Psı-20, Bolsa De Lisboa, Mercado E Câmbios

Psı-20, Bolsa De Lisboa

Pesos pesados em queda atiram PSI-20 para terreno negativo

EDP, EDP Renováveis, BCP, Jerónimo Martins e Galp Energia arrancaram a sessão no vermelho, ajudando o PSI-20 a cair 0,94%

28/10/2021 10:27:00

EDP, EDP Renováveis, BCP, Jerónimo Martins e Galp Energia arrancaram a sessão no vermelho, ajudando o PSI-20 a cair 0,94%

EDP, EDP Renováveis, BCP, Jerónimo Martins e Galp Energia arrancaram a sessão no vermelho, ajudando o PSI-20 a cair 0,94%.

E usufrua de todas as vantagens de ser assinanteInstabilidade é a tendência que marca as negociações esta manhã. Em pleno cenário de crise política no país, a Bolsa de Lisboa abriu esta quinta-feira no vermelho, com as cinco empresas com mais peso no mercado de capitais português todas a negociar em terreno negativo. O PSI-20 caía 0,94%, para os 5637,66 pontos, com 13 empresas a ceder e apenas duas positivas. Quatro estavam inalteradas.

Jornal espanhol diz que João Félix pode deixar o Atlético Madrid já em janeiro MP tem na sua posse emails sobre negócios fictícios no FC Porto para desvio de dinheiro (com áudio) Viagra reduz risco de ter Alzheimer

Ainda assim, nos primeiros minutos da negociação, a EDP e a EDP Renováveis conseguiram inverter a abertura em queda e juntaram-se ao grupo das cotadas no verde, com o grupo liderado por Miguel Stilwell d'Andrade muito ativo nas notícias por estes dias, com anúncios de possíveis investimentos, contas e entradas em bolsa. Tanto a casa-mãe avançava como o braço Renováveis avançavam 0,08%, apesar das negociações estarem ainda muito instáveis.

Já o BCP mostrou ontem, nas contas do trimestre, um resultado abaixo do que foi verificado no ano passado. Os investidores parecem viver sentimentos mistos em relação à instituição. O banco de Miguel Maya arrancou a negociação no vermelho, subiu a terreno positivo por uns minutos e já está novamente em terreno negativo, a cair.  headtopics.com

De resto, a Galp Energia cede 0,70%, a Jerónimo Martins cai 1,49%, e do lado das empresas no verde, a cotada que mais ganha é a Nos, a valorizar 0,47%, seguida da Nova Base, que sobe 0,43%.Lisboa é a praça europeia que mais cai esta quinta-feira. A Europa está a negociar mista, com os investidores divididos entre a euforia dos resultados trimestrais das empresas e a apreensão por mais logo ir haver mais novidades do Banco Central Europeu.

A par do índice português, também o alemão e o espanhol registam perdas, a cair mas muito próximos da linha de água, onde está também o Stoxx 600, que agrega as empresas mais importantes do continente, esse, contudo, do lado do verde, a valorizar 0,04%. Os índices francês e italiano negociam também positivos.

Consulte Mais informação: Jornal de Negócios »

O Futuro do PSD

Escolhemos seis questões que determinam o futuro do PSD e sobre elas questionámos os dois candidatos a presidente do partido, que será eleito a 27 de Novembro

EDP em negociações para comprar empresa de renováveis de SingapuraSegundo a agência Reuters, a elétrica portuguesa, através da EDP Renováveis, está em fase avançada de negociações para a compra da Sunseap, avaliada em mais de 600 milhões de euros

EDP quer comprar empresa de renováveis de SingapuraA elétrica portuguesa estará em “conversações avançadas” para comprar uma participação maioritária na empresa de energias renováveis Sunseap Group.

Quedas da Galp e do BCP arrastam PSI-20O índice PSI-20 esteve a acompanhar o fecho negativo registado pelos principais mercados acionistas do Velho Continente.

PSI-20 continua no ‘vermelho’ em sentido contrário ao das congéneres europeiasEntre as principais praças europeias, o alemão DAX avança 0,95%, o francês CAC 40 ganha 0,64%, o espanhol IBEX 35 sobe 0,99% e o britânico FTSE 100 valoriza 0,67%.

PSI-20. BCP arrasta Lisboa para (ligeiras) quedasAs bolsas europeias abriram a negociar entre perdas e ganhos com os mercados de olho nos resultados empresariais

Falha de energia deixa PSI-20 às escuras em dia de ganhos no resto da EuropaA bolsa nacional foi incapaz de acompanhar os ganhos registados nas restantes praças europeias, com o setor de energia a pressionar.