P3, Arte Urbana, Street Art, Covilhã, Wool

P3, Arte Urbana

Pela décima vez, o Wool vai levar arte urbana à Covilhã

Arte Urbana: Pela décima vez, o Wool vai levar arte urbana à Covilhã

15/06/2021 20:30:00

Arte Urbana : Pela décima vez, o Wool vai levar arte urbana à Covilhã

Entre os dias 26 de Junho e 4 de Julho, Covilhã volta a receber o Wool , festival de arte urbana — que celebra uma década de existência. Para assinalar a data, o festival apresentará “uma programação mais musculada, no espaço e tempo, com mais de 40

DR/WoolMarta Lapeña, Daniele Eime, The Caver e a dupla Coletivo Licuado são os artistas que vão participar na edição deste ano doWool — Covilhã Arte Urbana, foi esta terça-feira anunciado. O evento realiza-se entre os dias 26 de Junho e 4 de Julho, no centro histórico da Covilhã, e celebra este ano uma década de existência, sendo o mais antigo festival de arte urbana em Portugal.

Desconfinamento. O que muda a 1 de outubro? As palavras importam: em vez de “esquizofrénico”, diga “pessoa com esquizofrenia” FBI emite mandado de detenção para Brian Laundrie, noivo de Gabby Petito

Para assinalar a data, o festival apresentará “uma programação mais musculada, no espaço e tempo, com mais de 40 iniciativas de diversas áreas”, refere a organização, em comunicado enviado à agência Lusa.O programa contará com a pintura mural, mas também as residências artísticas, exposições, um filme musicado, visitas guiadas e acções comunitárias entre outras actividades. No que concerne às intervenções murais, esta edição contará com os nomes internacionais Colectivo Licuado (Uruguai) e Marta Lapeña e com os portugueses Daniel Eime e The Caver.

A informação aponta ainda que a intervenção de Colectivo Licuado serácentrada nos 140 anos da primeira Expedição Científica à Serra da Estrela, que se realizou em 1881 com organização da Sociedade de Geografia de Lisboa. Outro dos destaques prende-se com o trabalho de Daniel Eime, que estará focado na temática do papel (anónimo) da mulher na secular indústria dos lanifícios da Covilhã. headtopics.com

No âmbito desta edição, estão já em desenvolvimento residências artísticas, uma das quais a cargo de Raquel Belli, fotógrafa e artista visual, que aplica técnicas e padrões usados em cestaria e tecelagem, tirando proveito da aparente aleatoriedade dos objectos/sujeitos retratados e estética criada. “O resultado do trabalho desenvolvido por Raquel Belli, que tem por base uma recolha pessoal e fotografias cedidas pela comunidade, será exposto durante o Wool 2021 em várias montras de espaços de comércio local da Covilhã, reforçando o circuito de visitação pelas cerca de 40 peças que compõem actualmente o roteiro Wool”, está detalhado.

A outra residência artística contará com Nuno Sarmento, que tem, desde cedo, “o desenho como sua grande paixão, enchendo cadernos com os traços que ocupam a sua imaginação, mas também com o que a realidade lhe oferece”. “Depois de ter participado na edição de 2020 do Wool, o artista catalão Jofre Oliveras regressa novamente à Covilhã na companhia da premiada fotógrafa Lucía Herrero para darem continuidade ao trabalho iniciado no ano anterior e em conjunto apresentam a

Exposição Crisis, que conta com o apoio da Guarda 2027, região candidata a Capital Europeia da Cultura EM 2027”.Segundo a organização,Aheneah, artista portuguesaque tem pautado o seu percurso artístico por uma exploração de ligações entre os meios digitais e analógicos, estará a orientar a acção comunitária “Juntos por um Ponto”.

Ao nível musical, a programação Wool 2021 inclui a sonorização do centenário filme “Covilhã Industrial, Pitoresca e seus arredores" (Artur Costa de Macedo, 1921) tocada ao vivo pela banda First Breath After Coma. Está também previsto o desenvolvimento de um roteiro sonoro, que sob orientação de Daniel Tavares Nicolau ( headtopics.com

Atenção, trabalhadores independentes. Hoje é o último dia para classificar as faturas para o IVAucher Koeman após nova escorregadela do Barcelona: «Neste país expulsam-te por tudo e por nada» GNR desmantela plantação de canábis na Sertã

akaDefski), visa “captar a aura que emana de cada obra e transmitir o âmago do Wool”.Para além da recolha de texturas recolhidasin locona cidade da Covilhã e de gravações captadas durante os processos criativos, pormenores, janelas auditivas, fragmentos, vozes e murmúrios, Defski convidou vários músicos nacionais e internacionais para a criação destas 10 paisagens sonoras, entre os quais Sylvester Onyejiaka (elemento da banda New Power Generation de Prince entre 2012 e 2014), Matt DeMerritt (flautista que tem trabalhado ao longo dos anos com os De La Soul), Sam Merrick (baterista de Charles Bradley e Sharon Jones) e o transmontano Hugo Correia.

Criado em 2011, fruto dainiciativa de Lara Seixo Rodrigues Consulte Mais informação: Público »

Festival vai transformar salas de ordenha e sedes de junta em murais de arte urbanaContribuir para atrair mais turistas ao mundo rural é um dos objetivos da nova versão do V Festival de Street Art -Sm'art de Bragança, que este ano leva os artistas a sete aldeias do concelho.

Covid-19. Lisboa com mais de 240 casos por cem mil habitantes está em risco de recuarRecuo vai ter impacto nos setores mais afetados pela pandemia: restauração, comércio, cultura, ginásios e eventos. Lisboa a ser Lisboa...

Mário Passos apresenta candidatura com cinco ″agendas″ de governaçãoSão cinco as 'agendas' em que vai assentar o 'governo municipal' de Mário Passos, que apresentou a sua candidatura à Câmara de Famalicão, pela coligação PSD/PP 'Mais Ação Mais Famalicão'.

Costa desvaloriza caso da partilha de dados de activistas russos como “processo administrativo”Em Bruxelas, à entrada para cimeira da NATO, primeiro-ministro falou pela primeira vez sobre polémica de partilha de dados da Câmara de Lisboa Claro que desvaloriza, agora se o presidente da câmara fosse de outro partido será que o fazia também? Hipocrisia política 🖖 Estava demasiado limpinho e quis também mergulhar na javardice É certo que ninguém dúvida, mas menos certo que sejam vocês a levantar a questão. Houve um crime, com base em “procedimentos administrativos”. É óbvio que os “mandantes” desta infâmia têm de ser RESPONSABILIZADOS!

Envio de informações à Rússia. António Costa afasta responsabilidades políticasFalou pela primeira vez sobre a polémica. Este só se enterra mais neste pântano socialista!!!

Menos de 1.000 novos casos de covid-19 na Alemanha pela primeira vez desde setembroA incidência acumulada em sete dias no conjunto do país situa-se nas 16,6 novas infeções por 100 mil habitantes - com 13.790 casos em uma semana -- relativamente aos 17,3 de domingo e aos 24,3 da passada segunda-feira.