido à integração de informação primária adicional, nomeadamente relativa ao comércio internacional de bens e serviços em junho.

O INE recorda que estes valores estão relacionados com os efeitos da pandemia de covid-19 na atividade económica do país.Quebras também na Zona Euro Ainda esta sexta-feira, também o Eurostat apresentou a sua segunda estimativa para a evolução das economias na Europa entre abril e junho.

Segundo o gabinete estatístico europeu, apenas três países apresentam quebras superiores à portuguesa: Espanha conta com uma contração de 22,1%, seguida por França (-19%) e Itália (-17,3%). Consulte Mais informação: Jornal SOL »

Pandemia da Covid-19 dita quebra recorde de 16,3% do PIB portuguêsPIB português contraiu 16,3% no segundo trimestre deste ano, face ao mesmo período do ano passado.

Pandemia dita quebra recorde de 16,3% do PIB portuguêsFora de Campo - Pandemia dita quebra recorde de 16,3% do PIB português

INE melhora estimativa de queda do PIB em duas décimas: 16,3%O Instituto Nacional de Estatística (INE) reviu hoje a queda do Produto Interno Bruto (PIB) no segundo trimestre, melhorando a sua anterior estimativa em duas décimas em termos homólogos e em cadeia, para 16,3% e 13,9%, respetivamente.

Novas imagens mostram rixa em Odivelas onde jovem de 16 anos foi esfaqueadoVídeos - Novas imagens mostram rixa em Odivelas onde jovem de 16 anos foi esfaqueado Joooooovem Racismo, obviamente, chamem o Marcelo para fazer uma proclamação no canil mais próximo E os putos divertem-se em palhacinhos e atrasados mentais.

Exportações portuguesas de saúde subiram 16,4% no primeiro semestreO sector exportou 810 milhões de euros no primeiro semestre de 2020, um valor superior em 115 milhões euros ao mesmo período de 2019.

Economia portuguesa caiu 16,3% no segundo trimestre