Groundforce, Tap, Pasogal, Pedro Nuno Santos

Groundforce, Tap

Pedro Nuno Santos: Nacionalização da Groundforce só resolvia problema a Alfredo Casimiro

O ministro das Infraestruturas recusou a nacionalização da Groundforce, que poderia resultar num pedido de indemnização ao Estado, e garantiu que 'insolvência não é sinónimo de falência'

18/05/2021 13:27:00

O ministro das Infraestruturas recusou a nacionalização da Groundforce , que poderia resultar num pedido de indemnização ao Estado, e garantiu que 'insolvência não é sinónimo de falência'

O ministro das Infraestruturas recusou a nacionalização da Groundforce , que poderia resultar num pedido de indemnização ao Estado, e garantiu que 'insolvência não é sinónimo de falência'. Pedro Nuno Santos assegura que não há nenhuma intenção de encerrar a empresa de handling ou despedir trabalhadores.

...O ministro das Infraestruturas e da Habitação mostrou-se esta terça-feira no Parlamento contra a nacionalização da Groundforce como forma de resolver os problemas da empresa, considerando que essa solução só iria resolver o problema do seu acionista maioritário.

Morreu José Eduardo Pinto da Costa, irmão do presidente do FC Porto Benfica x FC Dínamo Kiev - Record Jogos em Direto Morreu José Eduardo Pinto da Costa, irmão do presidente do FC Porto

"O Governo discorda em absoluto" que a nacionalização é solução para os problemas da Groundforce. A nacionalização não resolvia problema da Groundforce, resolvia sim o problema a Alfredo Casimiro", afirmou Pedro Nuno Santos, explicando que essa opção só iria permitir"a sua vitimização, gerar litigância e levar o dono da Pasogal, que possui 50,1% da empresa de handling, a"exigir uma indemnização ao Estado, que o Estado entende que ele não tem direito".

O ministro das Infraestruturas garantiu assim que a opção da nacionalização"está excluída pelo Estado", salientando que continua à procura de uma solução que proteja os trabalhadores, a TAP e a continuidade do serviço. headtopics.com

Leia TambémPedido de insolvência deixa salários em risco e dificulta venda, diz GroundforcePara Pedro Nuno Santos, o pedido de insolvência da Groundforce que a TAP fez na semana passada é o"o culminar de uma situação insustentável".

"A insolvência não é sinónimo de falência", disse, acrescentando que"o que queremos é encontrar um contexto que permita à TAP propor uma solução definitiva para a Groundforce"."Não temos nenhuma intenção de encerrar a Groundforce e despedir trabalhadores, mas terminar com situação que é insutentável", frisou o ministro, que recordou ainda as várias"tentativas da TAP para ajudar a resolver a situação", que passaram inicialmente por adiantamentos para viabilizar o pagamento de salários, até à compra dos equipamentos, que acabou por ser objeto de uma"tentativa de anulação da operação".

Leia TambémAlfredo Casimiro: Groundforce sem condições para "acorrer a todas as exigências" Consulte Mais informação: Jornal de Negócios »

O Futuro do PSD

Escolhemos seis questões que determinam o futuro do PSD e sobre elas questionámos os dois candidatos a presidente do partido, que será eleito a 27 de Novembro

Pedro Nuno Santos garante que interesse de empresas internacionais na Groundforce continua 'intocável'Depois de afirmar que o pedido de insolvência da TAP sobre a Groundforce não significa que a empresa de 'handling' esteja falida, o ministro das Infraestruturas e Habitação assegurou que o processo de insolvência não retraiu o interesse 'players' internacionais na posição de Alfredo Casimiro.

Groundforce. 'Nacionalização seria má', diz Pedro Nuno Santos

Articulação entre ferrovia e rodovia “é fundamental”, diz Pedro Nuno SantosPlano de Recuperação e Resiliência prevê 313 milhões para missing links [ligações em falta], 65 milhões para ligações transfronteiriças e 142 milhões para vias de acolhimento empresarial e acessibilidades rodoviárias. Provavelmente está a referir-se aqueles comboios prioritários socialistas com ligação aos Maserati

Costa e Pedro Nuno no sítio onde os comboios vão passar: “Já estamos em velocidade cruzeiro”Lado a lado com o ministro das Infraestruturas, pela segunda vez esta semana, o primeiro-ministro foi ver a obra que ligará Sines a Espanha

Pedro Sousa e Nuno Borges avançam no “challenger ” de OeirasQuatro portugueses vão discutir o acesso aos quartos-de-final do torneio. João Sousa foi eliminado em Lyon.